PRINCIPAL AUTOR ÍNDICE
 


CASOS ILUSTRATIVOS – I

Todos os atendimentos apresentados neste trabalho podem-se considerar de certa forma positivos. Uns cem por cento, outros não chegaram a atingir esse patamar, considerando que muitos não se modificaram após o tratamento e voltarão a ficar enfermo novamente. Por esse motivo não apresento os resultados de cada caso atendido. Alguns casos não tivemos mais noticias, suponhamos que os pacientes ficaram curados de seus males, pois não retornaram a procurar ajuda. De um modo geral a cura integral, não existe, porque ainda temos muito que resgatar. Mas, temos notado que neste trabalho, muitos são aqueles que ficaram livres de seus males momentâneos, ou desta existência, daqueles sofrimentos imediatos que vieram tratar. Claro que no decorrer do avanço da idade, pode surgir outras mazelas em decorrência da idade ou não, guardadas dentro de si que até o momento não haviam surgido. Todas as dificuldades apresentadas na vida da pessoa são novos caminhos de aprendizagem, novos reparos a serem feitos. Por isso apresento esse tópico esclarecedor para não desmotivar o leitor com os resultados não apresentados de cada um.

Caso 01: Miller – 43 anos

Data: 27/07/02

Evangelho Segundo Espiritismo – Cap x – 16.

Problemas: As finanças não vão bem, parece que tudo se volta contra mim. Os negócios não se encaminham desde 1999. Dor no peito e nas costa. Medo de altura. Algo a ver com navio, morte e angustia. Talvez exista magia.

Apometria: aberta a freqüência vibratória com Desdobramento Anímico com recolhimento dos espíritos que se encontravam com o paciente.

O que estou atravessando eu já sabia antes de reencarnar, neste momento da minha vida. Eu precisava e preciso passar por essa experiência de como lidar com o dinheiro, pois nunca aprendi. Quando tive muito em outras existências botei a perder a minha encarnação, a minha vida, fiz tudo que se pode imaginar, desde pisar nas pessoas e passar por cima delas, a única pessoa que me importava era eu mesmo, egoísta ao extremo, não sei o que é pior se é ter muito dinheiro ou não ter nada, pois nas duas situações cometi os mesmo erros, as mesmas arrogâncias e intolerâncias. Mas eu quero e preciso resolver, eu só vou subir, só vou crescer mais um degrau se souber realmente o que fazer, pois sofro há séculos e isso me atormenta.

Devo me conciliar e para isso tenho que descobrir como fazer. Devo continuar lutando, mas não só pelo dinheiro, mas pelo meu próprio bem estar, pois ele já me destruiu e pode destruir-me novamente.

Colares magnéticos no 5º nível de corpo astral. Uma lança no peito. Cordões dos chacras rompidos são energias negativas que me prejudicam.

Participei de uma imensa guerra, eu mandei os meus comandados para a morte, sabendo que não tinham como retornar daquela missão suicida. Fiz explosões no céu e na terra, eu não me deixava abater até que meu navio foi a pique. A dor no peito faz parte de tudo isso e também provoca a minha angústia.

A dor nas costa – quando o navio estava indo a pique não morri de imediato, ainda matei muitas pessoas, matei o que pude, minha morte foi muito dolorosa. Aparelho na coluna que me causa dor. Tenho nas mãos uma espécie de olho de um mago hipnótico. Esse espírito foi uma pessoa muita querida no meu passado, às vezes ele me domina e me sufoca, foi o meu irmão mais velho. Quando as pessoas se aproximam de mim, ele as hipnotizas, não por mal, e sim para me proteger. Na verdade isso mais me prejudica do que me ajuda, porque o meu carma é mais forte e tem prioridade, pois foi o que eu me propus a fazer nesta vida e ainda não consegui fazer.

Mental Superior – níveis enrustido formando um imenso animal em forma de asas cheias de espíritos. Braceletes e esferas nos cordões dos chacras, provocando uma série de desarmonia.

Mental Inferior – níveis colados lateralmente uns ao lado dos outros. Aparelhos na nunca e cordões grossos. O sexto nível se encontrava com o fígado gelatinoso.

Duplo Etérico – encontrava-se envolvido por um cascão negativo causando uma certa desarmonia, o quinto nível desarmonizado com placas e bactérias no chacra umbilical.Então caro Miller, está muito claro que não existem magia, o teu problema está ligado ao teu passado o qual você não soube conduzir. Nesta vida você já veio sabendo que essas situações de manipulação com o dinheiro iriam acontecer para que você aprendesse a viver com ele e sem ele. Você passou a vida somente pensando no dinheiro e não soube como lidar com ele. Procure olhar um pouco para Deus, para dentro de si, procurando viver uma vida simplesmente com o necessário para que não acabe ficando sem nada. Tudo isso são coisas que o teu interior falou e que se programou antes de reencarnar, só que as pessoas vêem para essa vida e se esquecem do que realmente tem que fazer.

Vejo aqui um caso de choque de retorno com processo de culpa associado a uma obsessão simples. Foram desligados dos eventos traumatizantes daqueles passados, harmonizados os níveis de consciências. Deve procurar seguir a voz do seu interior que foi muito claro nos seus dizeres.

Caso 02: Ruthe – 26 anos.

Cap XII – 5, do Evangelho Segundo o Espiritismo.

Data: 26/01/2002

Problemas: relacionamento afetivo, dificuldade de se afinar com o marido e também com a mãe, dor no baixo ventre, dor no estômago, mágoa da mãe, insônia, não gosta de cobra e sapo.

Aberta a freqüência vibratória com o desdobramento anímico: os espíritos foram recolhidos.

Relacionamento afetivo – reclama que nunca vai ser feliz com alguém, porque está entre inimigos.

Quase não tive opção para nascer. Não estou conseguindo me resgatar com eles, principalmente com o meu marido. Eu era uma das herdeiras, meus pais haviam morrido, meu irmão mais velho queria se livrar de mim, para não dividir a herança quando eu viesse a casar-me, pagou um homem para levar-me para bem longe e me matar. Este homem me abrigou em uma cabana e lá fez de tudo comigo, não cumpriu o prometido para o meu irmão, me deixava passar fome, com o tempo acabei ficando grávida, eu passei a odiar muito este homem, que é o meu marido de hoje. Antes de dar a luz àquele filho maldito, pois era de um homem impuro e monstruoso, usando de um ferro pontiagudo matei a criança, tive hemorragia muito forte, perfurei o meu coração e desencarnei ali mesmo.

O reverso da moeda – esse resgate tinha um passado, pois em outra vida, eu não respeitava ninguém, deixava meus empregados passarem privações, fome e frio. Minha mulher teve um filho, eu achei que não era meu, mandei afogá-lo em um lago próximo. Era o mesmo filho que matei em meu ventre quando estava naquela cabana em vida posterior.

Dor no baixo ventre – São conseqüências da morte daquela criança em meu ventre na cabana. Soube depois do desencarne no mundo espiritual que aquela criança tinha vindo para me ajudar, era aquele espírito que afoguei no lago.

Dor no estômago – fui um curandeiro que fabricava veneno e vendia para pessoas que me procuravam. Muitas pessoas morreram em conseqüência do meu veneno. Hoje sinto o estômago queimar e retorcer, reflexo daquele veneno que eu fabricava e que hoje a culpa me corrói.

Mágoa com a mãe – minha mão hoje é aquele irmão que mandou me matar, para se livrar de mim e ficar com a minha parte da herança deixada pelos meus pais.

Insônia – era a obsessão.

Medo de animais, como cobra, sapo – o mental inferior que estava com a vibração das cobras, de quando eu extraia o veneno, que utilizava em porções e que vendia a quem interessasse.

Duplo Etérico – apresentou um aparelho na nuca. A coluna apresentava um certo quanto de energia negativa, que foram drenadas com uso da cromoterapia.

Caso 03: Márcia – 41 anos.

Data: 02/01/1999

Problema apresentado: menopausa, alergia e tristeza.

Na abertura de freqüência vibratória com o desdobramento anímico, foi notada uma corda na cintura dos níveis de consciências, colocada por um obsessor. Repetia-se o que a paciente fazia em outra existência para torturar os escravos, amarrava uma corda na cintura dos escravos e arrastava-os, esfolando sua cintura. Tinha também um pó espalhado pela casa que provocava a coceira alérgica. O Duplo Etérico estava vestido com um macacão de corpo inteiro. No sétimo nível do Duplo Etérico apresentava essa corda passada pela cintura. Daí vem o problema alérgico.

Numa outra existência tinha mediunidade. Às vezes perdia a memória, por isso fui afastada da convivência familiar e social e trancada num calabouço, e por desgosto e tristeza me enforquei.

Trabalhava com magia em outra existência, costumava usar sangue nesses trabalhos que foi desmanchado porque ainda estava vibrando no hoje interferindo em sua vida. No 2º e 3º nível do Duplo Etérico, tinha um aparelho no útero, que foi colocado pelo Mental Superior, com objetivo de acelerar o processo da menopausa, para se livrar da menstruação.

Aparelho na cabeça, proveniente de magia do passado. Apresentava uma veia desviada na cabeça na região da hipófise.

Numa outra existência eu vim como mulher, mas tinha nojo de ser mulher. Vestia-se e agia como homem. Fui homossexual. Podemos notar a dificuldade que vem atravessando com respeito à menopausa.

Na seguinte encarnação posterior, veio novamente como mulher. Enclausurou-se num mosteiro, onde ficou até o fim de sua vida. Fez um aborto antes de ir para o mosteiro. Foi encontrado um aparelho no útero no 2º e 3º nível de Corpo Astral, na linha referente ao chacra umbilical. Uma corda na cintura do 4º nível. Trazendo como conseqüência à tristeza do tempo que maltratava os escravos.

O 6º nível do Corpo Astral, referente ao chacra cardíaco, estava com o cordão do chacra umbilicais desligados, solto no ar. Quando isso ocorre há perda de energia e o paciente pode ser vampirizado por obsessores. Não havendo aí a ligação do cordão do chacra esplênico com o chacra umbilical, acarreta uma desarmonia na região.

O Mental Superior nunca aceitou o fato de ser mulher e ainda não aceita. Foi doutrinado e conscientizado na tentativa de mudar e amenizar o processo da menopausa.

O paciente teve uma melhora de 70% após trinta dias do atendimento.

Caso 04: Cibele – 39 anos.

Data: 26/01/1999

Problema apresentado: dor de cabeça, depressão pós-parto, depressão pré-menstrual e depressão pura e simples.

A paciente fez longo tratamento com um médico psiquiatra, usou medicamentos e não teve os resultados esperados, por isso resolveu procurar um meio alternativo de cura.

Abertura da freqüência vibratória com desdobramento anímico:

A dor de cabeça – foi um escravo branco e aprisionado em uma vida passada com um anel de ferro colocado em volta da cabeça como castigo, porque era contumaz em fugas, de onde veio a desencarnar com muito ódio, vindo a cristalizar, nos seus níveis de consciências, a forma etérica daquela dor, que nada mais é do que energias negativas que lhe produzem a dor de cabeça. Essa forma etérica se forma pelo não perdão, na ocasião da ocorrência do evento, essas energias poderiam ser drenadas no transcurso de lá para cá. Numa existência anterior a essa, tinha a função de preparar os condenados à guilhotina, e gostava do que fazia. Essas duas existências são eventos que trazem como conseqüências à dor de cabeça, e podem trazer problemas de garganta, devido ao processo da guilhotina, pois gostava do que fazia.

Em outra existência era uma mulher, trazia a mediunidade, sofria de convulsão. Ficou grávida e foi obrigada a abortar, perdendo muito sangue, trazendo um trauma dessa vivência, ou contato com sangue o que causa hoje da depressão pré-menstrual, em decorrência da rejeição pelo sangue. Devido aos constantes ataques obsessivos, foi internada num manicômio, aonde veio a desencarnar em conseqüência de uma queda, pois devido as convulsões, bateu com a cabeça em uma pedra. É importe saber que a grande atividade mental pode ser causador da dor de cabeça.

Depressão pré-menstrual – era um homem que tinha uma filha de 15 anos, quando a filha ficou grávida obrigou-a a fazer o aborto. A filha não resistindo e veio a desencarnar devido a hemorragia. A depressão pura e simples, se não fosse a depressão pré-menstrual, com certeza poderia ser acometida da depressão pelo remorso.

Depressão pós-parto – funciona como um choque de retorno. Segundo a paciente, essa depressão surgiu após o parto da filha que hoje está com l4 anos. Esse trauma, essa ressonância ela traz daquele aborto, quando teve problemas mentais, e antes de ser internada num manicômio ficou grávida e foi obrigada a abortar. Esse fato também se liga àquele passado em que obrigou a filha de 15 anos a praticar o aborto. Então vemos duas situações de ressonância. A criança de hoje é o mesmo espírito que ela abortou antes de ser internada no manicômio naquela existência. Por isso, a depressão surgiu após o parto da filha que hoje já está com 14 anos. A situação do manicômio se deu em existência posterior, aquela em que obrigou a filha a praticar o aborto.

Personalidade invertida – o terceiro nível de Mental Superior se apresentava vestido de homem. Disse que não suporta a vida de mulher, porque sofreu muito em existência passada como mulher. Fui uma prostituta e um homem tirou-a do prostíbulo, lhe colocando em uma casa, mas ela não o respeitou e o traiu e, ele não suportando a traição me tirou a vida.

Tinha um aparelho que ligava a cabeça ao útero, colocada por um obsessor.

Então vejamos que este espírito traz um trauma por nascer num corpo de mulher e com situação que envolve sangue, é por isso que quando se aproxima de seu ciclo menstrual ela se deprime. A depressão pós-parto ocorreu após o nascimento da filha. A dor de cabeça veio de uma queda, onde bateu a cabeça em uma pedra vindo então a desencarnar.

Neste trabalho foram atendidos sete níveis de Corpo Astral, na linha do chacra cardíaco; três níveis de Corpo Astral, na linha do chacra umbilical; dois níveis do Duplo Etérico e 2 níveis de Mental Superior.

Caso 05: Silvia – 33 anos.

Data: 03/02/1999

Problema apresentado: depressão, sistema nervoso abalado, obesidade, ciúme, orgulho, compradora compulsiva com e idéias de suicídio.

Boa parte das pessoas que sofrem de depressão já tiveram idéia, pelo menos uma vez, de suicídio, que é um processo de fuga, devido ao comodismo, e a falta de coragem para enfrentar as suas dificuldades. Com certeza se não conseguir dar a volta por cima, levará essa dificuldade para o mundo espiritual, onde deverá se submeter a terapias. Possivelmente ao reencarnar trará gravado em seus níveis de consciências essa pré-disposição.

Aberta a freqüência vibratória, foram recolhidos os obsessores de imediato.

Ao desdobrarmos a paciente, ela caiu numa encarnação onde era uma espécie de rainha, e agia compulsivamente com os seus empregados, com frieza e amargura, não tendo a mínima compaixão pelo seu próximo, fazia um certo escárnio de seus subalternos, principalmente as pessoas que eram obesas, desprezava e tinha nojo de pessoas de classe inferior. Hoje ainda se mantém orgulhosa, não quer se modificar porque pensa da seguinte forma: O que os outros vão pensar se tomar uma atitude mais humilde? Ainda impera-lhe um orgulho muito aferrado.

Naquela existência como rainha descobriu que o seu marido estava lhe traindo com outra, se isolou, passando a comer compulsivamente no seu próprio aposento, perdeu o interesse pela beleza, e tornou-se obesa e depressiva, com a obesidade veio do desamor, de ser trocada por outra. O marido daquela época é o mesmo de hoje. Após essa encarnação reencarnou com o corpo disforme. Numa outra existência, nasceu com tendência a obesidade. Se nota que ela criou uma memória de obesa. Os cordões do chacra umbilicais com o cardíaco, de dois complicados níveis que estavam desligados, afetando ainda mais o emocional.

Noutra existência, veio como enfermeira e se dedicava a pessoas doentes, porque achava que a sua dedicação tornava-a imune a doação, entretanto acabou adoecendo.

Numa outra existência tudo que via queria comprar. O volume das dívidas chegou a tal ponto que levou, por desespero, o marido ao suicídio.

Pode-se notar o que está se passando hoje é retrato das suas vidas passadas, pois a depressão, a ansiedade, a obesidade e a compulsão por compras, muitas vezes difícil de saldar, tornaram a nervosa e preocupada.

Essa criatura tem que tomar consciência dos fatos, embora passados, mas que são reais, pois estão se repetindo hoje, como forma de pessoa assimilar a lição, que parece não ter bem compreendida. É mais uma oportunidade que ela tem de olhar para o seu interior e quebrar de uma vez por todas os grilhões do orgulho, a rebeldia que ainda impera dentro desse espírito. Após três anos ainda continuava obesa, ciumenta e desconfiada, não fazendo nenhum esforço para melhorar.

Caso 06: Sebastiana – 25 anos

Data: 06/02/1999

Problema apresentado: esquizofrenia tem medo da realidade e dos fatos, foge de tudo e de todos.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Estava com ela um espírito que foi seu médico numa vida passada, ocasião em que apresentava sintomas mediúnicos e devido às perturbações obsessivas foi internada num hospício. De lá fugiu e não suportando as injunções impostas pela obsessão veio a se suicidar, por enforcamento. Esse espírito médico tentava curar a paciente para terminar o trabalho que havia começado naquela existência. Na tentativa de curá-la acabava sintonizando-a a paciente com eventos onde teve problemas mentais e obsessivos, o que aparentou para a medicina ser um caso de Esquizofrenia. Numa Segunda existência desencarnou com 15 anos por problemas mentais. Numa 3ª existência, foi ator, onde era muito autêntico com os personagens que representava e acabava incorporando esses personagens na vida cotidiana, perdendo assim parte da sua personalidade, acabando depressivo e foi executado. Noutra feita permitiu-se ser embalsamado para uma experiência, querendo fugir da personalidade real, buscando como saída as o suicídio.

Mental Superior rebelde e ligações fracas de seus cordões com o Mental Inferior. Vários níveis e subníveis de consciência com os cordões dos chacras desligados entre o chacra laríngeo, frontal e coronário. Exemplo de cordões dos chacras desligados: Quatro níveis do Mental Inferior desligado; quatro cordões desligados, entre Corpo Astral e Duplo Etérico; entre Duplo Etérico e Corpo Físico, ligações na horizontal; um nível desligado, outros muito finos e fracos.

Vemos a variedade de dificuldades desarmônica que podem provocar na criatura as rupturas dos cordões dos chacra.

Quando nos apresenta um paciente que traz um diagnostico médico de esquizofrenia, há que se ter muita atenção para analisar o que se passa com a estrutura espiritual da criatura, pois nem sempre se consegue observar com clareza as ligações desarmônicas que colaboraram para o seu estado esquizofrênico. Na verdade a observação é importante quando se busca aprimorá-la e aplicá-la nos trabalhos futuros.

Caso 07: José – 22 anos

Data: 09/02/l999

Problema apresentado: Sem vontade para o trabalho, se isola, deprimido, considera-se um fracassado.

Tipo de atendimento: Mesa de desobsessão pela técnica Apométrica.

Abertura da freqüência vibratória com desdobramento anímico – causa do problema: Obsessão e Auto Obsessão.

Os obsessores que estavam com esse paciente, sintonizavam com suas vidas passadas, principalmente numa existência em que os pais não o deixavam fazer nada. Até o seu casamento foi arranjado pelos pais. Então, ele imprimiu em si a idéia fixa de inutilidade e fracasso, criando uma certa memória que reflete ainda hoje.

Numa existência anterior a esta, deu-se o contrário, o paciente é era pai daqueles que foram seus pais e não o deixavam fazer nada. Também, como pai não deixava que os filhos se tornassem independentes, para evitar que no futuro não fossem mandar no próprio pai. Trazia o estigma de outra existência quando esses filhos eram uma espécie de ditadores e o escravizaram, então, este era o seu medo, pois seus níveis de consciências sabiam quem eles eram e, não queria correr o risco de ser de novo escravizado.

Na encarnação em que os pais eram seus filhos, cometeram certas atrocidades, como mandar cortar as mãos de pessoas que fossem pegas roubando. Depois dessa vida autoritária, reencarnou paralítico. “Minha mãe era a mesma quando eram meus filhos, e meu pai era meu irmão”. Culpava-se, achava que se tornava um estorvo para a família, sentia uma vergonha ser um aleijado, como a família também. Mais tarde soube que sua mãe tentou abortá-lo. Daí traz o seu isolamento e depressão.

Autobsessão – haviam cordões dos chacra desligados. Os níveis de Mental Superior e Mental Inferior estavam obsediando o corpo físico, através do Corpo Astral e Duplo Etérico. Dois níveis de Mental Inferior estavam amarrados pelo próprio Mental Inferior e Mental Superior.

Foi marcado um retorno caso a recuperação não fosse satisfatória. Porém esse retorno não aconteceu.

Caso 08: Demétrio – 11 anos.

Problema Apresentado: rejeição a todos os tipos de verduras, legumes e frutas, não manifestava afetividade com os pais.

Abertura da freqüência vibratória com o desdobramento anímico: recolhido primeiramente os obsessores.

Mostrou uma certa resistência em vir à mesa de imediato, pois o mental superior estava comandando uma base no astral de soldados que foi desfeita com o uso de energias solares, desfazendo os seus campos de proteção, sem usar as antigas e costumeiras explosões. Hoje já não as uso mais, evitando não danificar regiões circum-vizinhas do astral, adjacente à base. Após o recolhimento dos soldados, aprisionados, foi solicitado aos elementares que construíssem um posto de socorro com muitas flores, aproveitando aquele espaço para um fim benéfico, por esse motivo não devemos simplesmente destruí-las.

Perguntou-se ao Mental Superior, por que colocava agrotóxicos nas plantações para prejudicar as pessoas? Disse que fazia aquilo porque naquele local ocorriam freqüentes roubos. O veneno era colocado nas plantações que mais freqüentemente eram roubadas, pois aquelas terras eram suas e podia fazer delas o que bem entendesse.

Hoje traz gravado nos seus níveis de consciências o fel de sua maldade, não podendo comer verduras e frutas por desconfiança de contaminação, o que é uma espécie de autopunição. Um certo remorso não expressado porque não queria se arrepender do que fez, ainda persistia em dizer que estava certo.

Numa encarnação posterior a essa, teve uma existência numa espécie de fazenda ou granja onde era proibido comer frutas ou verduras, sob pena de castigo, o feitor fazia o empregado vomitá-las.

Mental Superior – o terceiro, quarto, quinto e sétimo nível, foram desligados os cordões dos chacras laríngeo e umbilical, e se manteve os cordões do chacra cardíacos ligados e limpos. Quando o paciente ainda não aprendeu a lição, se mantêm em alguns casos, esses cordões ligados. Com certeza, este nível tinha uma ligação de uma encarnação que foi general, que não apareceu, porque acreditamos que tinha sido harmonizado com o repasse de energia dourada nos cordões dos chacras no início do atendimento que facilitou a harmonização dos níveis. Porém pode ocorrer o contrário, devido à falta de merecimento.

Corpo Astral da linha do chacra cardíaco – Indecisão. Nesta encarnação seus pais escolhiam tudo o que precisava, não tinha liberdade de decisão. Quando ficou adulto até seu casamento foi arranjado pelos pais, o que causava infelicidade da vida a dois. Foram desligados os cordões dos chacras umbilical, cardíaco e laríngeo do segundo, terceiro e quarto nível. Na maioria dos casos se desligam os cordões com os eventos traumatizantes anteriores dessa encarnação. Ele era um general, e tudo tinha que ser como ele queria, ninguém abria a boca perto dele de medo. Morreu sufocado pelos próprios soldados, presumo que são aqueles soldados que se encontravam na base. Os cordões do terceiro, quarto e quinto níveis de corpo astral, do chacra laríngeo e umbilical foram desligados daquela existência, o cardíaco foi deixado ligado, como aprendizado, porém limpo. Esses níveis, os subníveis e personalidades virtuais estavam ligados àquela existência como general. Quando ocorre um problema com os níveis, quase sempre se encontram problemas também nos subníveis, mas não é regra, assim o trabalho deve ser idêntico

Corpo Astral – houve problemas com os cordões do segundo e quarto níveis com relação à indecisão e seus subníveis também.

A indecisão está ligada à encarnação de general onde foi uma pessoa autoritária. Depois dessa existência preferiu inverter a situação. A autopunição lhe tirou a liberdade de decisão, pois seus pais faziam tudo por ele.

Duplo Etérico – o sétimo nível é o único que vem a mesa quando o trabalho é realizado à distância. O segundo e o terceiro nível foram atendidos por intuição ou desdobramento do médium. Foram desligados daquela existência em que usava agrotóxicos nas plantações, os cordões dos chacras laríngeo, e umbilical, dos níveis acima. O cordão do chacra cardíaco ficou ligado e limpo como aprendizado.

Comandava uma base de soldados no astral, porque estava investindo naquela personalidade de general, e possivelmente, alguns eram seus soldados e talvez alguns que lhe tiraram a vida em situações passadas.

Numa encarnação anterior era ele que roubava dos outros as mesmas espécies de alimentos.

Logo em seguida ao atendimento, o paciente foi conscientizado da existência de verduras sem agrotóxico, e mesmo passou a se interessar por elas.

Caso 09: Silvana – 45 anos

Data: 06/03/1999

Problema apresentado: insônia, depressão que fez tomar por três anos medicamentos controlados: Diasepan e Lorax; dor na coluna, problemas de rins; problemas menstruais; com 39 anos, se encontrava num processo de menopausa e sua menstruação sumiu, ocorrendo de 3 a 4 vezes ao dia um mal estar e um calorão que lhe subia dos pés à cabeça.

Aberto a freqüência vibratória com desdobramento anímico e recolhidos os obsessores. Em seguida passamos para o desdobramento anímico, trabalhando nos níveis de consciência da paciente, iniciando pela insônia e calorão, para buscar a raiz do problema.

Numa existência anterior passava noites acordada esperando o retorno do marido que costumava sair à noite, para visitar outras mulheres. Já estando cansada e angustiada daquela situação, resolveu dar um basta definitivo. Numa certa noite o marido retornou mais cedo, ela então, apanhou os filhos e saiu de casa, depois colocou fogo na casa com o marido dentro. A insônia ficou congelada no seu inconsciente por preocupação com o marido, o remorso lhe incomoda e o calorão, é representado pelo fogo que ela colocou na sua casa com o marido dentro, onde causou o seu desencarne. Na ocasião o marido estava bêbado.

Em outra existência, cuidava de uma casa de pessoas idosas, mas também viviam ali outras mulheres mais novas. Quando essas mulheres atingiam o período da menopausa e se queixavam desse problema, ela as trancafiava num quarto escuro, desleixando com a alimentação. Algumas vieram a desencarnar pelos maus tratos recebidos. Seu problema de menopausa e menstrual tem uma ligação com essa existência, porque não se sentindo bem quando menstruava se lembrava daquele passado em que prendia as mulheres. Apresentou-se vestido de homem o 8º nível de corpo astral, da linha do chacra cardíaco, que tinha horror à menstruação.

Em outro passado quando tinha oito anos foi estuprada pelo pai, hoje seu marido, desencarnando de hemorragia. Em contra partida, em uma existência anterior a esta foi homem e usou as duas filhas como se fossem suas mulheres. Se a mãe das meninas abrisse a boca ele dizia que a mataria. Está gravado em si o estigma menstrual. A depressão vem dessas situações e se apresenta devido remorso que o atinge.

Dor na coluna – sofreu em uma outra vida uma queda e fraturou a coluna, reclamando muito do sofrimento, por isso ainda traz algum estigma nessa área.

Rins – algumas daquelas mulheres que ela aprisionou, tinham problemas de coluna e reclamavam de dor nos rins. Hoje funciona como um bloqueio e afetando os rins.

A paciente melhorou após dois atendimentos onde foram administradas paralelamente, várias sessões de Toque Terapêutico. Em 09/03/l999 foi realizado um segundo atendimento.

Caso 10 – Paula

Problema apresentado: dor de cabeça que vem sofrendo muito tempo, dor na coluna, bronquite crônica.

Abertura da freqüência vibratória com desdobramento anímico e recolhido os espíritos que se encontravam com a paciente.

Dor de cabeça – numa existência passada levou uma queda, onde bateu a cabeça, o que originou um tumor que a levou ao desencarne. Essa queda foi provocada pelas constantes convulsões de fundo espiritual. Foram encontrados uma variedade de aparelhos na cabeça a nível espiritual. Entre o terceiro e quarto nível de Duplo Etérico, existia um obsessor com a cabeça inchada, que contribuía para a sua dor de cabeça.

Dor na coluna – provinha de uma encarnação em que foi escravo e foi muito chicoteado no tronco, guardando muito ódio do seu carrasco. Àquelas criaturas que sofrem agressões, odiando os seus agressores, trazem gravado em sim o processo da dor. Porque o seu sofrimento daquela situação já era um regaste pelos seus erros anteriores, não havendo, então, motivo para o ódio, pois em existências anteriores também maltratou os escravos. Como estamos vendo, o seu sofrimento era conseqüência dos maus tratos de seus prisioneiros em encarnação anterior. Foram encontrados aparelhos a nível espiritual na coluna.

Bronquite crônica – numa outra existência foi enterrada viva no gelo. Apresentou vários aparelhos a nível espiritual. O mundo espiritual utilizou um líquido amarelo para drenar o excesso de catarro dos pulmões e fez uma espécie de raspagem. No mesmo dia a paciente já se sentiu melhor. Dormiu bem, sem dores de cabeça e coluna.

Caso 11: Maria T. – 32 anos

Início do tratamento: l998

Diagnóstico médico: disfunção subcordical (convulsão), depressiva, a colocação é nossa.

Medicamentos: tomava um comprimido de Cardenal por dia, e depois passou para 3 comprimidos por dia, em Jul 83. Em Jan 86, em Eletro, apresentou disritmia cerebral, passando a tomar um comprimido de danol, 3 de Tegretol e Gardenal por dia. As convulsões diminuíram.

Suspendeu os comprimidos e passou a tomar um HI dantal, por dia. As convulsões continuaram, porém os comprimidos foram aumentando até cinco por dia.

Abertura de freqüência com desdobramento anímico: problema apresentado na mesa apométrica – forte obsessão e autobsessão, onde apresentou existência com magia negra que envolvia sangue com sacrifício de seres humanos.

Após dois atendimentos Apométricos teve uma boa melhora. Submeteu-se a uma Tomografia e um Eletro, com diagnóstico normal. Continuou tomando Trileptal, dois comprimidos por dia. As convulsões continuaram de duas a três por mês. Houve uma boa melhora nesse período, poderia ter alcançado uma melhora significativa há mais tempo se não tivesse abandonado o tratamento, e também o estudo mediúnico que não levava muito a sério.

Retornando para os atendimentos em Jan 1999, foram feitos mais dois atendimentos Apométricos. As convulsões desapareceram por completo. Porém continua tomando Gardenal. Talvez seja mais um problema psíquico ou psicológico que leva a continuar tomando o remédio. Formou um certo hábito, falta de fé e mediunidade não educada e trabalhada.

A falta de um apoio mais condicional pelos familiares dificultou também a recuperação da paciente. Sentiu-se que os pais estavam envolvidos na delinqüência do passado.

Caso 12: Elcio – 41 anos

Data: 13/03/l999

Problema apresentado: queimadura na língua, inchaço dos lábios à noite, dor de estômago e dor em baixo do braço esquerdo.

Abertura da freqüência vibratória: Os obsessores foram recolhidos.

Desdobramento anímico: Foram atendidos o terceiro, quarto, quinto, sexto e oitavo níveis, do corpo astral, da linha co chacra cardíaco, que apresentavam problemas nos subníveis e personalidades virtuais.

Os segundo e terceiro níveis, do corpo astral da linha do chacra umbilical; os segundo, quarto, e sexto níveis do Duplo Etérico; o segundo nível do Mental Inferior; o segundo nível do Corpo do Mental Superior. Observe quantos níveis, subníveis e personalidades virtuais, foram rastreadas neste atendimento, para poder melhor solucionar os problema imediato, pois todos de uma maneira ou de outra apresentavam alguma desarmonia.

Inchaço nos lábios e queimadura na língua e a dor em baixo do braço esquerdo: Os obsessores aplicavam à noite uma espécie de líquido que provocava o inchaço e queimava a língua. Esses espíritos foram maltratados pelo paciente em vidas anteriores, ocasião em que o paciente marcava com ferro quente o rosto dos escravos. Sobre a queimadura na língua, o mental superior mascava uma espécie de pimenta muito forte, como autopunição. Costumava amarrar os escravos acima da cintura, e por isso hoje tem dores em baixo dos braços.

Dor no estômago – vício de bebida que traz de uma outra existência que estaria se refletindo hoje.

Observou-se aparelhos a níveis astral na língua, máscara no rosto, e aparelho no estômago os quais produziam dores e desconforto.

O paciente me ligou dizendo que não tinha melhorado o suficiente, perguntando o que fazer. Recomendei aguardar mais uns três ou quatro dias, para drenar com certeza toxinas ainda existentes, impregnadas no corpo físico, deixadas pelas energias negativas dos obsessores. Caso não melhorasse aconselhei o paciente que me ligasse novamente. Com certeza melhorou, porque não ligou mais.

Caso 13: Elvira – 43 anos

Data da cirurgia espiritual realizada na casa espírita: 10/03/ 99.

Problema apresentado: Miomas. Procurou a casa espírita com objetivo de extrair os miomas. Submeteu-se a uma cirurgia espiritual. Após a cirurgia, a paciente passou a ter fortes dores estomacais, que acreditou ser conseqüência da cirurgia. Após uma semana, quando deveria retirar os pontos, foi informada que estes estavam abertos. Depois da cirurgia ter sido fechada a paciente voltou para casa, mas continuou sentir dores. Voltando para casa ainda sentiu as mesmas dores. Ela voltou à casa espírita para uma nova verificação, mas as dores continuaram. Aconselhei que voltasse a casa espírita, para se descobrir a possível causa de suas dores no estômago.

Foi submetida a um tratamento apométrico no dia 20/03/1999.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: estava com ela um espírito que foi médico numa vida passada. Em uma outra existência havia sido atendida pela paciente que então era médica, e costumava deixar as cirurgias abertas quando via que não havia solução para o caso. Esse espírito encontrando a paciente novamente, passou a maltratá-la da mesma maneira que ela costumava fazer naquela existência que era médica, e aproveitando-se dessa oportunidade em que a paciente se submetia a uma cirurgia espiritual, passou a agir abrindo os pontos da cirurgia da mesma. Ele ficava de longe e observava o trabalho que estava sendo feito na paciente, para, que pudéssemos, desfazer o trabalho logo depois. Essa era uma das causas de sua dor estomacal ou no baixo ventre.

Outras causas apresentadas: tinha uma pedra no estômago; estava também ligada a suas magias do passado, onde se preocupava em dirigir as suas magias para o estômago das vítimas. Havia níveis de consciência com inchaço no estômago proveniente das suas próprias magias. Também estava ligada a dois abortos e um dos espíritos abortados se encontrava no chacra umbilical da paciente. O quinto nível do mental superior tinha uma carne morta no estômago.

Comentário: isso nos demonstra a necessidade de nos instruirmos cada vez mais, como recomenda o Evangelho, para que casos como estes não passem desapercebidos pelos médiuns. É necessário ter uma visão ampla, para que se possa alcançar o obsessor, não se deixando apanhar pela vaidade. Temos que considerar que o mundo espiritual nos colocará à nossa disposição uma equipe de trabalho em muitas das vezes semelhante à nossa, e não uma muito superior, porque não adianta nos dar uma ferramenta mais sofisticada se nós não sabemos usá-la. Então, está ai implícito o merecimento do médium e da equipe que faz determinado trabalho espiritual. Quanto mais você se empenha, mais ajuda receberá, e se sentirá mais feliz por ver o bom resultado do trabalho.

Caso 14: Antônio B.- 22 anos

Data: 17/04/99

Problema apresentado: insônia, ausência, desdobramento, angústia, depressão, falta de apetite, idéias de fracasso.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: recolhido os espíritos que estavam com o Antônio.

Estava com o paciente um espírito que foi seu irmão gêmeo numa existência passada. Este irmão gêmeo havia se suicidado, por desgosto, porque o irmão era o preferido na família e, fazia muita chacota com ele. A obsessão impingia uma idéia de fracasso. Falta de apetite – entrou em ressonância com aquele passado em que presenciou o irmão se suicidar e não pode fazer nada, isso lhe deixou traumatizado, e deixando-se de alimentar. De certa forma se sentia culpado por não ter prestado o devido apoio ao irmão, pelo contrário ainda o deixava mais deprimido. O segundo, quarto, quinto e, sétimo níveis de corpo astral, da linha do chacra cardíaco, encontravam-se apegado aquele passado.

Insônia – o corpo astral, por medo não conseguia se afastar do corpo. Acontecia com o segundo e terceiro nível de corpo astral, da linha do chacra cardíaco. Essa situação também se deve à ressonância de uma existência em que sofria de problemas mentais, com parte psicopatológica e espiritual, apresentando um bloqueio no chacra frontal, decorrente dos problemas mentais.

Corpo Astral da linha do chacra umbilical – o segundo e terceiro nível estavam apegados ao suicídio do irmão; o quarto estava apegado a problemas mentais e inclusive com problemas de insônia.

O Mental Superior, não quer repassar informações para os demais níveis, porque não quer vivenciar esse passado. Na verdade tem medo de olhar o seu passado, por isso a negação.

O segundo, terceiro, e quarto nível de mental superior, em uma situação de passado, costumam fazer viagens astrais, sem um fim útil. Numa dessas saídas foi dominado por um grupo de magos, onde sofreu uma lavagem cerebral, quando voltou a si estava perturbado.

O segundo e terceiro nível de mental superior apresentaram o cordão do chacra frontal desligado com o corpo búdico. São ligações horizontais.

O quinto nível de mental superior estava em ressonância com a existência do suicídio do irmão. Porque não foi um bom irmão, não fez nada para evitar o suicídio, então guardava ainda o remorso.

Mental inferior – no segundo e terceiro níveis, os cordões do chacra laríngeo se encontravam desligados com o chacra frontal.

Duplo etérico – o sétimo nível possuía um capacete e um aparelho na cabeça que foi desintegrado.

A depressão se associava ao irmão que se mantinha ligado a ele passando-lhe perturbações e ressonâncias. Vive hoje sintoma de fracasso. Num outro passado, tinha idéias de ser um escritor, mas as pessoas não acreditavam nas suas idéias, o achavam meio louco, por esse motivo veio a se refugiar na bebida. Estavam apegados a este evento os terceiro, quarto, quinto e, oitavo nível de corpo astral, na linha do car­díaco.

Caso 15: Nelson – 56 anos

Data: l5/05/1999

Problema apresentado: - ansiedade, pressão alta, diabete, o assoalho de sua casa incha e os tacos levantam, acontecendo somente em duas peças, pessoais que mora na casa estão sempre doentes.

Abertura de freqüência com desdobramento anímico: Apresentou-se um obsessor doente, com dor no coração. Que havia morrido de enfarto. O espírito disse que encontrou a paciente no hospital, onde ela trabalha como voluntária. A paciente fora um médico em existências passadas onde se negava a tender pessoas pobres.

Existia uma base espiritual em duas peças da sua casa, uma espécie de salão, onde se encontravam espíritos dançando. Um dos problemas sobre os tacos que inchavam, eram em conseqüência dessa base e a existência de médium de efeito físico na casa. Mas isso pode ocorrer sem a existência de tais médiuns de efeito físico no local, pois os espíritos podem buscar fora do ambiente a energia necessária (o ectoplasma) para os efeitos físicos; as paredes da casa apresentavam energias negativas com sujeiras.

Pessoal doente em casa: Os espíritos doentes que encontraram a paciente no hospital vinham juntos com a mesma, para que ela os ajudasse; pessoal da casa traz também a mediunidade que facilita a sintonia. Esses espíritos doentes acabam passando suas energias negativas para o pessoal de casa. O pessoal de casa são também àqueles doentes que ela não quis atender como médico naquela existência. O consciente físico (a paciente) nem sempre gosta de ir ao hospital trabalhar, por que lá se sente pior, devido à ressonância com sua existência passada, em que fora um médico, muito ambicioso, que visava somente o dinheiro, não atendia paciente pobre, mesmo porque diz ela, se não tinham dinheiro para comprar medicamento, para que receitá-lo. Então, quando vai ao hospital, os seus níveis de consciência se lembram do episódio do passado, daí vem a ansiedade, o remorso, trazendo um certo transtorno de desempenhar essa tarefa de caridade

Pressão alta: Os espíritos doentes que estavam com ela com parada cardíaca e um aparelho implantado no coração. A pressão sobe quando visita os doentes no hospital, é como se lembrar daquele lugar quando ela era um médico.

Diabete: Um aparelho instalado na corrente sangüínea que alterava a taxa de glicose no sangue.

Níveis de consciência atendidos: O segundo, terceiro, quarto, sexto, níveis do Corpo Astral, da linha do chacra cardíaco.

Corpo Astral da linha do chacra umbilical – segundo, terceiro, níveis, vivenciando a existência de médico. O quarto nível estava ansioso, como se fosse uma fuga estar lá no hospital. Estar lá e não gostar de lá estar.

Duplo Etérico – o segundo, terceiro, sétimo, nível, estavam com aparelho no coração.

Mental Inferior – segundo, quarto, nível, estavam com aparelho no chacra cardíaco, colocado pelo Mental Superior, como autopunição.

Mental Superior – segundo, terceiro, sétimo, nível, não se sentiam bem quando estavam de serviço no hospital.

O consciente físico vê o sofrimento dos doentes e não pode fazer nada, então lhe angustia. Porque uma vez podia fazer e não fez. Então lhe vem o remorso.

Caso 16: Ilda – 40 anos

Data: 08/05/1999

Problema apresentado: dificuldades de tomar decisões, de demonstrar afetividade, de concentração, com o filho, medo, pânico de não dar certo as coisas, gosto pela bebida, muito negativa.

Abertura da freqüência vibratória com desdobramento anímico: os espíritos que estavam com a paciente foram recolhidos.

A dificuldades de toque se deve as emoções cortadas. O cordão do chacra umbilical estava desligado do chacra cardíaco, dos segundo, e terceiro nível, do Corpo Astral.

Teve uma existência em um bordel, onde vivia muito alegre apaixonou-se por um homem, que a tirou do bordel, mas não se casou com ela, pois não acreditava que ela o amava, mas casou-se com outra.Essa atitude a levou ao suicídio.

Teve uma outra existência em que se encontrou com o mesmo homem. Nessa existência não demonstrou seus sentimentos, se mostrando indiferente. Foi religado os cordões do chacra umbilical com o cardíaco, do quarto nível do Corpo Astral da linha do chacra cardíaco. Essas ligações emoções inferiores e superiores cortadas, causava uma desarmonia sentimental.

Teve uma existência autoritária, nessa existência enviou o seu filho de hoje para a forca. Essa era a dificuldade principal de relacionamento com esse filho. Era uma pessoa sem sentimentos, terminou essa existência com remorso, tristeza e solidão. Como os cordões dos chacras das emoções estavam cortados, em decorrência dessa anormalidade, ocorreram muitas dificuldades afetivas.

Mental Superior – o segundo e o quarto nível, apresentavam os cordões do chacra umbilical e laríngeo ligados sem passar pelo chacra cardíaco, portanto a ligação estava incorreta, pois são energias diferentes, e que ocasionam mais desarmonias na parte do emocional. Esses dois níveis se mantinham isolados dentro de uma cápsula.

Dificuldade para tomar decisão –medo de cair novamente no erro. Traz essa dificuldade da encarnação onde era autoritário. O sétimo, oitavo nível se mantinham apegados a essa existência, e o oitavo nível se apresentava vestido de homem para não mostrar seus sentimentos femininos o que expressa uma forma de fuga.

Medo e Pânico – foi deficiente físico numa outra existência, era protegido pelos pais, quando esses desencarnaram, ficou desamparada. Essa vida foi o reflexo do seu passado autoritário. Os níveis apegados a essa situação, o quarto, quinto, sexto, do Mental Superior.

Gosto pela bebida – conseqüência de um desgosto. O cordão do segundo, terceiro e quarto nível do Mental Superior, do chacra umbilical e cardíaco se encontrava desligados. Na existência em que era deficiente, caiu no vício da bebida por viver quase abandonado após a morte dos pais. Nesse caso, os únicos cordões ligados eram o umbilical e o laríngeo.

Caso 17: B. W. – 29 anos; R. A. L. – 25 anos; J. – 8 anos;

V. – 5 anos; K. – 4 anos;

Data do 1º atendimento – 14/11/98

Problema apresentado: fogo espontâneo dentro de casa, destruindo os móveis da casa, a menina mais velha a J. é a mais assustada com o que está acontecendo, são de uma família evangélica e o pastor expulsou –os da Igreja.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: A J. foi vítima de seus pais de hoje, na época da inquisição, foi queimada junto com os espíritos que estão lhes auxiliando hoje na magia que provoca o fogo. Isso é fruto de vingança dos espíritos mancomunados com a menina, contra os pais da mesma. A J. é médium de efeito físico (Telecinésia).

Numa vida passada ela queimou a sua casa com ajuda desses espíritos e não se queimou. Para esse trabalho eram as energias da natureza, as Salamandras, provocado pelo ectoplasma da menina com as energias dos espíritos. São usadas as energias dos chacras básico e frontal.

Numa certa existência fazia uma espécie de ritual com o fogo usando as energias da natureza, as Salamandras, ajudado por espíritos afins, com a finalidade de poder. Nessa encarnação perdeu a visão devido a esse tipo de magia, pois usava em demasia o chacra frontal.

Esse grupo de espíritos obsessores que estão usando a menina para esse trabalho, são especialistas no assunto. Claro que em conluio com os níveis de consciência da menina. Já trazem essa experiência de outras situações, desenvolvidas no plano físico e astral. Basta que o consciente físico da menina pense em fogo ou gelo para produzir esse efeito. Ela se protege com uma camada de gelo, e seus familiares não são atingidos pelo fogo devido à alta vibração e orações.

Esses espíritos estavam em simbiose com os níveis de consciência da J. O sétimo nível de mental superior, o sétimo nível de corpo astral, na linha do chacra cardíaco, o sexto nível de corpo astral, na linha do chacra umbilical e o sétimo nível de duplo etérico. Usando para isso o poder mental. Essa operação é rápida, levando de segundos ou minutos.

Não sabemos quanto tempo à médium leva para se reabastecer das energias necessárias para que esse efeito se concretize novamente.

Essa característica de produzir o fogo é mais forte até a idade de 15 anos, segundo os espíritos, não é uma afirmativa. Seria necessário conversar com os familiares para se concluir alguma coisa mais precisa.

O sétimo nível de corpo astral da linha do chacra cardíaco, junto com o sexto nível de corpo astral da linha do chacra umbilical, se apresentava como os mais rebeldes. Para facilitar a doutrinação, foi aberto o chacra laríngeo com a finalidade de drenar boa parte das energias negativas que lhes davam sustentação, armazenadas nos seus chacras.

O mental inferior utilizou uma cápsula lilás e azul para se proteger, pois não queria participar desse trabalho de magia.

O trabalho Apométrico consistiu em doutrinar os obsessores encaminhá-los. Os níveis de consciência foram também doutrinados e harmonizados.

2º Atendimento em 12/12/98

De primeira mão veio à mesa a filha mais nova K. que se encontrava acorrentada pela mãe R., porque não quis cooperar com a mãe nesse trabalho de magia, de fogo espontâneo.

Foi necessário um segundo atendimento para tentar resolver o problema dessa família, como vamos ver mais adiante.

A Segunda a vir à mesa foi a R. em nível de Mental Superior, dizendo que não queria fazer parte daquela família, existindo aí uma auto obsessão por parte do Mental Superior.

A intenção dos obsessores era amedrontar e assombrar os moradores daquela casa através do fogo espontâneo, como também poderia ser através de outros artifícios, mas como a ligação desses espíritos se deu pelo fogo, hoje estão usando o mesmo processo em que foram queimados pela R., numa encarnação que por ciúme e traição de um homem que hoje é sua filha mais velha, mandou queimar toda uma vila. Neste caso, mãe e filha são médiuns de efeito físico e, cada uma tinha um grupo de espírito com a mesma especialidade.

Há necessidade segundo o espírito Nahi, com quem sirvo de canal para cura através do Toque Terapêutico, que cada uma das pessoas dessa família sigam um caminho religioso, para evitar que isso volte acontecer e, muita conscientização de todos, porque o processo do fogo pode não acontecer mais, mas outros eventos similares podem ocorrer.

Caso 18: Nara – 3 anos

Data: 20/07/1999

Abertura de freqüência vibratória com desdobramento anímico: atendimento à distância.

Problema apresentado: alergia por todo o corpo; alimenta-se precariamente, rejeitando legumes, frutas e leite; alimentação de frutas se processa da seguinte maneira: quando resolve comer banana, passa um semana comendo só banana, não aceitando outras frutas naquele intervalo, depois resolve comer maçã o processo é igual, mas isso muito precariamente, acorda gritando e exigindo muito a presença da mãe, recentemente surgiu a bronquite.

Numa existência passada era filho de nobre, e desde pequeno foi acometido por uma doença desconhecida, vivendo dentro de uma espécie de redoma, não podendo sair dali, por medo de ser uma doença contagiosa, devido à coceira. Era alimentado por uma equipe de servos, que provavam a comida antes de ser administrada ao paciente, para evitar talvez o envenenamento, devido os cuidados que tinham naquela época com pessoas nobres, tinha um mestre que coordenava essa tarefa, estava também acometida de uma doença de pele, uma espécie de uma alergia. Desencarnou ali com 10 anos. Supomos que uma parte da alergia venha dessa encarnação.

Hoje se reuniram os mesmos serventes do passado, inclusive os mestres coordenadores da alimentação, porém a nível astral. Só é dado o que ele recomenda.

Essa alergia ela traz como resgate de uma existência em que trabalhava com magia negra usando sangue nos seus trabalhos, inclusive bebia. Onde fez um pacto com o tal mestre para se sentir mais ativo.

Após essas existências de magia, reencarnou trazendo como doença a leucemia. Então, a existência em que vivia dentro de uma redoma, fazia parte do resgate da existência em que trabalha ou com magia e a leucemia também vêm daí.

A bronquite – existia um aparelho nas vias respiratórias.

Níveis tratados: Corpo Astral da linha do chacra umbilical, segundo, terceiro, apegados à magia e a existência da redoma. Terceiro, quarto, apegados a doença leucemia.

Para se ter uma idéia foram rastreado os seguintes níveis de consciência:

Corpo Astral da linha do chacra cardíaco –segundo, terceiro, quarto, sexto, sétimo e oitavo.

Mental superior – segundo, terceiro, quinto e sétimo.

Mental Inferior – segundo e terceiro.

Duplo Etérico – segundo e sétimo.

Quando são rastreados os níveis, também são visualizados os subníveis e personalidades virtuais.

2º Atendimento, dia 14/08/99.

Após o primeiro atendimento teve uma pequena melhora, passando a se alimentar melhor, já comendo alguns legumes, mas pouco ainda. Ninguém muda os seus hábitos alimentares de um dia para outro.

Quadro apresentado – ainda permanece a coceira, coçando-se durante a noite até sangrar; acorda assustada. É tímida e desconfiada. Estes dois últimos quadros já existiam no primeiro atendimento, só não foram apresentados na papeleta de atendimento. Essa coceira parece que se tornou uma idéia fixa no consciente físico, como se tivesse que coçar, um automatismo.

Corpo Astral – a desconfiança vem da desarmonia com a mãe, quando a mãe em existência passada lhe entregou para ser queimada na fogueira coma bruxa. Primeiro se utilizou seus serviços, depois, quando não mais precisou entregou-a para os carrascos da inquisição.

A coceira – vem de níveis ainda apegados ao caso da redoma, e a lembrança da fogueira, e a existência de níveis no umbral presa e amarrada por um obsessor.

Assustada – níveis de sua mãe rebeldes, sintoniza a paciente com os seus eventos de passado, com o caso da fogueira, por esse fato não consegue dormir um sono tranqüilo.

Corpo Astral, da linha do chacra cardíaco – oitavo nível se encontrava no umbral amarrado, comprometendo ainda mais a coceira, devido à região poluída que se encontrava este nível.

Mental Superior – o sexto subnível, ainda apegado à existência da redoma. Também apegado à existência da redoma, a sexta personalidade virtual, do terceiro subnível, do sétimo nível. Fez-se necessário esse rastreamento, com o fim de eliminar todas as desarmonias possíveis.

Mental Inferior – o segundo nível com aparelho no estômago comprometendo ainda mais a coceira, devido à região poluída que se encontrava.

Todos os níveis da linha eixo do oitavo nível de corpo astral estavam apegados à existência da redoma.

Os cordões dos chacra umbilicais e cardíacos estavam desligados com sua mãe, trazendo uma certa rejeição pela desarmonia trazida do passado e também pela obsessão por parte dos níveis de sua mãe. Encontramos um obsessor no chacra cardíaco produzindo sérias desarmonias para a paciente.

Corpo Astral da linha do chacra umbilical – o segundo e terceiro nível estavam apegados à existência em que foi queimada pela inquisição. Tudo isso gerava coceira e insegurança.

Duplo Etérico – terceiro, quarto e sétimo nível foi dado um banho com água crística, e uma intensa aplicação de cromoterapia.

3º Atendimento em 14/09/99

Novos problemas apresentados: - a coceira, ainda continua, mas com menor intensidade, pois ela adquiriu o hábito de se coçar e assim continua se coçando por automatismo. É como se ela tivesse adquirido o hábito de coçar.

Tem visões de um ladrão amarelo, segundo ela, é magro e alto.Vê também uma bruxa, que diz vir buscá-la. Acorda às 22:00 horas e às 02:00 horas.

Abertura de freqüência vibratória com desdobramento anímico – incorporou um nível de Mental Superior, muito agigantado, com posição de mando, mostrando muito orgulho. Ligado a uma existência com certa arbitrariedade, em que prejudicou muitas pessoas que dependia do seu trabalho. Aprisionando seus comandados com argolas e correntes. Hoje sente muita coceira nessas regiões onde costumava acorrentar as pessoas. Não tendo um final satisfatório nessa existência, pois era muito autoritário. O ladrão magro e grande que via, era o seu próprio Mental Superior, que estava grande demais, sugando as energias de outros níveis.

A bruxa que vem buscá-la – trabalhavam juntas com magia negra em outra existência, preparava um líquido rejuvenescedor, que vendiam para pessoas que se interessavam. Esse líquido era passado na pele e também ingerido. Vendeu para essa que se diz Bruxa, hoje, que era sua parceira, mas com as fórmulas adulteradas, vindo a lhe prejudicar imensamente, causando-lhe sérios problemas de pele e depois morte.

O mundo espiritual realizou-lhe uma drenagem de energias perniciosas, acumuladas no fígado dos níveis de consciência afetados pelo choque de retorno.

Numa outra existência, contava com 20 anos de idade, foi acometido de uma doença (câncer de pele) que provocava a queda de todos os pelos do corpo, sua pele não tinha aparência normal, era como se não tivesse sangue no corpo, além disso, tinha muita coceira, como se um bichinho estivesse caminhando seu corpo. Desencarnou após três anos em conseqüência dessa enfermidade. Plasmou nos órgãos do corpo físico a sua maldade, como uma espécie de remorso.

Teve uma existência onde embalsamava corpos vivos e mortos, nessa existência manipulava produtos químicos, sem o devido conhecimento. Quando chegou ao mundo espiritual, por rebeldia não aceitou o tratamento no charco de Lama Ácida, para drenar as energias negativas dos níveis perispirituais afetados pelo câncer. Hoje ainda traz os resquícios de sua rebeldia que são representadas pela a coceira. No tratamento de hoje, foi necessário dar um banho de lama ácida nos segundo, terceiro, quarto, quinto, sexto e sétimo níveis do Mental Superior, e substituir algumas células doentes, como uma reprogramação celular.

Corpo Astral, da linha do chacra cardíaco – os segundo, terceiro, quarto, quinto, sexto, sétimo e oitavo, níveis, foram desintoxicados pelo mundo espiritual. Os níveis tratados pelo mundo espiritual, neste caso, foram à base de Leyse, e usou-se um gel prata e violeta. Foram também substituídas algumas células doentes e colocadas junto às demais células protótipos. Já os segundo, quarto, quinto e sétimo níveis, vivificaram o câncer de pele, com o desapego daquela existência. Foram aplicadas cores violeta clara, violeta escura e amarela limão.

Corpo Astral da linha do chacra umbilical – os segundo, terceiro, quarto e quinto níveis foram desintoxicados pelo mundo espiritual e, desapegando-os da existência da magia. Realizou-se o mesmo processo anterior, com exceção à substituição de células doentes. Deu-se um banho de Água Crística nos sexto e sétimo níveis.

Há níveis que não se consegue atrair para a mesa, porque eles se mascaram, não querendo ver os seus erros traumatizantes, preferindo continuar sofrendo com remorso.

Duplo Etérico – foi realizado uma desintoxicação do corpo, segundo, terceiro, quinto e sétimo níveis, referentes o passado da magia. É como se o físico já estivesse se acostumado com a coceira. Porque quando eu tive oportunidade de fazer o bem, não fiz, enganava as pessoas com àquele líquido rejuvenescedor, que na verdade não funcionava.

Mental Inferior – foi dado um banho de lama ácida pelo mundo espiritual, nos segundo, terceiro, quinto e sétimo níveis. No quarto e sexto foi passado um violeta forte.

Consciente Físico – se a costumou a dizer que está com coceira, como um reflexo condicionado. Foi passado no sexto nível uma cor prata e violeta. O sétimo nível pensa que tem que se coçar, porque a coceira esta ali como uma autopunição. Foi realizada uma desintoxicação do fígado.

Esse trabalho foi realizado a distância, nem sequer conheço os pais. O pedido chegou as minhas mãos por terceiros. Parece não haver um empenho pela cura alternativa por parte dos pais. Porque às vezes se faz necessário à presença do paciente a casa espírita para o devido atendimento. Facilita o trabalho pela equipes espirituais, que já está pronta e aparelhada na casa espírita facilitando em tudo o que for possível para um melhor atendimento. Muitas pessoas acham que no mundo espiritual tudo acontece com facilidade e que é só estalar os dedos e as coisas acontecem. Sabemos que eles também têm as suas limitações.

Após este último atendimento não tivemos mais contacto com a paciente.

Caso 19: Emanuel – 27 anos

Problema apresentado: medo de tudo e até de amar, crise de identidade (não sabe o que é), imagina uma mulher e vê essa mulher tendo intimidade com outras pessoas, mas essa outra pessoa é ele próprio, daí entra em crise e se deprime.

Abertura da freqüência vibratória com desdobramento anímico: apareceu um espírito de mulher que estava em simbiose com o paciente, para complicar a sua vida. Nós éramos marido e mulher, ele desencarnou novo e, passou a me obsediar, não deixando eu casar com ninguém, então hoje estou retribuindo o mesmo que ele fez comigo, deixei vários níveis dele vestidos de mulher.

Corpo Astral – crise de identidade. Em uma existência passada eu era psicopata, até um certo ponto tudo ia bem, mas depois surgiu as crises, matava as pessoas e dizia que não era eu, agia na área sexual das vítimas. Apresentou um nível que freqüentava o vale do sexo, trazendo de lá muita desarmonia e, lá tanto fazia ser mulher ou homem, não se tinha identidade. Esse desequilíbrio de hoje é conseqüência da encarnação como psicopata. Trago também um remorso de quando fui obsessor daquele espírito que estava em simbiose comigo. Desencarnou ainda novo, através do suicídio, de vergonha por ter sido descoberto praticando bestialidade.

Mental Superior dizia – não querer compromisso com ninguém, porque na verdade não sabe quem é. Às vezes me apresento como mulher. Vemos aí um desequilíbrio interior muito grande, como personalidade dupla.

Mental Inferior – níveis ainda com desconfiança, insegurança. Protegia-se com uma cápsula, para não se contaminar com os demais.

Duplo Etérico – níveis vestido de mulher, vibrando uma polaridade invertida, trazendo uma certa desarmonia nos relacionamentos afetivos.

Vários cordões dos chacras desligados, e várias linhas com nós.

Caso 20: Clara – 20 anos (Evangelho XI – 8)

Data: 09/01/200l

Problema apresentado: dificuldade de concentração e memorização irrita-se com facilidade.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Estavam com ela espíritos com paralisia cerebral e também níveis de consciências com o mesmo problema. Esses espíritos e níveis estavam dentro de uma base comandada por um mago. O mago disse que Clara, em vidas passadas, produziu um vírus no astral prejudicando todo o seu grupo. Ela colocava microorganismos no cérebro das pessoas, a nível astral que paralisavam a mente, deixavam as pessoas com dificuldades de raciocínio e concentração. Esse trabalho foi realizado pela paciente em seus trabalhos de magia em existência passada.

Eu usava energia densa a enchia de vírus e transportava-a para a mente de quem eu queria prejudicar. Para que eles não notassem, eu usava a hipnose, com ajuda de magos do astral. Provocava uma lesão cerebral, em conseqüência da retirada do oxigênio, e os neurônios iam morrendo gradativamente. A paciente apresentou nível com paralisia cerebral.

Traz dentro de si o remorso de seus erros. Acha que não tem o devido a merecimento para aprender. Sente um peso na cabeça, devido os conhecimentos que não quer passar adiante.

Um de seus problemas eram informações que não chegavam até o consciente físico, vinda do Corpo Búdico, dificultando o seu raciocino e concentração. Em certos momentos tinha um branco como se seus pensamentos apagasse de um momento para outro. Constatou-se que havia uma placa de metal na cabeça do mental inferior que provocava o problema. Foi reativada a memória do corpo físico através de um aparelho astral. A paciente traz mediunidade. Foram harmonizados os cordões dos chacras.

Geralmente os problemas relacionados à memória, como esquecimento, dificuldade de aprender, ligados a conhecimento se encontram no mental inferior, podendo estar, também em outros níveis.

Caso 21: Geni – 56 anos

(Evangelho XVIII – nº 10)

Data: 09/01/200l

Problema apresentado: acha que foi um soldado Romano, que vigiava os outros; tinha nojo de homem nu, quando pisa em cerca caída lhe vem uma saudade mas não sabe do quê, gosta do cheiro de folhas de cidreira e quando sente esse cheiro gosta de esmagar a erva em suas mãos; tem problema de coluna e pernas, está sempre preocupada, e tem mania de perfeição.

Aberta da freqüência vibratória com desdobramento anímico: Estava em simbiose com a Geni um espírito que foi em existência passada um soldado Romano, o mesmo foi encaminhado. Geni em existências passadas gostava de fazer coisas além do necessário para aparecer e ser merecedor de um posto que almejava, para isso não media esforços como entregar, outras pessoas. Queria subir se agarrando nos defeitos e fraquezas dos outros, mas o cargo foi dado para outro, desgostoso suicidou-se com uma corda no pescoço.

Posteriormente reencarnei como mulher, mas não me considerava assim, me parecia mais com uma amazona, forte como um homem, era assim que me considerava. Nessa vida fracassei como mulher, porque o meu espírito trazia a predisposição para a forma masculina e não em um corpo de mulher. Queria provar para mim mesmo que eu podia ter um cargo de homem, por isso me portava assim. Gostei de uma outra mulher e me relacionei com ela, mas ela acabou gostando de um homem, um dia encontrei os dois juntos e acabei os matando. Por isso, tenho nojo de homem nu, fui traído por um homem. Foi à maneira que os encontrei juntos.

Essa paciente plasmou nos seus níveis de consciência órgãos de homem, que dificultavam em muito o relacionamento com o sexo oposto, pois se considerava mais homem do que mulher, devido a essa influencia que os níveis exercem sobre o físico.

Quando eu ia visitar a minha amante naquele passado, eu passava por cercas caída e, por isso a saudade, quando hoje, encontro cercas caídas sinto saudades de alguma coisa que não consigo identificar.

O gosto do cheiro da erva cidreira, se prende a uma vida passada em que usava ervas para cheirar como alucinógeno. Ela (ele) usava outras ervas e não cidreira. Devido à utilização dessas ervas acabou tornando-se impotente. Essa erva funciona com uma anestesia, por isso a passava por várias regiões do corpo.

Caso 22: Lena – 40 anos

Data: 09/01/200l

Problema apresentado: conflito com o filho; dor de cabeça; taquicardia; dor nos quadris e nas pernas, medo de lugar fechado, gosto pela mentira, medo de altura; solidão.

Abertura da freqüência vibratória em seguida o desdobramento anímico:

Estava com a Lena um espírito que a induzia a mentir. Segundo esse espírito, foi através de uma mentira de Lena que foi enforcado em uma existência passada. Por esse motivo estava prejudicando-a.

Lena tinha níveis de corpo astral habituado à mentira. Numa existência passada eu mentia para sobreviver, alguém me pagava para mentir. Um dia perdi a língua, por causa de uma mentira que fiz ao Rei. Esse Rei é meu filho hoje. Por isso a dificuldade de relacionar-me com ele, pois a Lena não havia perdoado o Rei pela perda da língua. Em outras épocas ela costumava cortar as mãos das pessoas que eram pegas roubando, e também os braços, por isso hoje tem uma tendência a cleptomaníaco e também a influencia daquele espírito.

Dor de cabeça – ressonância de uma existência passada onde teve um tumor na cabeça.

Taquicardia – falta de perdão, angústia e ódio, não tinha ainda perdoado o Rei. Aparelho dentro dos ossos.

Dor nas pernas – má circulação, aparelho dentro dos ossos.

Medo de lugar fechado e de altura – foi trancado em uma torre por muito tempo pelos seus familiares por discordância religiosa. Em contra partida trancou um filho seu em outro passado, porque ele tinha problemas mentais e por isso sentia vergonha dele, essa foi uma forma de resgate.

Medo de morrer – vem da mentira e da promessa mediúnica que não está sendo cumprida, isto é, em socorrer os espíritos que lhe vêem pedir ajuda.

A Insegurança – vem das mentiras, pois todo o mentiroso é inseguro, pois pode ser descoberto a qualquer momento e, porque o mentiroso não sabe o valor da verdade.

Solidão – vem do lugar onde foi trancafiada. Estava com um aparelho no cardíaco que lhe trancava a respiração.

Caso 23: Carlos – 29 anos. Evangelho Cap XIII – nº 11

Data: 09/01/200l

Problema apresentado: estressado; esclerose múltipla; depressão; problemas de dentição; espasmos (contração dos músculos); amnésia; falta de equilíbrio; labirintite; tontura; problema auditivo e vômitos.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: estava com a paciente uma base de espíritos. As gengivas estavam com aparelhos com se fossem agulhas. O mental superior da paciente fazia parte dessa base de espíritos que agia no astral. Diz esse nível de consciência que não gosta do corpo físico, por isso colocou um aparelho que provoca a tontura, desânimo e depressão, também não gosta da profissão do físico. Foi um médico e matava as pessoas através da eutanásia, fazia por vingança, pois quando estava estudando para ser médico zombavam dele, achavam que nunca iria conseguir se formar médico, passou muita humilhação. Quando eles caíram em suas mãos aproveitou para humilhá-los. Tinha um aparelho colocado no lado esquerdo de sua cabeça que lhe provoca a amnésia e a sensação de esclerose múltipla.

Trabalhou no passado com magia onde usava crânios de humanos. A cabeça de certos níveis de consciência parecia oca e com problema de memória, em conseqüência dessas magias. Ainda existia o altar cheio de crânios, o qual foi destruído.

Vômito – estava com um aparelho no estômago. Energias negativas acumuladas nas mãos, provenientes da mediunidade não trabalhada, ou não trabalhada convenientemente. Aparelho na cabeça. Existia entre o sexto e sétimo nível um espírito retorcido.

Tontura – devido ao desdobramento e a presença de vírus na corrente sangüínea. O desequilíbrio vem da encarnação de médico e de um aparelho no útero. No mental inferior os neurônios estavam enfraquecidos. Numa existência no Egito, se submeteu à hipnose, uma espécie de regressão e perdeu a memória. Em existências anteriores fora hipnotizador. Essa perda de memória fora um resgate do mau uso da hipnose. Amnésia, em conseqüência da hipnose, parece que somente um lado do cérebro está plenamente funcionando e isso reflete no cérebro físico, isto quer dizer que a hipnose afetou níveis de consciência que ainda estavam ligados aquela existia. Passaram a fluir mais tranqüilamente as informações que vem do corpo búdico, com objetivo de auxiliar a vida do encarnado, que antes do atendimento estava interrompida.

Foram realizados mais dois atendimentos, onde se apresentaram níveis de mental superior, rebelado, com um quadro diferente do primeiro. No terceiro atendimento, ainda trazia uma certa rebeldia, mas, após o esse atendimento não soubemos como ficou o quadro final dessa paciente.

Caso 24: Dorinha -19 anos

Data: 13/01/2001

Problema apresentado: convulsão; autoritarismo; dificuldades de relacionar-se com as pessoas; apreensão; dificuldades de aprendizagem; sonolência; não termina as atividades que inicia.

Aberta a freqüência vibratória em seguida o desdobramento anímico: encontrava-se com a Dorinha, um espírito que se dizia ser uma mulher que lhe importunava.

Os níveis de consciência não aceitam esta encarnação, querendo voltar o mais rapidamente para o mundo espiritual, se desligando da encarnação presente. Foi retirado um aparelho instalado na cabeça e nos cordões. Seus níveis de consciência são muito rebeldes querendo fugir dos seus compromissos terrenos. Afirma que seus amigos estão no mundo espiritual lhe esperando.

Em existência passada foi um governador muito severo, sente falta deste mando, porque hoje não tem ninguém para mandar. É uma pessoa desconfiada que precisa mudar, se não acreditar em ninguém, não vai acreditar nem em si mesma. O aparelho implantado na cabeça dificultava o seu aprendizado. Como numa vida passada, não passou os seus conhecimentos para outras pessoas, hoje tem dificuldades de aprender. Geralmente quem egoisticamente não divide, não passa os seus conhecimentos em uma existência, pode trazer sérias conseqüências mentais em encarnações futuras, como é o caso de dificuldades de aprendizagem, acompanhada de um processo de auto punitivo.

Segundo atendimento: 02/02/2001

Problema apresentado: dores na cabeça, na coluna e nas pernas; ansiedade; remorso; medo da água; medo do escuro; sensação de prisão e insegura.

Abertura da freqüência vibratória com o desdobramento anímico:

Dor de cabeça, dor na coluna, dor nas pernas – estava com a paciente um obsessor com a cabeça aberta, disse que foi a paciente que abriu a sua cabeça quando foi médica em existência passada. Praticava aborto, entre outras coisas, na época em que exerceu a profissão de médico. Foi muito dinheirista nessa vida.

Remorso, medo d'água, medo do escuro – não gosto de escuro porque os espíritos que foram abortados por mim na profissão de médica, não me deixam em paz; o escuro não me faz bem e fico ansiosa.

Insegura e sensação de prisão, ansiedade – em outra existência costuma deixar o meu marido trancado num quarto porque ele tinha uma doença ruim, dessa vida eu trago o remorso.

A paciente tem uma divergência com ela mesma que precisa corrigir, através do autoconhecimento.

Caso 25: Júlia – 25 anos

Data: 13/01/2001

Problema apresentado: não consegue se sentir à vontade com o seu marido, não consegue se entregar por inteira, pois foi muito reprimida quando criança, em uma festa houve um estupro de uma criança que mexeu muito com ela.

Aberta a freqüência vibratória em seguida o desdobramento anímico:

Estava com ela um espírito que dizia ser seu marido de outra vida, e a controlava. Colocou um cinto de castidade debaixo da cama para ela se lembrar do seu passado.Em existência passada esse espírito foi seu marido, costuma colocar um cinto de castidade, mas mesmo assim a paciente o traiu. Em uma existência anterior foi estuprada quando criança, por isso a cena do estupro naquela festa lhe chocou muito a ponto de ter uma certa reserva no ato sexual, quando os seus níveis de consciência lhe passam a lembrança do estupro. Mas em outra existência fora um homem que comentava que a mulher era como um animal que se usava quando queria. Existia nível vestido de homem como forma de autopunição, a lembrança daquelas traições lhe traz o remorso, não se conformava com aquele ato.

O espírito que estava com ela mostrou o seu passado, fazendo lembrar o momento de sua vida íntima, também o cinto debaixo da cama, tudo o que dificultava o seu relacionamento integral com seu marido, pois relembra o seu passado. O estupro também dificultava esse relacionamento sexual com seu marido, devido às lembranças que estavam vivas no seu inconsciente e subconsciente.

Agora sabendo de onde vêm às dificuldades pode se trabalhar e se superar com facilidade, porque o forte trauma já foi amenizado com as lembranças e a conscientização de todo o agregado espiritual e humano.

Caso 26: Margarida – 55 anos

Data: 13/01/2001

Problema apresentado: ansiosa, impaciente, dor na coluna e no pescoço, pressão alta.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Estava com aparelho no pescoço colocado pelo obsessor, este obsessor havia sido enforcado pela paciente em outra existência. A paciente fora um homem naquela existência do enforcamento que não era ust nos seus julgamentos, não lhe fazia diferença enforcar um culpado ou inocente. A dor na coluna é conseqüência dessa existência.

Pressão alta – um aparelho controlador da pressão que se liga à cabeça. Esse problema é causado pelo ódio e mágoa que sentia quando via alguém bem, feliz em outra vida. Tinha ódio do marido e dos filhos que viviam ao seu redor, pois sabia que esses familiares estavam com ela naquela existência para resgatar alguma coisa e isso não lhe fazia bem. Não aceitou o resgate, pois não aceitou viver com pessoa que tinha dívidas. Notou-se ainda a existência de uma certa rebeldia no seu agregado espiritual que precisa ser trabalhada de forma gradativa. De posse dos fatos do seu passado, pode compreender melhor o que está passando, fazendo uma auto-análise, podendo fazer novos programas para a sua vida.

Caso 27: Márcia E.– 25 anos

Data: 13/01/2001

Problema apresentado: dor nas pernas, sensação de vazio, tristeza, insegurança, medo de errar, decidir, altura e de morrer. Solidão e ciumenta.

Aberta freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Diz o obsessor que estava com a paciente, porque ela lhe roubou o seu marido no passado. Amarrei as pernas dela. Em existência passada a paciente fora acometido de uma enfermidade que gradativamente secava-lhe as penas, por conseqüência de seus erros, pois ela foi uma espécie de curandeiro e às vezes cortava as pernas das pessoas sem necessidade.

O vazio – fui uma pessoa sem sentimento, não me abria com ninguém, me suicidei nesta vida. Daí vêm à tristeza, a insegurança, o medo de errar e decidir.

Em existência passada trabalhei com magia negra, direcionava as magias para o coração das vítimas. Um de seus problemas emocionais de hoje se prende aquelas magias, é como se elas tivessem se voltado contra mim. Geralmente, quando a pessoa foi um feiticeiro em uma ou mais existências passadas, e essas magias ainda não foram desmanchadas; elas passam a funcionar em determinado tempo como um choque de retorno, como se elas fossem direcionadas para o construtor da mesma.

Solidão – fui abandonada por minha família e criada por pessoas estranhas, cresci na solidão. Hoje ainda traga o vazio, também desse passado. Em contra partida, abandonei minha família por dinheiro, praticamente me vendi, em outra existência. A pessoa sofre como fez os outros sofrerem, na mesma moeda, a não ser que procure resgatar pelo amor, com obras.

Medo de morrer – vem do suicido.

Ciúme – vem daquela vida que abandonei a minha família, no local onde fui morar não confiava em ninguém. Não sei dividir nada com ninguém. As magias também me ocasionam problemas emocionais.

Agora conhecedora dos seus problemas, deve dar um novo direcionamento em sua vida, encarando suas dificuldades.

Após o atendimento passou a sentir-se melhor.

Caso 28: José S.– 37 anos

Data: 16/01/2001

Problema apresentado: fui traído por minha mulher com o meu irmão. Eles me arruinaram financeiramente e por isso tenho muito ódio deles. Sinto-me angustiado e irritado. Sofro de ansiedade, solidão, insegurança e desconfiança; tenho sensação de estar preso; tenho medo de lugar fechado e de altura.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: um grupo de espíritos havia aprisionado alguns níveis de consciência numa base no astral, trazendo irritação e insegurança para o José.

Em uma existência passada o meu irmão de hoje e minha ex-mulher eram meus irmãos. Eu roubei o dinheiro deles e para que eles não me perseguissem mais eu os queimei, para não deixar vestígio. Dali para frente vivi atormentado pela obsessão dos dois, fiquei louco por ouvir os gritos deles quando estavam sendo queimados vivos. Na verdade, praticamente não fiz muito uso daquele dinheiro, porque acabei trancafiado como louco. Por isso a sensação de prisão e de estar em um lugar fechado, pois fui trancafiado como louco. Se analisarmos a insegurança, a solidão, o vazio, a angustia e o fracasso, eles vêm da vida em que roubei meus irmãos. Poderia ter roubado o seu dinheiro, mas não tirado a vidas deles e ainda os queimando vivos. Hoje vivo como se meus passos estivesse sendo vigiados.

Medo de altura – fui empurrado em um precipício, durante uma caçada, por esse meu irmão de hoje, por inveja, porque eu era um bom caçador, ele queria ficar com a fama de bom caçador para ele.

Diz que é um perdedor. Perdeu naquela existência que roubou os irmãos e nesta também. Perdeu o dinheiro, o irmão e a mulher, em ambas as existências.

Essa pessoa precisa se trabalhar na auto estima, não pode se considerar um perdedor, essas são experiências que precisam ser analisadas e enfrentadas, pois não se pode fugir das dificuldades. São momentos para perdoar e refletir, pois a vida continua, tanto aqui no plano terreno como no mundo espiritual, o perdão é o melhor caminho, quem não perdoa não merece o perdão, diz o Evangelho. É a maneira de Deus perdoar os seus filhos das faltas cometidas é dar oportunidade para reencarnar, para aprender e saldar os seus débitos.

Caso 29: Lauro – 58 anos

Data: 16/01/2001

Problema apresentado: depressão, medo de lugar fechado, de água, de floresta e de faca; três enfartos; mágoa e ressentimento.

Aberta a enfartes freqüência vibratória e recolhido os espíritos que estavam com o paciente.

Efetuado o desdobramento anímico: o chacra cardíaco estava três vezes maior do que o normal e vários espíritos doentes encontravam-se comigo.

O problema do enfarte são reações sangüíneas que vem dos níveis de consciência e coágulos de sangue. Fui um espírito muito maldoso, passei a obsediar uma mulher que não me quis até o seu desencarne, atuei no chacra cardíaco, até que ela sofreu um enfarte e desencarnou. Dessa maldade ainda não me resgatei por total. Depois dessa existência reencarnei compulsoriamente com o coração enorme, fiquei seis anos encarnado.

Medo de faca – na vida em que aquela mulher não me quis, me suicidei com uma faca no peito.

Medo de água e floresta – morri afogado em um rio numa floresta.

Medo de lugar fechado – quando reencarnei com coração grande, naquela existência eu era acometido de falta de ar, como vivesse fechado sem poder respirar plenamente.

Mágoa e ressentimento – trago daquela existência que fui rejeitado por minha mulher e pelo suicídio. Se não tivesse me suicidado, mas me conformado com o fato, com certeza, não estaria ressentido hoje, pois não haveria a ressonância a me perturbar.

O ressentimento é uma mágoa não curada, uma mágoa ressentida.

O paciente se sente isolado sem ninguém para desabafar. Possui energias negativas contidas na coluna do físico que precisam ser drenadas. Hoje também estou obsediando as pessoas que estão ao meu redor.

Tem que rever os seus pensamentos, dar um direcionamento melhor para eles. Tem que sair do esconderijo.

As dificuldades revistas se fazem necessárias que doravante a criatura remodele a sua vida, com propostas novas. Como se diz: “o primeiro passo foi dado, agora o consciente físico têm que fazer a sua parte”.

Caso 30: Julia

Data: 16/01/2001

Problema apresentado: vive numa inconstância, não está satisfeita onde está, é como se nenhum lugar servisse, pensa como uma cigana. Sente tremor e tem conflitos com a mãe, sente ódio, tem problemas de coração é nervosa e possessiva.

Aberta a freqüência vibratória com o desdobramento anímico: encontrava-se com a Júlia um grupo de espíritos ciganos.

Em uma existência passada eu gostava de quem não gostava de mim. Um cigano de um outro grupo me perseguia, eu acabei cometendo um crime apunhalando-o. Tive que fugir para bem longe, mas a consciência não me deixava em paz. Por isso a insatisfação de estar somente em um lugar, pois vivo com pensamento de cigana, presa aquela vida. Todo erro cometido onde quer que seja, carregamos dentro de nós a marca registrada desse erro, como uma vibração, uma ressonância, sentida no corpo físico ou no psiquismo.

Tremor – em um passado foi acometido de uma febre muito alta e desencarnei cedo, esse desconforto funciona como um choque de retorno.

Coração – Como cigana fazia magias com a finalidade de amarrar o coração e os sentimentos de outras pessoas, como também o choque de retorno da punhalada que dei naquele cigano que me perseguia. Aquele campo etérico formado em conseqüência daquele ferimento no peito do cigano, ainda estava existindo, ele interpenetra o campo áureo do coração da paciente.

Conflito com a mãe – ela é aquele mesmo cigano que me perseguia, que tirei a vida com o punhal, ela me olha hoje como se fosse minha inimiga.

Ódio – é como se eu não gostasse de ninguém e também das pessoas que não gostam de mim, o reflexo da vida de cigana.

Nervosismo – não gosta de dividir nada com ninguém, traz esse desconforto de quando era cigana. Possessiva, não gosta de dar amor a qualquer um. Traz dentro de si um certo egoísmo.

Caso 31: Eliana – 56 anos

Data: 16/01/2001

Problema apresentado: Dor na cabeça, na coluna e pernas; insônia; medo de lugar fechado e de altura; depressão; insegurança; complexo de inferioridade e incapacidade.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: o obsessor diz que essa aí ainda é uma feiticeira, ela me pegou deitado, me colocou um capuz na cabeça e me apunhalou, eu era um concorrente dela (nessa vida ela era um homem). Esse obsessor colocou junto do físico da Eliana um grupo de espíritos.

Dor na coluna – aparelho na coluna, as pernas estavam com ferros cravados. A nível físico existe um desvio na coluna.

Medo de lugar fechado – foi uma bruxa muito feia e foi trancafiada numa cela, acusada de bruxaria. Eu até gostava, pois lá na solidão eu fazia minhas magias com tranqüilidade. Trago um peso na consciência dos trabalhos de magias que fiz naquele passado.

Medo de altura – trago esse trauma de uma existência que me enforquei. Foi retirado um aparelho da perna esquerda. Ainda hoje níveis de consciência continuavam fazendo magia no astral. É um espírito muito rebelde. A parte física precisa mudar gradativamente, deve se esforçar para que isso venha acontecer.

Caso 32: – Antonio J. – 5 anos

Data: 16/01/2001

Problema apresentado: rebeldia, acorda aos gritos, mania de roubar.

Aberta a freqüência vibratória: encontrava-se com Antonio, um grupo de espíritos magos, os mesmo foram doutrinados e encaminhados para instituições de caridade no mundo astral.

Desdobramento anímico: o corpo astral, incorporado, diz que não se afina bem com os pais, eu nem queria encarnar, porque eles me assassinaram em uma vida passado, me jogando dentro de um poço. Eu tinha só dez anos, naquela época, com objetivo de ficar com a minha herança, eles eram meus tios. Eu fiz a mesma coisa em outra existência, só que enterrei a minha mãe de hoje viva, depois de abusar dela, era minha irmã naquela passado. Por isso o conflito entre mãe e filho e a rejeição da mãe vem desde da vida intra-uterina.

Mania de roubar – diz que não está roubando, porque aquilo é meu, eles me roubaram naquele passado, só estou pegando de volta o que é meu.

Acorda aos gritos – eram os espíritos que me importunavam e a lembrança da minha morte naquele poço. Tudo isso me deixa aflito e nervoso.

Após o atendimento Antônio melhorou muito, segundo sua mãe.

Caso 33: Luiza – 34 anos

Data: 16/01/2001.

Problema apresentado: relacionamento difícil com o filho de cinco anos, irrita-se muito facilmente com ele; impaciência; depressão pré-menstrual; medo de barata.

Aberta da freqüência vibratória: foram recolhidos os obsessores que estavam com a paciente.

Desdobramento anímico: a gravidez difícil era a rejeição que a mãe estava sentido pelo espírito do filho que estava preste a nascer, isso gerava conflito, pois sabia quem estava chegando.

Depressão pré-menstrual – fui violentada pelo meu irmão, que é o seu filho de cinco anos de hoje e, enterrada viva; aquela agonia que senti, aquela terra sendo jogando sobre mim, tudo isso me angustia. Trago também, essa ansiedade de outra vida em que praticava magia negra com sangue. Depois de fazer as magias eu ficava agitada, eu era uma espécie de vampiro. Por isso a rejeição por sangue. Então, quando chega à época de menstruar não me sentia bem, fico agitada.

Medo de barata – quando fui enterrada viva, vários bichos vinham junto com a terra que era jogada em cima de mim para fechar o buraco, mesmo quando eu estava lá embaixo sentia tal desconforto e assim fui morrendo aos poucos.

Havia um aparelho implantado na cabeça.

Tomar consciência de seus erros. Praticar o perdão. É ora dos enfrentamentos. O marido também participou da morte do filho, de hoje por isso vive como se fugindo, não quer encarar os seus erros, praticados contra o seu filho de hoje.

Já durante a sua gravidez, estava sabendo junto com seu marido quem era esse filho que estava para chegar.

Após o atendimento Luiza teve ótima melhora.

Caso 34: Maurício – 22 anos

Data: 19/01/2001

Problema apresentado: Se sente perseguido no banco onde trabalha; dor de cabeça aos domingos; insônia; complexo de inferioridade; medo de errar; dor na coluna às vezes; processo de culpa.

Aberta a freqüência vibratória com o desdobramento anímico:

Estava com aparelho na cabeça colocado pelos espíritos. Para complicar existia uma base de espíritos em cima do local onde eu trabalho, que exercia uma pressão tal que me deixava inseguro.

Esse gerente que me persegue, em uma vida passada foi meu funcionário, eu fiz tudo para ele deixar o emprego, porque queria dar o emprego para outra pessoa, do meu interesse. Claro que esse gerente havia feito a mesma coisa comigo em outro passado, naquele momento estava pagando, com a mesma moeda. Nos mostra aí o problema do conflito de hoje, em nível de subconsciente, passando todas essas vivências para o consciente físico, como se estivesse querendo revidar o que sofreu no passado de outra existência. A insônia ele traz de uma existência que eu trabalhava com magia à noite. Com amostragem também de seus erros ele passará a repensar melhor na sua vida.

Complexo de inferioridade e medo de errar – vêm da pressão referente ao gerente que passa me vigiando sobre aquilo que eu lhe fiz passar, quando coloquei ele para fora do emprego. Ele também passou por essa pressão.

Medo de falar em público – foi um leiloeiro de escravo, tinha que fazer propaganda da mercadoria e muitas vezes eram escravos doentes, que leiloava como sadios. Na verdade eu devia lutar pela liberdade e não pela escravidão. Por isso a dor de cabeça aos domingos, vem desse leilão que eu fazia aos domingos. Podemos incluir neste contexto o complexo de inferioridade. Eu já trazia a pré-disposição para trabalhar com os escravos, pois eu compartilhava com a escravidão, por isso acabei sendo um leiloeiro.

Caso 35: Anselmo – 46 anos

Data: 19/01/200l

Problema apresentado: não suporta ter que defender alguém que é culpado. Dor na coluna, na cabeça, no peito e no estômago.

Aberta a freqüência vibratória: os espíritos que estavam com Anselmo foram recolhidos e encaminhados.

Desdobramento anímico: tive uma encarnação onde fui um advogado corrupto, eu faria de tudo para quem pagasse bem, até mesmo condenar pessoas inocentes, forjava provas. Depois da vitória ia comemorar na bebida, por isso a dor no estômago. Nesta vida de hoje pedi para vir como advogado novamente para me redimir dos meus erros, por isso me sinto mal trabalhando nesta profissão, porque não compartilho com a inverdade, sei que o meu paciente é culpado e tento inocenta-lo. Traz aí o remorso daquele passado que me vem como uma energia negativa sempre cobrada pela minha consciência, e, também aquelas pessoas que eu prejudiquei. Após aquela existência como advogado corrupto, reencarnei com um problema na cabeça. Foi o choque de retornar do mau uso da minha inteligência como advogado. Morri cedo nessa vida.

Foi removido um aparelho do estômago que provocava dor.

A dor na coluna – são acúmulos de energias negativas, o peso da responsabilidade, das preocupações e do remorso. O problema no peito não deixa de ser o abuso dos sentimentos daquelas pessoas ludibriadas na existência de advogado corrupto.

A situação desse paciente é complicada, porque a própria profissão o leva a aceitar causas em que o cliente é culpado, ou não tem razão no que pleiteia. Também, pela própria sobrevivência e pela posição social que tem que manter. Não vai ser fácil mudar em médio prazo, talvez em longo prazo. Mas ainda acho muito difícil, porque envolve dinheiro, são poucos os que abandonam um ganho maior por uma causa nobre. Sabendo que seu cliente é culpado deverá não procurar comprovar sua inocência, mas uma pena menor.

Caso 36: Lucia – 69 anos

Data: 19/01/2001

Problema apresentado: depressão após a morte do marido, insônia, angustia, uma ânsia e um aperto no peito, medo da água e tempestade, levanta repentinamente assustada, sensação de abandono, complexo de inferioridade e se esquece com facilidade das coisas.

Aberta a freqüência vibratória: foi recolhido os espíritos que se encontravam com a paciente e em seguida desdobrada.

Muitos espíritos doentes encontram-se com Lucia. Parece que a paciente quer que eles também sintam o mesmo que ela esta sentindo, por isso ela os aprisiona. Não gosta de sofrer sozinha. É muito egoísta.

Insônia – são as vibrações daqueles espíritos que ela aprisionava.

O seu marido de hoje foi seu filho único em uma existência passada. Não deixou que mulher nenhuma tomasse conta dele, pois ele era como um escravo, ela não podia viver sem ele, dava sempre um jeito de afastar as mulheres do lado dele. Seu filho ficou doente e morreu cedo. Após sua morte ficou com remorso.

Angustia – foi um prisioneiro e bebia muito. Fugiu da prisão e assassinou uma mulher num momento de fraqueza (esta mulher é o meu marido de hoje) e continuou fugindo, não suportando aquela vida me suicidei com uma faca no coração. Desta vida ela traz a sensação de abandono e um aperto no peito.

Medo d'água e de tempestade – desencarnou afogada. Foi um resgate daquele assassinato que cometi, o esquecimento é porque não quero me lembrar do meu passado traumatizante, prefiro passar em branco a me lembrar do meu passado. Ela estava com uma placa na cabeça que também influenciava o esquecimento

Complexo de inferioridade – vem daquela vida em que fui um fugitivo.

Diz que não quer mais viver, se continuar pensando assim, fica difícil alguém conseguir ajudá-la.

Se a pessoa não se ajudar, fica difícil fazer alguma coisa por ela.

Caso 37: Norma – 39 anos

Data: 19/01/2001

Problema apresentado: egoísmo; depressão pré-menstrual; tristeza; sensação de vazio; impaciência; rejeição; medo de decidir e de altura, solidão; não gosta de funeral; considera-se incapaz.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: estava com Norma, um espírito de mulher lhe obsediando, passando-lhe suas vibrações negativas. Esse espírito foi minha filha em uma existência passada, filha que maltratei, inclusive, para me livrar dela enterrei-a viva. Ela vivia reclamando, eu sempre achava que ela não tinha nada. A depressão pré-menstrual vem dessa vida, eu achava que a minha filha, não tinha depressão. O que ela sentia era fantasia e, hoje eu sinto a mesma coisa, como um choque de retorno, como se eu estivesse no lugar dela. Nota-se aí o egoísmo e a depressão, a tristeza (de ter uma mãe como diz o espírito), a solidão (tudo que eu passei, ela minha mãe tem que passar). Diz a paciente que estava com ódio desse espírito, por estar com ela novamente. Um parelho colocado pelo espírito na cabeça e na corrente sangüínea que contribuía para a depressão pré-menstrual. A sensação de vazio e a impaciência vêm do egoísmo.

Foi um Rei que só cometia erros, era um incompetente, não sabia mandar. Dessa vida de Rei trouxe o medo de decidir, de altura e a incapacidade, pois tinha a sensação de que uma ora para outra cairia, perderia o trono.

Medo de morrer – diz que em uma existência pensaram que eu estava morta e me enterram viva, morri no desespero. Estava resgatando a morte de sua filha quando enterrou a mesma viva, pois não sabia o que fazer com ela, devido a sua rebeldia.

Caso 38: Clovis – 2,5 anos

Data: 19/01/2001

Problema apresentado: febre alta, convulsão e problema de garganta.

Aberta a freqüência vibratória: os espíritos que estavam com o paciente foram encaminhados.

Desdobramento anímico: em existência passada foi acometido de uma doença grave com febre muito alta e acabou desencarnando. Os níveis de consciência estavam sintonizados, ainda ligados àquela existência, por isso a febre alta.

A convulsão – se prende a dissociação de níveis de consciência com uma certa rebeldia e a drenagem de energias negativas.

A garganta – comandou a decapitação pela guilhotina de várias pessoas, com níveis apegados aquele passado trazendo um certo remorso.

Caso 39: Roberta – 23 anos

Data: 20/01/2001

Problema apresentado: entrou em crise após rompimento amoroso, descobriu que o companheiro só tinha interesse financeiro.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: os espíritos foram encaminhados.

Foi incorporado um nível de corpo astral, que começou a relacionar o seu presente com o seu passado. Estou na frente de uma igreja chorando diz Roberta, falando de uma existência passada, ele não apareceu para o nosso casório, mandei matá-lo por essa desfeita, porque eu estava grávida. O noivo daquela vida é o mesmo namorado de hoje.

Em outra existência ele era meu empregado, eu usava e abusava, tratava como um cachorro. Um dia eu não o quis mais, ele virou homem, me levou a força e me assassinou. Houve situações em vidas passadas que pratiquei aborto, quando fui uma mulher de cabaré e, costumava beber muito.

Hoje está com medo do pai pelas críticas que poderão surgir. Mas por outro lado, está um pouco conformada por não estar mais casada com este homem. Olhando o mundo astral e os fatos ocorridos naquela existência, me surge uma certa tranqüilidade, mas, ao mesmo tempo, uma intranqüilidade, pois vejo que há mais interesse material do que amor, e, a ponta física apresenta uma certa desconfiança e insegurança com aquele homem que lhe abandonou na porta da igreja.

Roberta tem resgate com esse namorado por ter cometido o assassinato, mas antes daquela desfeita do noivo, já existia outras ligaçõe.

Sua contra parte espiritual foi harmonizada, para desapegá-la daquele passado triste, para que ela possa enfrentar os problemas afetivos que vão ocorrer com mais segurança e tranqüilidade.

Caso 40: Flavia – 60 anos

Data: 20/01/2001

Problema apresentado: nervosismo, crise renal; coração grande; dificuldade financeira; asma desde criança; tristeza e angústia.

Aberta a freqüência vibratória: recolhidos os obsessores que se encontravam com Flavia.

Desdobramento anímico: o nervosismo vem das vibrações negativas dos espíritos que se encontravam com Flávia.

Em outra existência, foi uma mulher muito bonita, que trabalhou num cabaré, bebia muito e fumava, fez aborto daí enquadrar à crise renal que surgiu em conseqüência do vício.

Angustia e tristeza – são conseqüências dos abortos da vida de cabaré, onde explorou muitos homens. Na vida seguinte pediu para vir com uma certa obesidade, para não se desencaminhar na vida, não ser uma espécie de atração para os homens, porém comeu muito ficando com o coração grande. Trouxe gravado no seu perispírito a forma do coração grande. Pode também ter ocorrido nível de consciência apegado aquele passado do coração grande, ou ainda a forma etérica daquele coração grande envolvendo o coração de hoje, com os anos esse coração adquiriu a forma antiga. Então, são três situações possíveis, sendo a primeira a mais difícil de ser resolvida, porque seria mais um problema cármico de difícil solução.

Asma – trabalhava num orfanato, um dia sufoquei uma criança. O coração grande também faz parte do contexto. A asma pode ser o reflexo de pessoas que não aprenderam a se doar, por isso a falta de ar, por isso estar sempre exigindo alguma coisa que seria o ar que lhe falta.

Caso 41: Julia Valéria

Data: 23/01/200l

Problema apresentado: angustia a tardinha, surdez desde menina, não queria ficar com a mãe, sensação de estar presa, medo de altura e de falar em público.

Aberta a freqüência vibratória: os obsessores foram recolhidos.

Desdobrando anímico – Júlia, caiu em uma existência passada em que foi assassinada ao entardecer, por saber demais, uma queima de arquivo, pois pretendia sair do grupo a que pertencia. Ficaram sabendo no astral que ela pretendia deixá-los. Foi apunhalada no peito e atravessou o seu corpo, por isso a angustia a tardinha.

Surdez – em uma vida passada nasceu surda e muda, estava resgatando um fato ocorrido em outro passado em que Júlia falava e escutava demais, provocando uma guerra. Da vida de surda e muda trago a rejeição de meus pais por saberem que eu era uma inimiga do passado, embora eu tivesse boas intenções para esse novo reencarne. Houve também uma entrada d'água no ouvido durante o parto que prejudicou a minha audição.

Sensação de estar presa – os terceiro, quarto e sexto níveis estavam presos no astral por um grupo de espíritos obsessores.

Medo de altura – daquela tardinha que foi executada na forca.

Medo de falar em público – daquela vida que escutava demais, também tinha um aparelho no ouvido, e por usar mal a minha voz.

Caso 42: Marcolina – 36 anos

Data: 27/01/2001

Problema apresentado: dificuldade de expressão; receio de falar em público; complexo de inferioridade; uma certa dose de autismo.

Aberta a freqüência vibratória: os espíritos foram recolhidos e encaminhados.

Desdobramento anímico: em existência passada ela mentia muito; foi um falso profeta, foi julgada em praça pública e decapitada. Nesta existência estava resgatando uma vida que vivia com pessoas importantes, tinha uma certa influência, mandou várias pessoas para a guilhotina. Foi uma espécie de dedo duro e bajulador. Por isso o receio de falar em público, a dificuldade de se expressar e o complexo de inferioridade.

Uma certa dose de autismo – gosta de viver isolada, não confia em ninguém. Traz o autismo daquela vida em que foi decapitada.

Precisa se adaptar melhor nesta nova vida, procurando enfrentar as dificuldades com mais otimismo. Olhando para esse passado como forma de aprendizado.

Caso 43: João J.– 44 anos

Data: 27/01/2001

Problema apresentado: dor no peito, insônia, solitário, medo de se expor, medo de faca.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Dor no peito – um espírito colocou várias agulhas no peito. O João fez o mesmo quando trabalhou com magia, fazia bonecos à noite e preparava com alfinetes, depois os enterrava. Às pessoas que eram direcionadas essas magias acabavam morrendo. Dessa vida traz a insônia e a dor no peito.

Solidão e medo de se expor – vem de uma vida passada, se fechou devido a um amor não correspondido. Era muito orgulhoso, não queria que ninguém soubesse dos meus problemas. Hoje tenho medo de não ser correspondido.

Medo de faca – fiz parte de um grupo de vândalos que praticavam assaltos e faziam justiça com as próprias mãos. Invadíamos casas, nos aproveitávamos dos filhos dos donos das casas e muitas vezes, se estes reclamassem, acabávamos matando-os. Como castigo fomos presos e executados.

Dizem alguns níveis que, ainda hoje, fazia magia no astral.

Caso 44: Miria – 40 anos

Data: 27/01/2001

Problema apresentado: uma certa rejeição; dores na coluna; muito sono; sensação de vazio; sente-se mal na multidão.

Aberta a freqüência vibratória com o desdobramento anímico:

Falando o Corpo Astral incorporado: Eu me rejeito, não me aceito como eu sou. Tudo está errado comigo. Numa existência passada não aceitava os defeitos dos outros, eu achava que as pessoas não podiam errar. Tive um passado de muitos erros, hoje eu me puno, por não respeitar os sentimentos dos outros.

Dor na coluna – devido a um aparelho na coluna e a ressonância de uma vida passada onde eu não querendo que um filho nascesse, tentei matá-lo no parto, forçando a coluna do recém nascido que ocasionou problemas em sua coluna. A dor é o reflexo do mal que fiz para aquela criança.

Muito sono – afirma o Mental Superior que precisa ficar mais tempo afastado do corpo para fazer magia. Isto que dizer que, esse nível está trabalhando com magia a nível astral, o que não é nada bom para a ponta encarnada, e nem para os demais níveis de consciência que não participam desse trabalho.

Sensação de vazio e medo de multidão – Foi enforcado por roubo, e uma multidão de pessoas assistiu a execução.

Rejeição – rejeitou aquele filho, embora tendo que viver com ele. A consciência lhe cobra a sua intenção de rejeitar e a tentativa de não permitir o seu nascimento.

O sono em demasia – é proveniente de se manter desdobrado, se ocupando com o trabalho de magia.

Caso 45: Mara – 45 anos

Problema apresentado: dor nas juntas das mãos, sente uma certa dor no pescoço proveniente da tiróide, dor no estômago.

Abertura de freqüência: foram recolhidos os obsessores que se encontravam com Mara, e encaminhados para as instituições de caridade no Mundo Astral.

Desdobramento anímico: dor nas juntas das mãos – vem de mediunidade atrofiada, mal trabalhada, as energias das mãos estão estagnadas, porque neste momento o pensamento está em outro lugar, o que fez com que as energias se retraíssem, por isso necessita de concentração.

Tiróide – em uma existência passada tinha um pouco de ciúme do meu irmão, de início tentei me enforcar, para chamar atenção, mas acabei me enforcando, porque meu irmão estava próximo e puxou a corda. Só vim, a saber, no mundo espiritual, então passei a obsediá-lo. Foi retirado um aparelho do pescoço.

Dor no estômago – foi desintegrada uma massa no estômago, que aumenta de volume a cada instante. O problema do estômago está ligado a uma existência em que fui incumbida de preparar uma beberagem em uma festa, eu peguei o copo trocado para beber e acabei me envenenado.

Caso 46: Assunção – 60 anos

Data: 30/01/2001

Problema apresentado: muito emotiva; dor nas pernas; tonturas; dorme demais; taquicardia; sensação de vazio; ansiedade; tristeza pela morte do marido; medo de tempestade.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: os obsessores foram recolhidos.

Muito emotiva – níveis de consciência do corpo astral, se encontravam no umbral, trazendo de lá tonturas. Diz que se sente bem lá no umbral, vai lá visitar os amigos, inclusive se encontra com o marido de uma outra existência.

Quando os níveis de consciência do encarnado que está sendo atendido, tem ligação com zonas umbralinas, deve-se aproveitar a oportunidade para recolher esses espíritos que lá se encontram e que já tem o devido merecimento para isso, mentaliza-se uma cápsula na cor azul, com objetivo de resgate, quando a cápsula estiver completa recolhe-se para uma colônia assistencial no astral.

Dor nas pernas e sensação de vazio – sente um cansaço proveniente da má circulação sangüínea, sangue grosso. Traz essa ressonância do passado, quando fez uso de sangue de animais nos trabalhos de magia.

Tonturas e muito sono – usou ervas nos espíritos que se encontravam no umbral, para ajudá-los. Inspirava o aroma das ervas que lhe causava sono e dava tontura. Teve uma vida que fazia viagem astral, fez uso da hipnose para prejudicar as pessoas. Foi encontrado um aparelho no chacra cardíaco que controlava as batidas cardíacas, também traz das viagens astrais esse problema no coração, porque para hipnotizar trabalhava o chacra cardíaco que aumentava o ritmo cardíaco da criatura a ser prejudicada, fechando o chacra frontal.

Taquicardia – mediunidade e porque se encontrava presa ao problema do coração. Foi implantada uma válvula no coração pelo mundo espiritual para auxiliar a paciente.

Ansiedade – traz de uma existência que abandonou um filho que estava junto com aqueles espíritos que se encontravam no umbral.

Tristeza pela morte do marido – lembrança de quando o perdeu, porque ele tinha problemas cardíacos. Foi um daqueles que ela prejudicou com o uso da hipnose. O Duplo Etérico da paciente estava com uma placa no chacra cardíaco, colocada pelos espíritos.

Medo de tempestade – morreu soterrada durante uma tempestade.

Caso 47: Francisca – 26 anos

Data: 30/01/200l

Problema apresentado: medrosa; dor na coluna e nas pernas; medo de errar; medo de tempestade; medo de escuro; medo de elevador; medo de faca; e de lança; medo de altura; alguma coisa haver com prostituição; náuseas; processo de culpa; sensação de vazio; de prisão e de rejeição, tristeza e ciúme.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: foram recolhidos e encaminhados os obsessores.

Medrosa – medo de tempestade e do escuro – um obsessor colocava um espelho em sua frente e mostra o seu passado muito negativo.

Ciumenta – em existência passada ela não pretendia assassinar o seu marido, mas ele continuava me traindo, por isso assassinou-o a paulada pelas costa.

Dor nas pernas e algo haver com prostituição – não que ver a dor nas pernas, diz que o espelho já lhe mostrou, depois daquela vida que assassinou o marido, reencarnou com medo de tudo e caiu na prostituição, foi violentamente assassinada, quebraram todo o seu corpo. Podemos enquadrar, também medo de errar, processo de culpa, medo de faca, medo de lança, sensação de vazio, dor na coluna.

Medo de altura – eu sufoquei um filho que não era meu, era um filho bastardo, desconfiei e atirei-o num precipício. Na verdade perdi uma oportunidade de me resgatar com ele, tínhamos resgate junto.

Náusea – aparelho implantado no estômago.

Tristeza e sensação de rejeição – traz daquela vida que ela assassinou aquela criança, jogando-a num precipício.

Sensação de prisão – em uma existência passada aprisionei uma filha por ciúme. Ela foi aquele filho que rejeitei e matei. Não deixa de ser o remorso, ou seja, sua consciência lhe cobrando.

Caso 48: Senira – 48 anos

Data: 01/02/2001

Problema apresentado: irrita-se fácil; culpa-se por permanecer fora de casa; insegurança; medo altura; medo de água; medo de lugar fechado; ansiedade e impaciência.

Aberta a freqüência vibratória: recolhidos e encaminhados os obsessores.

Desdobramento anímico: os problemas da irritação são as vibrações negativas que os espíritos lhe passam. O Mental Superior estava obsediando espíritos no umbral, daí trazia toda essa vibração negativa refletindo-a no físico e nos níveis de consciência. Essa rebeldia são energias negativas devido ao ódio e a maldade que vêm de dentro dela. Os seus argumentos sobre os seus problemas estão se esgotando e ela não tem mais o que dizer. É uma pessoa que gosta de dizer que não está bem. Precisa sempre ter algo de si para comentar com as outras pessoas.

É o tipo de pessoa que gosta de dizer que está doente, (hipocondria). Quer sempre ser chamada de vítima, para chamar atenção dos outros, mas os outros não estão mais acreditando ou dando importância para as suas lamúrias.

Remorso por permanecer fora de casa e muito insegura – essa culpa traz do passado, ela deixava a sua família e vivia em busca de jogos e coisas vulgares. Hoje isso é um martírio para ela, é como se ela fosse abandonar o lar. Foi um homem inseguro, não sabia o que queria da vida.

Ansiosa e impaciente – em uma existência ela comandava aqueles que iriam para a Arena, para ela era algo importante, porque todos estavam abaixo dela. Ficava aplaudindo aqueles que iam morrer. Era uma mania de grandeza. E também a ida de níveis de consciência ao umbral obsediar espíritos, trazendo e repassam para o consciente físico toda essa desarmonia.

Medo de água – morreu afogada.

Medo de lugar fechado, ansiosa e impaciente – em uma existência foi decapitada na guilhotina. Ficou muito tempo presa esperando a morte.

Essa pessoa tem que redirecionar os seus pensamentos e sua maneira de ser. Procurar viver uma vida saudável, enfrentando as dificuldades com sabedoria e amor.

Caso 49: Patrícia – 35 anos
Problema apresentado: depressão há oito meses. Foi muito maltratada pelo pai quando criança. Casada pela segunda vez com bom relacionamento.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: os espíritos que estavam com Patrícia, foram recolhidos.

Traz um certo comodismo e não quer viver. Essa insatisfação com a vida vêm de uma existência em que foi um herói fracassado, ganhou a guerra em que participou, mas foi como se tivesse perdido, porque uma insatisfação muito grande tomou conta de sua alma. Fechou-se dentro de si, isto levou o ao suicídio, apunhalando o seu próprio coração. Poderia vir a ter problemas cardíacos mais tarde se não fosse este atendimento, entretanto, isso pode ainda ocorrer, tudo depende se já se resgatou desse suicídio ou não, ou se já tinha algum crédito.

Em outra existência, comandava um grupo de magia, direcionado para o mal, sempre querendo mais, também não atingiu os seus objetivos. Como todo o trabalho para o mal, dá carma, ainda traz hoje essa insatisfação com a vida.

Uma das coisas emocionais que mais continua mexendo com Patrícia, foram os maus tratos praticados pelo pai. O pai de hoje foi seu adversário naquela guerra que ela como homem, foi vencedor. Também foi seu escravo em outra existência e os maus tratos levaram-no ao desencarne. Por isso os maus tratos do seu pai quando criança, via a filha como uma pessoa inimiga que muito mal lhe havia causado. Porque o espírito lembra quem era ela e o sofrimento que passou em suas mãos.

A depressão, também se prende ao remorso do seu passado. Mas o que mais acentuou, foi o fato de carregar o ódio dentro de si. É como se lembrasse todos os dias dos maus tratos que passou nas mãos de seu próprio pai, não conseguindo perdoá-lo.

É importante ela perdoar o pai incondicionalmente. Arrancar essa chaga do seu coração. Mesmo porque, prejudicou também o pai naquele passado, muito mais do que o pai fez no hoje com ela.

Esse é o caminho para a felicidade. Realizar a sua autotransformação. Isto é, mudar de vida, colocar as coisas ruins que estão dentro de si para fora e dar um novo sentido para a sua vida.

Ler o Evangelho Segundo o Espiritismo e o Livro dos Espíritos. Buscar a sua renovação através da oração e meditação ou yoga.

Segundo atendimento em 22/07/2000.

Ler Cap VIII – nº 8, do Evangelho Segundo o Espiritismo.

Problema apresentado: dor de cabeça, vontade de morrer e vômito.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Dor de cabeça – são energias negativas acumuladas produzidas pelo rancor e ódio que ainda traz dentro de si. Diz o corpo astral que se pudesse perdoar tudo, seria diferente, mas não consegue. Deveria fazer alguma coisa de útil, pára tentar sair desse marasmo. Está se punindo por não poder perdoar o seu pai, os seus níveis de consciência colocam as mãos na cabeça e apertam produzindo também dor. Há necessidade da paciente reagir.

O vômito vem de aparelho implantado na cabeça.

Desejo de morrer – está fugindo do perdão. Fugindo dela mesma. Não sabe como encarar a si mesma. É como se não gostasse de si mesma.

Diz como posso amar alguém, se nem amo a mim mesma, nem a minha própria vida.

Não consegue se olhar no espelho, porque vê ali o que realmente é, e isso lhe causa medo de enfrentar a si própria.

Considerei como sendo o último atendimento, pois fica difícil ajudar quem não quer se ajudadar. Ela parece que não quer a sua melhora. Não consegue arrumar forças para perdoar. Então haverá de sofrer por isso. Acho que ela deveria ler o que estamos aqui relatando. Também não sei se ela acredita em vidas passadas, para poder entender o que está se passando.

Caso 50: Elenita – 38 anos

Data: 15/07/2000

Problema apresentado: negatividade e gravidez.

Desdobramento anímico: a paciente incorporada diz não acreditar nesse tipo de tratamento. Não queria vir à mesa apométrica. Sente um vazio em tudo. Está rejeitando a criança, por que é o filho que foi abortado por ela em outra existência. Essa criança que está chegando deve ser um menino, naquele passado era uma menina. Em uma existência anterior essa criança foi namorada do meu marido e eu não iria permitir que ela viesse ao mundo me fazendo concorrência, devido a esse medo abortei. Agora ela esta ai de novo para dificultar as coisas.

Muito negativa não confia nas pessoas – acha que elas estão sempre mentindo para ela. Todos esses pensamentos se resumem pelo fato de ter sido traída num passado em que era homem. Não podia sair daquele lugar e ir para outro, porque parecia que a traição estava estampada no seu rosto, acabou se suicidando de desgosto.

Após o atendimento as coisas se clarearam e ficou tudo bem em sua casa.

Caso 51: Isolina – 3 anos

Problema apresentado: não consegue dormir e está sempre doente.

Aberta a freqüência vibratória com o desdobramento anímico:

Estava com ela uma base de espíritos em que o chefe dessa base era o seu pai de outra existência que tinha a intenção de levar a filha, por ela não querer ficar com seus pais atuais. Está com ciúme da outra criança que vai nascer.

Muitos espíritos doentes se encontravam nessa base, passando-lhes toda a sua vibração negativa. Aquele espírito que foi seu pai iniciou-lhe na magia, por isso queria levá-la para junto dele.

Não dormia de medo da morte – Em outra existência fazia parte de um grupo de assaltantes que assaltavam a noite. Os seus pais foram uma dessas famílias que foram assaltadas pela filha de hoje, que fora homem naquele passado. Devido a esse fato quer fugir da encarnação. É uma forma de remorso que está atravessando pela vergonha dos pais.

Apresentou um dor no lado direito da cabeça. Após o atendimento a situação foi normalizada.

Caso 52: Geraldo – 33 anos.

Problema apresentado: anda sempre enfermo.

Observação – a filha que se fala refere ao atendimento anterior, sendo o pai da mesma.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Apresentou níveis vivificando uma existência que estava muito doente, em que apresentava febre alta e não conseguia mover os braços e as pernas. Nessa época sofreu uma forte obsessão, lhe causando muito mal. Encontramos um aparelho implantado na perna direita.

A presença da sua filha é que a deixa triste, devido àquela época em que ela era um homem e entrou em sua casa para lhe roubar e acabou lhe machucando muito. Naquela situação passada estava resgatando um passado em que havia assassinado os seus pais para roubar ouro.

Dor forte no estômago e no esôfago – tinha níveis presos ao umbral.

O paciente traz mediunidade.

É importante que essas pessoas se conscientizem da situação vista aqui no atendimento. Deve buscar a oração e a leitura do Evangelho. Deve, ainda, cultivar bons pensamentos, esperando com muito carinho a criança que vai nascer, para evitar problemas futuros, para que essa criança possa vir com segurança.

Caso 53: Claudia – 2 anos

Data: 22/07/2000

Problema apresentado: não fala e às vezes diz números.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Estava ligada a um grupo de espíritos, que não usavam a voz para se comunicar, somente a mente, via telepatia.

No passado pertenceu a um grupo de pessoas que juntamente com espíritos, se comunicavam via pensamento. Posteriormente em outra vida, trouxe consigo a mediunidade, mas surgiu-lhe um tumor na cabeça, com certeza devido o acúmulo de energias negativas, por mau uso de sua mente. O chacra laríngeo ficou debilitado, atrofiou-se por falta de uso.

Os números que de vez em quando expressa são os códigos usados por eles na telepatia.

Foi mudo em uma existência. Só se correspondia por gestos. Essa existência foi um resgate de quando foi uma rainha corrupta e trapaceira que cortava a língua das pessoas, que falassem a verdade, ou que não lhe contassem o que sabiam, pois tinha medo de ser descoberta. Hoje traz essa ressonância do medo de se expressar, funciona como um choque de retorno.

Tinha uma espécie de argola implantada na garganta.

Caso 54: Julio – 43 anos

Data: 25/07/2000.

Problema apresentado: Depressão; perturbação; dependência da mãe; dependência de remédios; passou 15 anos num quarto.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: os espíritos que estavam com o paciente foram recolhidos e encaminhados.

A depressão e a perturbação que está atravessando é porque se considera inútil. Está tirando a sua própria liberdade. Foi em vidas passadas uma pessoa que não parava em lugar nenhum, vivia sempre mudando de lugar, como um cigano. Irritava-se com as pessoas quando ficava muito tempo junto com elas, não queria se amarrar a ninguém. Achavam que ele era louco e, por isso vivia de um lugar para outro.

Essa inconstância que lhe atormenta era um medo de se prender às coisas as pessoas, pois achava que não tinha esse direito, porque em um passado prendia os escravos, por isso traz essa intranqüilidade dentro de si.

A dependência da mãe – sua mãe de hoje foi um daqueles escravos que ele prendeu e ela o ajuda hoje porque tem pena, pois acha que ele é muito frágil.

O tempo que passou em um quarto faz parte da autopunição, os seus níveis de consciências estavam amarrados, obsessão compartilhada, se prejudicando a si mesmo. Também estavam com ele naquele quarto os escravos que ele havia aprisionado no passado, esses escravos passavam-lhe um certo medo de enfrentar as pessoas, por isso preferiu ficar enclausurado.

Dependência de remédios – o consciente físico acha que precisa tomar os remédios é como um vício. Existem níveis de consciência dependentes de remédios. Ele traz essa mania por remédio de uma existência que foi um farmacêutico em que se medicava por conta própria.

Caso 55: Mario – 2 anos

Data: 01/08/2000

Técnica emprega: Apometria

Problema apresentado: pouco apetite acorda à noite e fica agitado.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: os espíritos foram recolhidos e encaminhados.

Estava com Mário uma bruxa que lhe implantou vários aparelhos no estômago. Esses aparelhos estavam contaminados com vírus.

O que lhe causava insônia era a bruxa que, não deixava sair do corpo quando se deitava. A bruxa plasmou uma bola que ficava rodando na sua frente, inquietando-o, assustando-o, não o deixando dormir.

Foi um feiticeiro em existência passada e suas magias estavam influenciando ainda hoje, dando oportunidade para a presença da bruxa.

Em outra existência colocou veneno na comida dos avós, para que eles morrerem mais rápido para se apossar da herança. Essa ressonância também ocasiona problemas no estômago.

Agitação – eram os espíritos que estavam com o paciente.

Foi necessário um segundo atendimento, porque o primeiro não havia resolvido por inteiro o problema dessa criança, visto a autobsessão.

Terceiro atendimento: foi notado que um dos problemas estava com o pai do menino, que não aceitava criança perto da mãe. Diz o pai que toda atenção é para ele, estava com ciúme do próprio filho, colocando os níveis de consciência do filho no umbral. Diz que no passado (sua mulher de hoje) lhe traiu com o filho de hoje. Então na outra ela preferiu ele a mim.

Esse pai raptava crianças em outro passado. Por isso o seu resgate. Inclusive o filho de hoje foi uma de suas vítimas.

Após o último atendimento o lar voltou à normalidade, com a conscientização de ambos, pai e filho.

Caso 56: Getúlio – 39 anos

Data: 05/08/2000

Problema apresentado: acredita que existe trabalho de magia, se apaixona pelas pessoas e depois a paixão se dissolve com facilidade.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Um grupo de quatro níveis de consciência de Getúlio fazia magias no astral para os seus outros níveis de consciência. Separados dos demais, impediam que os demais arrumassem alguém, o que dificultava o relacionamento afetivo.

Em vidas passadas fazia magia com os cabelos das pessoas, com a finalidade de separá-las. Dois níveis de consciência estavam vestidos de mulher, não querendo se relacionar com ninguém, por medo de não dar certo. Quando níveis se apresentam numa polaridade invertida, transmitem essa vibração não favorável para as pessoas do sexo oposto que se aproximam dando a impressão contrária a do corpo físico, e estes não vêem um homem mais sim uma mulher e se afastam, dificultando o relacionamento. Isso é muito comum acontecer.

Numa outra encarnação apeguei a uma mulher. Ela me enganou e mentiu, mesmo assim eu gostava dela, era como uma doença, devido a essa traição, jurei que não iria mais me apegar a ninguém. Esse resgate se prende a essa traição, de quando ele era uma mulher de vida fácil, pois mentia que gostava de todos os homens, para ganhar dinheiro.

Foi recomendado que se preocupasse menos, procurasse viver o presente, sem receio, pois aquilo já passou, não há mais razão para se preocupar, sempre são momentos novos para tentar aprender, com maior conhecimento e sabedoria, a vida continua aqui e além túmulo sempre com oportunidades para rever os erros, aprender com eles.

Caso 57: Osvaldo – 43 anos.

Data: 08/08/2000

Problema apresentado: ficou em coma por muito tempo, tem rejeição pela cor preta, esquece tudo, a mulher o deixou após a doença.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: os espíritos foram encaminhados.

Estava com ele um obsessor que ajudou a provocar a amnésia, o estado de coma, com o afastamento de certos níveis de consciência da proximidade do corpo físico. Se o duplo etérico estiver ligeiramente afastado do corpo físico, provoca o desmaio ou sono. Se o corpo astral, por um choque se afasta com perturbação, pode perder a ligação com outros níveis superiores e perder a noção de sua existência, por curto, médio ou longo período. A rejeição pela cor preta, se prende a magia negra que fazia em existência passada, como um certo remorso pelo que fazia. Procurava atingir o cérebro humano com suas magias, desta maneira afetava a memória de suas vítimas.

Tinha um aparelho implantado na cabeça pelos obsessores, que poderia lhe provocar novo coma caso não fosse retirado. Tinha um nível de consciência de mental inferior, e devido a sua má vontade não repassava informações para os demais níveis, o que dificultava as lembranças e o reavivar de sua memória. São conseqüências também de ressonâncias de uma vida em que cheirava ervas alucinógenas. Um nível se apresentava com problemas no cérebro. Sabemos que essas ervas alucinógenas quando usadas em demasia acarretam problemas cerebrais, tanto para o cérebro físico, como para os níveis de consciência. Ambos os lados do cérebro não estavam em perfeita sintonia um com o outro.

Caso 58: Eliana – 62 anos
Problema apresentado: depressão há quatro anos surgiu um câncer no estômago, mas foi sanado.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

A depressão é decorrente da magia negra, que fazia em outra existência. Ainda existia um baú cheio de material usado nas magias, com coisas de animais etc. O nervosismo procede também das magias, devido à vontade inconsciente de querer desmanchá-las e não saber como. Sentia-se amarrada inconscientemente, por ter ferido e atingido os sentimentos de outras pessoas.

Dor no estômago – havia um buraco no estômago, em certos níveis de consciência. A figura do mental superior ainda apresenta algumas raízes, que não deixam de ser toxinas do câncer, que possivelmente ainda não foram totalmente drenadas.

É importante tomar passe magnético semanal e tomar água fluidificada. Como mencionei acima não sabemos se as toxinas do câncer já foram drenadas, em caso negativo pode ocorrer à descida dessas toxinas a qualquer momento, a não ser que tenha o merecimento e sejam serem drenadas a nível astral.

Caso 59: Sônia – 41 anos

Data: 19/08/2000.

Problema apresentado: depressão; desânimo; fraqueza; anemia profunda e nervosismo.

Aberta da freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Foram encontrados com ela vários espíritos vampiros, sugando suas energias, deixando-á fraca de corpo e mente. Os espíritos estavam presos em um trabalho de magia, com uso de sangue, direcionado para Sônia. Esse trabalho foi encomendo por pessoa encarnada.

Depressão – vem de existência passada ocasião em que teve a oportunidade de sentar-se na cadeira do imperador, devido a sua maneira fraca de ser e agir, escolheu outro para o seu lugar. Na verdade eu tinha sentimentos, não serviria para o cargo e eles precisavam de um imperador, duro, rígido, sem coração.

Para ela, que nessa existência era um homem, essa cadeira ia ser um martírio, uma tortura mental se ela tivesse aceitado esse cargo, hoje não há do que se preocupar ou viver depressiva, por algo, que talvez fosse pior. Na verdade é uma luta contra a sua fraqueza, é uma espécie de orgulho ainda vibrando dentro de Sônia, por não ter conseguido ser imperador naquela existência.

Desânimo – vem desta mesma vida e também de uma vida posterior, em que aceitei um cargo de carrasco, não tive escolha, ou era um homem de bem, seguindo o caminho do fracasso, como a outra vez, ou aceitava ser carrasco (uma espécie de torturador, geralmente comandava as prisões) que foi muito pior, porque o remorso tomou conta de mim e cai em depressão. Vivi isolado, não comia e não bebia, de fraqueza desencarnei de desgosto.

A fraqueza – vem dos obsessores vampiros e da ressonância da encarnação como carrasco.

Anemia – foi retirado um aparelho na corrente sangüínea.

Nervosismo – os espíritos que se encontravam com ela lhe passavam toda vibração de impaciência.

Fraqueza – é por não ter se assentado naquela cadeira de imperador e, as energias sendo sugadas pelos espíritos vampiros.

Caso 60: Heráclito – 40 anos

Data: 07/04/2001. Cap xx, nº 4, do Evangelho segundo espiritismo.

Problema apresentado: pancreatite, depressão e insônia.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: estavam com o paciente um grupo de espíritos muito doentes, que foram encaminhados.

Insônia – medo dos espíritos, medo de sair do corpo durante o sono. Em existência passada trabalhei com magia às escondidas, esse trabalho quase sempre era realizado à noite. Costumava usar em meus trabalhos órgãos de animais ehumano, usavam escravos como cobaia, deles extraiam os órgãos.

Níveis de consciência do corpo astral, apegados a esse passado, os terceiro, quarto, quinto, sexto e oitavo.

A depressão – são ressonâncias, ou choque de retorno das magias. Temos que lembrar que as magias realizadas por feiticeiros devem ser desmanchadas a qualquer tempo para evitar a sua atuação no presente, para quem fez e também quem sofreu a ação delas, porque elas permanecem latentes, os níveis de consciência ficam apegados até que alguém desmanche sua forma etérica ou por merecimento.

Pancreatite – é conseqüência de seus trabalhos com magia, pois usava muitos órgãos de animais e humanos. Foi retirado um aparelho implantado no pâncreas, vêm do remorso, por ter assassinado sua mulher por traição em uma vida anterior, e depois ter se suicidado. Estavam apegado a esse passado o corpo astral e seus níveis, terceiro, quarto e sétimo. Os cordões dos chacras, dos segundo e quarto níveis, do umbilical e esplênico estavam desconectado e foram religados.

Corpo astral, na linha do chacra umbilical – os segundo, terceiro, quinto e sexto níveis, estavam apegado às magias, trazendo vibrações negativas para o paciente. Os cordões dos chacras cardíaco e laríngeo e também do chacra esplênico e umbilical, estavam desligados.

Mental superior – continuava fazendo magia no astral, foi conscientizado a desistir. Os segundo, terceiros, quinto e sétimo níveis, estavam ligados à existência de magia, foram desconectados.

Mental inferior – o corpo, terceiro, quarto e sexto níveis, estavam apegado às magias. Os cordões dos chacras umbilical e cardíaco, do segundo e terceiro níveis, se apresentavam como nós e foram normalizados.

Duplo etérico ligado à magia, mais os terceiro e quarto níveis. Os cordões dos chacras do terceiro e quarto níveis que se apresentavam com nós foram normalizados com repasse de energia dourada.

Caso 61: Clarice – 76

Problema apresentado: dor de cabeça e dor no braço e ombro esquerdo, que já vem sofrendo há mais de dois anos.

Aberta da freqüência vibratória com desdobramento anímico: os espíritos que se encontravam com a paciente foram encaminhados, esses espíritos foram seus escravos e reclamavam dos maus tratos sofridos em suas mãos. A paciente recebeu sessões de Toque Terapêutico.

Dois anos após o primeiro atendimento foi novamente atendido pela Apometria, mas as dores do ombro e do braço esquerdo ainda persistiam.

Apresentou numa existência passada um tumor na região esquerda do corpo que atingindo inclusive, o braço esquerdo, seria um câncer, que surgiu em conseqüência de um resgate da vida de feitor de escravos. Os amigos do mundo espiritual fizeram uma raspagem no braço do quarto e sétimo níveis. Havia cordões dos chacras com nós e outros desligados. Vários níveis apegados à existência do câncer. Aparelho no braço, do duplo etérico. Este segundo atendimento foi realizado em 07/04/2001.

Ler Cap XV, nº 3, do Evangelho, segundo o Espiritismo.

Soube que a dor do braço ainda persiste. Existem casos que são cármico, não tendo, porém solução nesta vida, mas a vida continua além túmulo e os tratamentos são para sempre.

Caso 62: Margarida – 53 anos

Data: 02/02/2001

Problema apresentado: choro, dor na coluna, dor no peito, pressão baixa, insônia, angústia, tristeza, ansiedade, medo de acidente, de altura, de tempestade e solidão.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: foram recolhidos os espíritos que se encontravam com Margarida. O marido desencarnado que se encontrava com ela, foi encaminhado.

Choro e medo – perdeu o marido em um acidente em outra existência e se culpa por isso, disse que foi a responsável pelo acidente.

Dor na coluna – devido a um aparelho implantado na coluna por um espírito.

Dor no peito e pressão baixa – devido a um parelho implantado no coração, também se relaciona à perda do marido naquele passado, devido ao processo de culpa, porque era ela quem dirigia.

Insônia, angústia e tristeza – trabalhou em existência passada principalmente à noite, com magia negra.

Medo de altura e tempestade – devido o acidente que acontece naquele despenhadeiro, hoje se preocupa com o filho que é piloto de avião e vive sempre nas alturas.

Solidão – devido à morte do marido. Pensa muito no marido, pois gostaria que ele estivesse vivo.

Ansiedade – relacionada a constante preocupação.

Deve trabalhar a sua mediunidade.

Caso 63: Ana – 41anos

Data: 02/02/2001

Problema apresentado: coluna, estômago, tontura, medo de altura, água, tempestade, de morrer e de lugar fechado, se culpa, angústia, tristeza, insegura, sensação de vazio, ansiosa, ciumenta; mágoa, ressentimento e tiróide.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: recolhidos os espíritos que se encontravam com a paciente.

Estava com a paciente um obsessor que queria deixá-la louca, porque disputaram o mesmo homem em vidas passadas. Tinha um aparelho na coluna e no estômago implantado pelos obsessores. A bebida que costumava beber em outra existência lhe ocasionava problemas no estômago.

Medo de água – o pai morreu afogado, motivo pela qual fui morar com o meu tio, foi o meu tio quem afogou o meu pai para ficar com minha mãe. A angustia vem do lugar fechado em que meu tio me trancafiava. A insegurança é de medo de perder as pessoas que gostava. Pode-se notar que os sintomas atravessados pela paciente, uns fortes e outros fracos são ressonâncias de outros passados, que surgem hoje.

Precisa se trabalhar em sua reforma íntima, enfrentando os problemas com naturalidade sem o processo de culpa. Apresenta muitas dificuldades que se relacionam uma com a outra, pois acumulou essas dificuldades em duas encarnações.

Caso 64: Gilmar – 35 anos – Evangelho segundo espiritismo Cap IX – 7.

Problema apresentado: cálculos renais, ácidos úricos e problemas afetivos.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: espíritos no chacra esplênico. Infecção e aparelhos nos rins. Trabalhou em vidas passadas com magia, usava órgãos de animais, hoje traz essa série de conseqüências como ressonância das magias.

Tinha nível de consciência no vale do sexo. Alergia pelo corpo, vem daí o ácido úrico e acidez na bexiga. Em vidas passadas foi uma espécie de maníaco com problemas mentais, e maltratava mulheres. O problema mental é um resgate da vida que trabalhou com magia. Em encarnação seguinte renasceu como mulher e foi escravizada, e foi muito usada pelos homens.

É por isso que não gosto das mulheres porque tenho medo de escravizá-las novamente. Eu gosto de fazer com que elas fiquem abaixo de mim e de gosto de colocar as mulheres num segundo plano.

Caso 65: Elba – 56 anos, Cap XI – 11, do Evangelho, segundo o espiritismo.

Problema apresentado: dor de cabeça; diabete; problemas de ovário e bexiga; dor na coluna; irritação nos olhos; problemas hormonais; dor nos intestinos.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: encontrava-se com a paciente muitos espíritos doentes e cobradores, os quais foram encaminhados.

Dor de cabeça – é conseqüência da implantação de um aparelho na cabeça e a ressonância de uma vida passada onde desencarnou em conseqüência de um tumor na cabeça.

Diabete – devido a um aparelho implantado na corrente sangüínea e devido ao excesso de preocupação. Foi muito temperamental, autoritário, acumulou energias negativas no coração e morreu de enfarto, de outra existência de onde traz uma série de problemas. Foi desintegrada uma bola escura que se alojava no estômago.

Infecção no ovário e bexiga – foi uma rainha que fez vários abortos. Encontramos manchas escuras no chacra esplênico procuramos harmonizar o problema.

Dor na coluna – aparelho implantado na coluna.

Irritação nos olhos – os obsessores colocaram uma espécie de pelo nos olhos da paciente, traz essa dificuldade do tempo de rainha quando foi muitas cruel.

Problemas hormonais e dores no intestino – é conseqüência da implantação de parelhos.

Caso 66: Mari – 42 anos

Data: 27/02/2001- Miami Bech – Florida – USA

Problema apresentado: Sensações estranhas de escamas pelo corpo com imagem visual e tátil com sensações desagradável, ocorrendo com os primeiros raios da manhã.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: Estava com a paciente um mago que se plasma como um réptil. O mago diz que ela lhe humilhou muito, a ponto de fazê-lo se rastejar perante ela. Eu quero que ela se sinta como eu me senti naquela época, que se sinta como réptil. Em vidas passadas Mari foi uma rainha e esse mago que estava com ela foi seu conselheiro, mas ele sabia demais, para me livrar dele, mandei fazer uma magia negra, para que ficasse com a pele escamosa como se fosse uma cobra. Naquela época esse espírito queria provar a decência de Mari, pois queria provar que ela não tinha condições morais de ocupar um cargo de Rainha.

Esse obsessor vestiu os níveis de consciência da paciente com escamas, parecendo répteis. Um nível estava numa lama procurando se curar. A dor forte nas costas é conseqüência do aparelho instalado pelo obsessor.

Apresentou níveis rebeldes que não queriam aceitar a idéia de perdoar. Outro estava com um mascara para não ser reconhecido pelo obsessor.

Um procedimento interessante a se tomar quando se encontram casos de magia negra, onde sacrificaram animais, é liberar a forma etérica do animal. É, com certeza, um detalhe simples, mas muito importante.

Caso 67: Maria R. – 50 anos

Data do atendimento: 14/04/01
Problema apresentado: ciúme do genro com a sua filha; raiva do pai; ódio, possessão; fobia por água e escuro.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: recolhido os espíritos que se encontravam com a paciente. A filha de Maria de hoje foi seu marido em uma vida passada. Por isso o apego com essa filha. Níveis de consciência vestida de homem para separar a filha do marido, pois achou que vestida de homem teria mais autoridade sobre o genro e a filha. Quando olha para o marido vê um inimigo, pois este marido lhe roubou a filha de hoje em vidas passadas, de desgosto se suicidou.

Em existência passada trabalhou com magia e muito fez para separar casais. É muito apegada a coisas materiais.

Fobia pela água – numa disputa com seu genro empurrou-o na água, ele não sabia nadar e se afogou, daí vem o medo de água.

Medo de escuro – ficou presa durante anos numa prisão, porque havia matado o filho do Rei, nesta prisão foi decapitada. É uma pessoa muito desconfiada.

Mediante o resultado do atendimento, não se conformou com os fatos, pois não aceitava ter sido tão má no passado.

Caso 68: Paulo – 40 anos.

Data: 14/04/01

Problema apresentado: dor de estômago; problemas de coração; má circulação; solidão; pessoa de relacionamento difícil e muito rancoroso.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: foram recolhidos os espíritos que estavam com o paciente.

Aparelho no coração – muita tensão devido as fortes emoções passadas. Foi um carrasco que trabalhava para um coronel e gostava do que fazia. Gostava de mostrar serviço. Um dia eu não consegui matar uma família, quando olhei para seus olhos perdi a coragem e fugi, depois me suicidei devido o remorso das coisas erradas que já tinha feito.

Estômago – um aparelho implantado no estômago. Devido a uma úlcera nervosa, também a nível físico, traz essa ressonância do suicídio pela ingestão de veneno.

Isolamento – medo de encarar as pessoas, desde que encarei aquela família sinto um remorso, isso me marcou muito.

Circulação – um aparelho implantado na corrente sangüínea. Deve tomar chá de ervas para depurar o sangue, tais como urtiga vermelha, salsaparrilha e folhas de tomate.

Problemas no emprego – são os seus inimigos que lá estão e o medo de enfrentá-los.

Caso 69: Rosa.

Data: 17/03/01

Problema apresentado: dor na coluna; diabete; dor no peito; dor no lado da cabeça; insônia; tristeza; muito rancor.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: foram recolhidos os espíritos que estavam com ela.

Encontrava-se com um aparelho instalado na coluna, colocado pelos espíritos. No passado foi um capataz que chicoteava os escravos no tronco, não queria rever essas cenas, pois tinha dificuldades para enfrentá-las.

Diabete – nervos debilitados, emocional abalado; alteração do nível de açúcar no sangue, proveniente de ódio e vingança. O corpo físico provoca debilidade nos músculos, de um modo geral, atingindo primeiro as pernas, depois braços e por último o coração. São conseqüências das magias feitas em existência passada. Em seus trabalhos de magia usava animais, sangue e bonecos. Considerava-se uma pessoa mal amada, por não dar oportunidade para as pessoas, pois se fechava dentro de si. Dizia que essas pessoas eram suas inimigas de passado, por esse motivo fazia magias para prejudicá-las.

Podemos notar que existem pessoas que fazem magia, para pessoas que não conheceram pessoalmente, porém já as conhecem de outro passado. Essas pessoas ainda trazem o efeito da magia e uma certa maldade no coração.

Dor no peito – devido a aparelho e pressão proveniente do ódio e do rancor. Foi queimada na fogueira e odeia muito àqueles que a queimaram, é como se ela ainda estivesse sendo traída por eles. Ela ainda não conseguiu se libertar das energias negativas do ódio e da vingança. Por isso não conseguirá se livrar da diabete.

Dor do lado da cabeça e insônia – proveniente de aparelho e de magias.

Tristeza –Seus pais lhe abandonaram em uma existência passada, não ter se conformado com o fato, ainda traz essa vibração negativa que se transforma em mágoa.

Caso 70: Samina – 31 anos.

Data: 10/03/2001.

Problema apresentado: tentativa de suicídio; solidão; não tem amor pela filha; o marido vive com outra; doença de pele.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

O corpo de Mental Superior sai e vai implantar aparelhos no ex-marido e na outra mulher com quem ele vive. Não gosta nem de si mesma, nem de outras pessoas, por isso à vontade de suicídio.

Solidão – o abandono pelo marido lhe provocou uma angústia muito grande, nesta vida. Em outra vida abandonou a mulher, fugindo com outra, era um homem. Traz muito ódio no coração, isso é um veneno que lhe correi aos poucos.

Doença de pele – são contaminações vibratórias atraídas pela desarmonia que impõem a si mesma, também proveniente de níveis transitando o umbral.

Por enquanto não deve caminhar no sentido oposto ao que pensa e faz; aos poucos deve ir aprendendo a se perdoar, a si e aos outros. Deve procurar se submeter a tratamento com energia, florais e ervas medicinais.

Caso 71: Luiz H. – 23 anos.

Data do atendimento: 10/03/2001

Problema apresentado: fala em suicídio; bebe; diz que tem trabalho de magia; não come; a mulher está grávida do segundo filho.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: foram recolhidos e encaminhados os espíritos que se encontravam com Luiz.

Considera-se, um fracassado, sempre fugindo de responsabilidades e dificuldades que aparecem, se apóia pensar para não assumir o filho que está para chegar. Foi em vidas passadas um revolucionário que com o tempo ficou ultrapasado e se ressentido com a desvalorização de seu saber acabou se suicidando. Não sabe ouvir o que os outros têm lhe para dizer, acha que sempre está certo. O vício é uma espécie de esconderijo onde se refugia. Foi removido um aparelho implantado no estômago. Por querer morrer não se alimentava direito, e assim o fazia porque encarava esse tipo de comportamento como um suicídio.

Caso 72: Olmar – 63 anos

Problema apresentado: problemas de coração: hemorróidas; desânimo; fraqueza; desconfiava que estava sendo acometido por um quadro infeccioso.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: reclama que um obsessor colocou-lhe uma estaca em seu coração. Em vidas passadas foi um feiticeiro que para matar certos bruxos, fincava uma estaca no coração das vítimas. A estaca colocada em seu coração veio desta existência.

Febre intestinal, talvez venha à desconfiança de infecção. A parede do intestino encontra-se muito seca ocasionando dores. Aplicou-se um óleo para lubrificar as paredes do intestino, que apresentava uma veia delatada. Teve câncer no intestino, em vidas passadas como resgate de magias de outra existência. Em suas magias costumava usar vísceras de animais e sangue. O seu problema intestinal tem uma certa conecção com esse passado de magia.

Foi um médico fracassado que tinha muito medo de errar. A escolha da profissão se deu por pressão dos pais. Assim o medo de errar é uma forma de pressão exercida pela vibração daquelas magias, como se fosse uma espécie de remorso em andamento.

O cansaço – proveniente do sétimo nível de duplo etérico que ia para o umbral tentar socorrer os seus pacientes que lá se encontravam e também pela dificuldade de respirar.

Caso 73: Rosane – 15 anos

Data: 28/04/01

Problemas apresentados: dor de cabeça; foi retirado o seu baço com 2,5 anos; baixo nível de plaquetas no sangue; sangramento menstrual freqüente; desmaios.

A paciente já havia sido submetida a um atendimento Apométrico em outro caso espírita.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: o Mental Superior plasmou um feto no Corpo Astral, dizendo que era o filho que abortou em outra existência. Precisava voltar nesta existência. Foi drenada energia negativa localizada no chacra cardíaco, no frontal e no esplênico (baço). O sétimo nível do Mental Superior se encontrava fazendo magia com sangue no astral, por isso a necessidade de sangue freqüente. Foi um médico em existência passada que retirava o útero de mulheres sem motivo. Foi uma espécie de carniceiro, era como o chamavam.

Interessante que o médico de hoje que optou pela retirada do baço, teve sua mulher de hoje atendida pelo médico carniceiro daquela existência que lhe retirou um dos seus órgãos. Em outra vida ela trabalhou com magia negra, em que usava sangue de animais e humanos, muitas vezes chegando a ingerir. Durante as magias muitas vezes suas vítimas desencarnavam devido a hemorragias externas.

Corpo Astral – diminuiu-se o útero da paciente e retirou-se um anel que se encontrava em sua volta. Foi passado na corrente sangüínea uma cor vermelha e violeta. O mundo espiritual usou uma sonda para retirar os coágulos de sangue de dentro e fora do útero.

O sexto nível de Corpo Astral encontrava-se com hemorragia interna, por isso se passou uma cor índigo para estancar a hemorragia. Realizou-se uma reprogramação celular.

Desmaio – o Mental Superior afastava o Corpo Astral, para que pudesse fazer as magias com mais facilidade.

Dor de cabeça – no final da encarnação onde era médico foi acometido de um tumor no lado esquerdo da cabeça. Apegados a esse passado estavam os segundo, terceiro, quarto, quinto e sexto níveis do Corpo Astral. O sétimo e oitavo se encontravam fazendo tratamento no astral, com o objetivo de se curar, entretanto a cura não alcançava o efeito desejado.

O Mental Inferior – os segundo, terceiro e quinto níveis, estava apegados à encarnação de médico e a vida de feiticeira, os cordões dos chacras frontal e coronário se apresentavam nós, nos terceiro e quarto níveis.

Duplo etérico – foi encaminhado um espírito ovóide que se encontrava no chacra esplênico; energizou-se uma veia que se encontrava debilitada.

Estava vivenciando um aborto que tinha cometido a força em existência passada. Devido à hemorragia causada por esse aborto veio a desencarnar. Apegados a essa vivência, se encontravam os níveis, segundo, terceiro, quarto, sexto e sétimo. Os segundos e terceiros níveis, do chacra frontal e coronário apresentavam com nós. Os cordões dos chacras umbilical e cardíaco, dos segundo, terceiro, sexto e sétimo níveis, estavam desligados. Encontravam-se aparelho na cintura dos subníveis.

Marcou-se um segundo atendimento, mas o paciente não retornou para ser atendido. Não sabemos com certeza se houve melhora do paciente, mas acreditamos que melhorou, caso contrário teria voltado. Trabalhou-se, também uma sessão de Toque Terapêutico com o paciente.

Caso 74: -Gabriel – 39 anos

Data: 05/08/2000.

Problema apresentado: acredita que existe algum trabalho de magia destinado a ele, principalmente, porque se apaixona por alguém e depois o relacionamento se dissolve com facilidade.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: um grupo de quatro níveis de consciências de Gabriel fazia magias para os seus próprios níveis como uma autopunição. Estavam separados dos demais, impedindo que o paciente encontrasse uma companheira.

Em vidas passadas faziam magia com os cabelos das pessoas, com a finalidade de separá-las. Dois níveis estavam vestidos de mulher, por não querer se relacionar com ninguém, por medo de não dar certo, vemos ai a dificuldade de relacionamento afetivo de Gabriel.

Numa outra encarnação me apeguei a uma mulher, ela me enganou, mesmo assim eu gostava dela, era como se fosse uma doença. Devido a essa traição, jurou que não iria mais se apegar a ninguém.

Esse resgate e essa traição vêm de uma vida onde ele era uma mulher de vida fácil, mentia que gostava de todos os homens e não dava chance para outras mulheres.

Não deves, daqui para frente se preocupar, deves viver o presente, sem receio do passado conflitante. Tens que ter a certeza que as coisas vão melhorar. Aquilo já passou. Não há mais razão para se preocupar. Porque agora você é outra pessoa, com novas idéias e novos objetivos.

Caso 75: Eulalia – 55 anos

Data: 25/11/00

Problema apresentado: insônia; ressentimento; emocional abalado; dor forte no peito; o marido a deixou há quatro meses.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: os obsessores que se encontravam com Eulália foram recolhidos.

A insônia – é de hoje e do passado. Foi um homem que guardava cadáveres embalsamados e roubava as jóias desses cadáveres. Um outro homem sabia de seus roubos, para não ser delatado, acabou assassinando esse homem. Essa ressonância traz aquela vivência passada do assassinato. Não conseguir ter um sono tranqüilo, pois às lembranças do assassinato não lhe deixam em paz. A insônia é também medo de sair do corpo devido à obsessão.

O problema emocional que estou atravessando, é de hoje e também de outra vida. Fui uma mulher que traia o meu marido e após a sua morte, me senti com a consciência muito pesada.

Ressentimento – processo de culpa. Devido à profissão que escolheu no passado, onde foi um juiz, que dava seu veredicto conforme a propina que recebia. Hoje é uma advogada.

A dor no peito – é um choque de retorno da punhalada que dei naquele homem que pretendia me denunciar e da traição de meu marido. Estava com um aparelho no chacra cardíaco e um grande nó nos cordões que ligam a este chacra.

Caso 76: José – 47 anos

Data: 18/04/01

Problema apresentado: enfartado duas vezes, introvertido, depressivo, desconfiado.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: muitos espíritos doentes se encontravam com José, produzindo-lhe uma contaminação vibratória. Estes espíritos foram encaminhados.

Uma veia obstruída – níveis espirituais com problemas e aparelho no coração, pulmão e na cabeça. Trabalhou com magia em outra existência, usando órgãos de animais e humanos. Havia espíritos na válvula do coração. Ele assassinou sua mulher por motivo de traição, em existência passada, com uma punhalada no coração quando ela dormia, e depois escondeu o corpo. É a mesma mulher de hoje. Ele é muito desconfiado, orgulhoso e magoado.

Desconfiança – precisa mudar sua maneira de ser, tanto conscientemente com a nível espiritual. Não se abre com ninguém, devido à desconfiança devido à traição.

Gordura envolvendo uma veia. Cordões dos chacras com nós e arrebentados. Seus níveis de consciência ainda comentam, como vou suportar aquela que me traiu junto de mim. Por isso a depressão, o enfarto, da ansiedade, e da angustia. A paciente deve praticar a oração do perdão.

Caso 77: Manoel – 46 anos

Data: 28/04/01

Problema apresentado: angustia; preocupação; depressão.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: espíritos que estavam com o paciente foram recolhidos.

Angustia – foi um matador de aluguel e depois de matar se arrependia do que fazia. Em vidas anteriores, achava bom quando alguém fazia justiça, levando essa predisposição de justiça pelas próprias mãos para a vida posterior, vindo a ser um assassino de aluguel.

Preocupação – medo de errar e ver as pessoas sofrer injustiças.

Depressão – traz da vida de matador de aluguel. Naquela vida de matador de aluguel a obsessão foi tão grande que acabou cometendo suicídio por enforcamento. Quando cheguei no mundo espiritual fui escravizado por espíritos, os quais eu tinha tirado suas vidas. Demorei muito a reencarnar e vim com medo, uma pessoa ansiosa, e deficiente das pernas e fui assassinado para me roubar o que tinha. No final do atendimento, apareceu um obsessor junto ao corpo físico, um daqueles que ele havia assassinado. Esse obsessor disse que ia obsediar Manoel, de uma forma tal que ele iria acabar se suicidando. Por isso a depressão e níveis que estavam ligados a zonas umbralinas.

Caso 78: Noemia – 32 anos

Data: 19/05/01 – Evangelho – Cap. XIII – 17.

Problema apresentado: dificuldade de engravidar e menstruação em abundância.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: os obsessores que estavam com a paciente foram recolhidos e encaminhados.

Incorporou de primeira mão o mental superior. Níveis de consciência se mostraram contrários à gravidez, pois não quer ficar presa a uma criança. Tem medo que alguém venha lhe fazer cobranças. Não quer o primeiro filho que está na fila para que não aja a gravidez os níveis de consciência de Noemia colocaram um tampão no útero, impossibilitando assim de engravidar. Esse espírito que está para reencarnar como seu filho, foi abortado pela paciente em vidas passadas, onde também, ouve uma traição. Tudo isso amedronta a paciente. Medo do enfrentamento, de encarar os seus desafetos do passado. Por isso acontecem muito das rejeições, tanto da parte da mãe como do próprio espírito reencarnante. Às vezes são os níveis da mãe que descobre, identifica quem está chegando, outras vezes é o espírito do novo ser, que descobre, essas informações que são passadas por obsessores para os níveis de consciência do reencarnante, surgindo o medo de enfrentar os seus inimigos.

Menstruação em abundância – o corpo astral fala de promiscuidade. Para evitar a gravidez, os níveis usavam também um líquido abortivo. Por não querer compromisso materno se forma uma espécie de tumor no útero, como bolhas. Níveis com cisto e miomas. No duplo etérico tinha aparelho no útero e nas trompas.

Podemos notar várias obstruções impedindo a gravidez. Dificilmente essa paciente iria engravidar se não fossem removidos esses obstáculos. Outros casos foram atendidos com resultados positivos, sem maiores problemas.

Caso 79: Marco – 35 anos

Data: 19/05/01 – Evangelho, Cap. XXVII – 23.

Problema apresentado: dor nas costa, pernas e cabeça; medo de lugares fechados; no início do casamento tinha uma vida sexual ativa, agora procura a companheira uma vez por mês.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Níveis de consciência no vale do sexo. Existe uma mulher encarnada magrinha de cabelos compridos, que está faz magia para o casal. Ele deve conhecer essa mulher. Diz essa mulher desdobrada na médium, que não quer filho. Essa feiticeira amarrou as trompas do corpo astral da mulher de Marco, evitando a gravidez. Eu, diz a feiticeira, o amarrei também, por isso ele tem dores nas pernas. Fiz uma magia com órgãos de animais, para dificultar a gravidez e atrapalhar a vida de ambos.

O paciente diz que tem vergonha do que fez no passado, onde foi usado pelo Rei como homossexual.

Em outra existência abusou do sexo, demasiadamente com mulheres e animais.

Lugar fechado – fui enterrado vivo porque fiquei sabendo de um crime. Fui enterrado junto com o morto assassinado. Ainda em outra existência enterrei a minha mulher viva por motivo de traição. Daí vê o porque de ter sido enterrado vivo, estava colhendo a sua semeadura.

Níveis do Mental Superior que estavam no vale diz que tem uma mulher lá, por isso não procura a sua mulher a nível físico.

Caso 80: - Tulia, nove meses

Data: 30/03/02

Técnica utilizada: Apometria

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: recolhido os obsessores e encaminhados.

Infecção no ouvido – Eram aparelhos implantados pelos obsessores.

Infecção urinária – foi um general muito sanguinário que por não querer que aumentasse a população em uma determinada vila, mandava abortar as mulheres grávidas que tivessem completado oito meses de gravidez, tirava-lhes os fetos com a ponta da espada. Esses espíritos lhe perseguem ainda hoje, não deixando a paciente em paz.

Broncolite – matava as pessoas sufocadas, foi um espião da Igreja que cumpria ordem dos seus superiores. No final fui morto, porque sabia de mais.

Refluxo – um aparelho instalado no estômago. Pés amarrados com cobras. Cordão de prata muito esticado provocando tontura. Um cordão do chacras extra se ligava com zonas muito negativas. Aparelho instalado nas mãos que as queimava. Esse último aparelho tem uma ligação com um passado em que queimava as mãos dos escravos com ferro quente. Os terceiro, quarto e quinto níveis do Mental Inferiores atrofiados da cintura para baixo como autopunição. Dor nas pernas.

Chacra básico girando desordenadamente, devido à concentração excessiva de energias negativas. Espírito atrofiado dentro do chacra esplênico.

Acorrentado os quinto e sétimo níveis do duplo etérico. Os braços recobertos com placas magnéticas e aparelhos implantados nas pernas. Diversos micros aparelhos instalados na coluna. Após o atendimento a paciente melhorou acentuadamente.

Caso 81: Nilson Julio.

Data: Junho de 2001

Por que se atende pela técnica Apométrica todos os níveis de consciências possíveis de uma determinada criatura e de repente essa criatura começa a sentir certa dor, indo buscar novo atendimento na Apometria, e ai se dá de cara com um obsessor que está tentando se vingar do mal que sofreu por pelo paciente em outra existência. Temos ai um caso de obsessão. Mas no mesmo atendimento, depara-se com níveis se punindo pelos erros cometido anteriormente, não deixa de se ter aí um caso de autobsessão, até ai tudo normal, na, mas como esses níveis se apresentam doentes, isso leva ao pensamento de como esses níveis ainda não tinham aparecido em outros atendimentos, mostrando esses sintomas de dor que ora apresentam.

Ocorre que no momento que surge o obsessor em cena, encontrando o seu algoz, de outros tempos, hoje sendo vítima do antigo desafeto, que está procurando vingar-se. Por que os níveis ainda não tinham vivificado esse evento? Porque estavam como que adormecidos com relação a esses problemas. É como se esse problema não existisse. É como certos casos que acontecem no mundo de hoje, pessoas que cometem certos deslizes e passam a viver em outro país, como um paraíso fiscal, achando que lá estará livre da justiça. Quando um belo dia é surpreendido pela justiça, é como se o mundo viesse a baixo. No caso desses níveis, o problema estava como que adormecido, se materializou novamente, lhe vindo à tona todo o mal causado a outros e junto o remorso, pois já sabe o quanto errou e que não deveria ter feito aquele mal ao seu próximo, e muitas vezes associado a outros problemas. Então se pergunta? Não tinha nada pode, de repente o mundo lhe cai sobre a sua cabeça, parece estranho, mais é verdadeiro.

Em junho de 2001, fui acometido de uma forte gripe, a tal ponto de doer-lhe à arcada dentária inferior do lado esquerdo, uma forte dor a cima do olho esquerdo e ainda coceira nos olhos, pois estava usando um colírio. A achei que era efeito do colírio e passei a usar outro colírio.

Não tinha uma localização definida de qual dente vinha à dor, pois era semelhante a uma nevralgia. A dor começou no início do dia e depois melhorou, possibilitando a trabalhar na casa espírita. Mas no dia seguinte acordei com dor nos rins, como se tivesse ali um cinturão pressionando. Liguei para a minha companheira de trabalho apométrico, pedindo para que ela se desdobrasse e viesse até a minha residência verificar o que estava acontecendo comigo. Ela falou que era um cinturão que estava pressionando os rins, um aparelho no rosto e um obsessor ligado a eles, o qual tentei encaminhá-lo ou deixá-lo dentro de uma cápsula para posterior atendimento na Casa Espírita. Desintegrei os aparelhos e melhorei um pouco, não totalmente, mas dava para suportar.

À noite fui trabalhar na casa espírita, quando retornei para casa, fui acometido de uma forte dor de dente e uma dor acima do olho esquerdo novamente. Não dormi a noite toda. No dia seguinte liguei para a minha companheira de trabalho, explicando-lhe o caso e dizendo que eu iria até a sua casa para fazermos um atendimento apométrico. Estava inclinado a ir a um dentista para um problema espiritual, mas antes queria me certificar se não era realmente espiritual.

Quando abrimos a freqüência surgiu o obsessor que havia colocado alguns alfinetes nas gengivas e parafusados a boca, pois ele ainda não tinha ido embora, não havia aceitado o encaminhamento, queria conversar mais de perto, dizendo que eu havia arrancado o seu olho em outra existência, mas, entretanto, entendeu que ele também havia cometido erros semelhantes e resolveu mudar de vida, retirando todos os aparelhos que havia colocado. Porém não era somente a obsessão que estava causando a dor, existia um remorso pelo mal que havia causado aquele espírito, pois havia arrancado o seu olho. Em outra existência, posterior a essa, reencarnei com uma deficiência no rosto que era o resgate do mal que havia causado a outras pessoas. Então certos níveis se apresentaram com essa deficiência que também provocava a dor na região do rosto. Então, após a conscientização desses níveis, que sutilmente estavam apegados aquele passado, se reparou o rosto dos níveis e, subníveis, tomando a devida consciência e a dor desapareceu como que por milagre. Outras dificuldades como aparelho nos pulmões, cordões com desarmônico.

Numa outra semana após esse atendimento, atingiu-lhe uma certa azia e uma tosse constante. Não sabendo o que fazer, pensei que fosse em conseqüência da gripe. Foi quando abri uma freqüência na Casa Espírita, verificamos que havia um mago comigo, cobrando dívidas, havia colocado um símbolo energético no corredor do prédio, que dava acesso ao meu apartamento. Disse que devido a certa proteção que eu havia feito antes de dormir, tinha dificuldades para entrar onde eu me encontrava. Colocou-me um aparelho no estômago que provocava azia, porque a azia não era constante, só em determinados momentos, principalmente quando me recolhia ao leito. Ele entrou no chacra laríngeo e fez um estrago. Recebi um atendimento com ervas dos nossos amigos do mundo espiritual, e passei a melhorar gradativamente, mas foi um processo demorado.

Podemos notar a quantidade de erros e acertos que precisamos reparar. O quanto precisamos aprender para atingir a plenitude do amor.

Caso 82: - Silvio. S. – 42 anos, casado, gerente bancário.

Data: 19/12/01

Problemas: ansiedade, impaciente, irritado, sensação de culpa.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: inicialmente foram recolhidos os obsessores que perseguiam o paciente.

Após o seu desdobramento, disse que tinha medo, pois estava sendo perseguido por espíritos obsessores, que tinha prejudicando no passado.

Fui um comandante, diz ele, treinava os soldados para a guerra, mas nos treinamentos preparava-lhe embosca nas quais, muitos morreram. Perguntamos se estava arrependido dos seus erros, respondeu não estar convencido do seu arrependimento a respeito do que fez naquela vida. Noutra existência foi enterrado vivo, porque após o combate acharam que estivesse morto. Seu espírito ficou preso ao corpo junto ao caixão, presenciou toda a putrefação do seu corpo. Isso ainda hoje me enoja e me angustia. Esse resgate se prende a uma existência em que fui um torturador, enterrava os prisioneiros até o pescoço e deixava-os para morrer.

Havia níveis de consciência no vale dos suicidas e dos sexos. Existe nível de consciência que ainda impera o mando, o poder. Diz, fui em outra existência guilhotinado junto com dois bandidos por querer ajudá-los.

É interessante frisar que na noite do dia em que esse paciente se submeteu a uma regressão a vidas, embora estivesse relutando em se submeter à mesma, não conseguiu ver nada em nível de consciente, mas, após a regressão se sentiu bem melhor, mais animado.

Voltando à noite para casa, ao me deitar, fiquei pensando nesse paciente e em uma maneira mais rápida de ajudá-lo com a Apometria, pois senti que necessitava. Por volta da madruga, me senti ameaçado na cama, sem poder me mexer, parece que estava chumbado na cama, tentei chamar a amiga da casa onde eu estava hospedado, mas não recebia respostas, passei a rezar vários Pai Nosso, procurei usar os meus recursos doutrinários que costume usar nos trabalhos Apométrico, ai tive uma pequena melhora, mas ainda preso a cama, tentando me arrastar, sem conseguir quase nada, em seguida passou a pressão, ainda com um certo receio e medo, me levantei e fui ter com a minha amiga, abri a porta e a chamei várias vezes, acreditando que estivessem em sono profundo, voltei para a minha cama e dormir.

No atendimento Apométrico resolvi perguntar ao Corpo Astral, tanto meu como do paciente, para saber o que tinha realmente ocorrido naquela noite comigo, sabendo de ante mão que tinha alguma coisa ligada àquele paciente que foi submetido à regressão. Os níveis de consciência do paciente enviaram um grupo de espíritos para cima de mim, com objetivo de me atormentar, dizendo que eu havia tido uma desavença com esse paciente em outra existência, e tal assunto não havia sido ainda resolvido.

O paciente teve uma melhora fantástica, como se tivesse tirado um peso dos seus ombros, dali para frente os trabalhos e os estudos passaram a fluir com tranqüilidade.

Caso 83: - Maria. G. – 47 anos

Data: 26/01/02. A paciente traz mediunidade.

Na semana anterior ao atendimento Apométrico, havia realizado uma sessão de Toque Terapêutico, foi onde se levantou a necessidade de trabalhar a paciente com Apometria para acelerar a recuperação da mesma.

Depressão – há vários anos vem se tratamento com um neurologista sem resultados, tomando remédios controlado para dormir, devido à depressão, insônia, problemas de Tiróide, ansiedade, falta de ar, dificuldade de memorização, dores nas pernas, não conseguindo juntar as pernas. Diz que quando criança sua mãe a fez percorrer um carreiro no sítio e que deveria seguir na frente, sem olhar para traz e para cima, pois sua mãe estava sentindo alguma coisa no ar, e vislumbrou algo estranho e que seria um segredo e não poderia contar para ninguém, caso contrário morreria. E até hoje a filha não sabe que segredo é esse. Houve um caso muito grave em sua família, sua filha com seis anos foi estuprada pelo tio. Isso lhe abalou muito. A paciente traz compromisso mediúnico.

Aberta a freqüência vibratória: foi desdobrada a paciente e recolhido os obsessores que estavam com a mesma. Aproveitei o desdobramento da paciente e sua mãe a nível astral, sem a incorporação da mãe que não se encontrava presente, para que a mesma pudesse presenciar os fatos ocorridos com as duas em vidas passadas, podendo compreender e se perdoarem.

Passaremos primeiramente a verificação do segredo, que até então sua mãe não lhe falou de medo de morrer.

Passaram por elas os espíritos das pessoas que ela tinha assassinado, dizendo que iam denunciá-la. Mostraram para a mãe, como se esses mortos fossem da família, para provocar o medo da mesma. A mãe da paciente foi um comerciante forte em vidas passadas e era muito conhecido no local onde residia. Adotava o sistema de matar todos aqueles que não quisessem ou não pudessem lhe pagar. Até que um dia foi descoberto os corpos enterrados de todos aqueles que ele havia assassinado. Esse comerciante é sua mãe hoje, que não agüentando a pressão, se suicidou. Porém ficou preso no caixão, de medo de sair temendo a presença dos espíritos que estavam do lado de fora lhe esperando, pois eram os que ele havia tirado a vida por não pagamentos das dívidas, estavam cobrar o mal que lhes havia feito. A paciente (Maria), foi filho desse comerciante nesta vida em foco, pois era o único herdeiro da fortuna, e o pai passou após desencarne a obsediar o filho, pois ainda estavam muito apegado as coisas materiais e, não admitia que o filho fizesse uso do que foi seu, levando o filho a loucura, acabou internado num manicômio, constantemente amarrado numa cama por 17 anos. Hoje trago dificuldades e friagem nas pernas, por ter ficado muito tempo amarado, acarretando problemas circulatório nos membros inferiores. O filho passou as piores privações, como fome, frio e medo. Era um lugar pequeno fechado e úmido, com escassa alimentação onde, adquiriu doença pulmonar e desencarnou. Só foi encontrado morto (Maria), quando o corpo estava em decomposição.

O Reverso da moeda – Maria e sua mãe, em vidas anteriores a essa em que foi filho do comerciante, era pobre e queria enriquecer a qualquer custo, passou a construir sua riqueza a base de mentiras, até que um dia foi acusadas das mentiras foi levado a forca. Essa pessoa que me acusou, eu havia levado a falência (era a minha mãe de hoje). Após a minha morte, não me conformei e passei a obsediar àquele que me enviou a forca. O Corpo Astral que estava ainda ligado aos eventos, segundo, terceiro, quinto e oitavo níveis, foi desligado, para que amenizasse o trauma.

Vemos que a mãe da paciente, ao ver o seu passado através dos espíritos obsessores, seus níveis já sabia naquele passado, mas lhe dava a impressão que hoje ia acontecer novamente o problema, por isso não queria revelar o segredo para a filha, que na época passada foi o filho do negociante, não podendo saber de seus crimes. Talvez, porque naquela época às pessoas que cometiam tais crimes eram condenados à morte e passam por humilhações e acabou cometendo suicídio.

Falta de ar – Doença que adquiriu quando estava no manicômio, onde morreu de doença respiratória devido à umidade do ambiente, e também do enforcamento daquela vida em que foi um delator mentiroso.

Falta de apetite – Quase não me alimentava quando estive naquele manicômio, agora não sinto tanta vontade de me alimentar devido ao hábito que formei durante os 17 anos que lá passei, formei um trauma psíquico que me acompanha ainda hoje.

A depressão, angústia e a tristeza – são o conjunto de tudo que me ocorreu nessas vidas. E do medo de voltar a sofrer novamente.

Dor no peito – em uma existência eu capturava crianças e entregava-os para um bruxo para serem sacrificadas na magia negra. Depois de muitos anos, como eu sabia demais, o bruxo resolveu fazer uma queima de arquivo, retirando o meu coração também.

Foi recomendada uma série de florais e, chás, como também a homeopatia, como Flor de São João, para amenizar a depressão.

A paciente voltou à casa espírita para passar por nova sessão de Toque Terapêutico. Já se encontrava bem melhor, entretanto não havia dormido a noite anterior, pois mesmo com a luz acesa não conseguia ficar tranqüila, pois via sombras de espíritos, embora estando em constante oração. Suas orações pouco funcionavam devido à vibração negativa que vibrava daqueles espíritos. Disse que naquele mesmo dia anterior à sua insônia, estiveram em sua casa duas mulheres de religião evangélica, quase que a obrigando a não buscar ajuda na casa espírita, tudo com o simples objetivo da tal igreja receber um bom dízimo, segundo falou-me a paciente. Tudo me leva a crer que espíritos que trabalham no astral dessa igreja, que estiveram em minha casa naquela noite para me forçar a abandonar a casa espírita de continuar os tratamentos e estudar a doutrina dos espíritos, pois a mesma é sensitiva e precisa ser educada, para saber como se equilibrar frente a tais situações.

Caso 84: - Jaci. M., 22 anos, solteira.

Data: 09/01/02

Problemas: Faz três anos que foi acometida de vários problemas – tais como: choro, via coisas, queria ir embora, pular de janelas, dizia que esses não eram os seus pais, não comia, dizia que ira morrer. Hoje vive abaixo de remédios. Engordou muito nesses três anos, pois era magrinha. Os exames médicos não acusaram problemas patológicos.

Aberto a freqüência vibratória da paciente com desdobramento anímico: recolhido e encaminhado os espíritos que estavam com a paciente.

O Corpo Astral incorporado, diz que chora por não estar satisfeita com nada, estou contra minha vontade no local onde me encontro, não me sinto amada, nem tão pouco, por parte de meus pais, eles também me perseguem querendo me dominar, sempre me torturaram e ainda continuam fazendo.

Em vidas passadas éramos todos irmãos, os meus pais de hoje eram homens, nossos pais da época morreram e meus dois irmãos assumiram a família e as finanças, porém, nunca permitiram que me casasse para não dividir a herança, até fome passei, fui deixada de lado como um fardo velho, até que não suportando aquela vida de desprezo me suicidei pulando de uma torre.

Num passado anterior a esse, meu pai e mãe de hoje eram filhos de meu marido com outra mulher, ele morreu eu fiquei cuidando deles, mas eu não gostava de criança, já não quis ter filhos para não ter que cuidar, porque havia de cuidar do filho dos outros, simulei uma morte para eles e dei para uns andarilhos, e nunca mais os vi. Estamos vendo ai o outro lado da moeda, ninguém escava das Leis Divina. Por isso os transtornos que ela está atravessando hoje. Então, tanto os pais como a filha tem que aprender se amar, a se compreender para se perdoarem mutuamente dos seus erros que cometeram junto no passado.

Quanto aos remédios que a paciente toma, esses remédios estão sendo ingeridos e solicitados por espíritos vampiros que se encontravam com ela. Esses espíritos me passam uma sensação horrível que sou obrigado a tomar os remédios, porque na verdade eu não preciso desses remédios. Aquelas lembranças me trouxeram uma certa ansiedade não resta a menor dúvida, por isso engordei demasiadamente em pouco tempo.

Níveis de consciência congelados pelos obsessores, como se quisessem me tornar uma pessoa fria e sem sentimentos.

Uma dor de cabeça no quarto nível, de Corpo Astral, proveniente do gancho no qual eu fui pendurada na prisão, e tentei fugir, como exemplo, para os demais presos, fui pendurada pela cabeça com aquele gancho, o quarto nível do Corpo Astral apresentava essa dor que refletia no físico. Fui presa por ter matado uma criança, mas eu disse, foi um acidente, mas eles não me quiseram ouvir. Eu trazia como carma de uma outra vida em que fui um carrasco e executava as pessoas na forca friamente. Por isso fui preso inocentemente, mas estava pagando um crime de outra vida. Nessa ocasião eu era um homem.

Uma substancia escura escorria pelos cordões, o terceiro, quarto, quinto níveis, do Corpo Astral, estavam de cabeça para baixo grudados uns nos outros e me deixavam tonta.

Muitos espíritos juntos aos cordões do terceiro e quinto níveis do Mental Superior, esses níveis estão surdos, não querem ouvir, não querem aceitar conselhos.

Junto do sétimo nível do Mental Inferior, se encontrava um espírito enorme vampirizando a paciente.

O Duplo etérico estava envolvido por um cascão.

É importante retirar os remédios depressivos gradativamente, pois está claro que seu problema é puramente espiritual, já nos exames médicos nada acusou.

É importante fazer um tratamento com ficoterapia, homeopatia, como forma depurativa das toxinas dos remédios controlados que vinha se medicando, para evitar também, atrair espíritos vampiros viciados em drogas. Exemplo, de chás, Salsaparrilha, sabugueiro, limão em jejum. Como calmantes folhas de maracujá, valeriana. Homeopatia, Flor de São João. Conversar se for o caso com o seu médico.

Não soube mais sobre o estado da paciente. Mesmo porque seus pais são avessos a esse tipo terapia.

Caso 85: - Leal. M. 34 anos, casado

Data: final de 2001.

Problemas apresentados: alguns anos vêm sofrendo de ansiedade, tomando alguns medicamentos para amenizar o problema.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico: os obsessores foram recolhidos.

Desdobrando o paciente, caiu em uma encarnação que havia assassinado uma filha pequena com várias facadas, como vingança pelo abandono de sua mulher. Vários níveis de consciência ainda guardavam no seu subconsciente o número de punhaladas que desfechou na filha.

Após este atendimento o paciente melhorou.

Caso 86: - Lourdes – 28 anos, solteira, há três anos passados estava com 66 Kg, hoje tenho 120 kg.

Problemas: Vivo com azia 24 horas, os médicos me disseram que tenho hérnia de hiato no estômago, está escamando igual a couro de cobra, e que tenho que reduzir o meu estômago, pois isso tudo é devido a grande gordura, está delatado, mas os médicos só dão tratamento, eu faço fico boa uma semana e depois volta tudo novamente, a dor é insuportável no estômago.

Aberta a freqüência vibratória com desdobramento anímico:

Uma névoa de espírito em minha volta, que estava quase se solidificando.

Dor de cabeça – aparelho colocado na cabeça do sexto nível de Corpo Astral, que impede de pedir ajuda em certos locais, me distanciando ainda mais dos locais de ajuda.

Estômago – resultado dos meus erros do passado que estão voltando como choque de retorno e tem sempre vários espíritos comigo. No passado eu manipulava formulas de veneno, pois tinha pessoas importantes que me solicitavam esses venenos. Para os

meus testes, para me certificar e sua eficácia usava de cobaia pessoas desocupadas que andavam pelas ruas, fazia uma série de promessas, usava as minhas formulas nessas pessoas como experiência, quando elas morriam era sinal que a formula estava aprovada, era sinal que podia vendê-la. Em encarnação posterior, reencarnei com deficiência física e mental.

O quarto e sexto nível do Corpo Astral estavam amarrados por obsessores no umbral, me obrigando a comer constantemente, comida envenenada. Por isso eu engordei tão rapidamente e ainda sentindo a dor do veneno. Esses espíritos eram aqueles que usei como cobaia nos testes das formulas.

Aparelhos e sujeira nos cordões dos chacras. Espíritos dentro do chacra esplênico que foram encaminhados.

Mental superior – níveis e subníveis aprisionados em forma de animais. Obsessores injetando uma substância no sétimo nível e aparelhos localizados nos rins.

Mental inferior – níveis dentro de uma cápsula magnética com obsessores juntos, provocando uma série de desarmonia.

Duplo etérico – vampiros dentro do estômago, contribuindo ainda mais para o seu problema estomacal.

Acredito que se a paciente fosse se submeter a uma cirurgia no estado que se encontrava, poderia trazer conseqüências mais graves, se acentuando mais o problema. Um exemplo, dificuldade de cicatrização, devido os obsessores e, o estomago com o tempo poderia voltar a dilatar devido à alimentação forçada ingerida a nível astral.

Como o atendimento foi realizado via ponte, pedido através de terceiro, não soube do seu desfecho final.

Caso 87: – Luiz N., 52 anos

Data: 09/03/02

Problemas: dores nas pernas, gastrite, insônia, ansiedade, as coisas não dão certo para mim, elas se fecham.

Abertura da freqüência vibratória com desdobramento anímico: espíritos em simbiose foram recolhidos.

Dores nas pernas: o segundo, quarto, quinto e oitavo níveis de Corpo Astral, aprisionado em uma lama e inconsciente. Espíritos em forma de vermes; aparelho na virilha com vírus e bactérias dentro desse aparelho ligado a zonas umbralinas.

Gastrite: vários pontos com energias negativas com substâncias tóxicas irritantes e corrosivas. Em existências passadas assassinava prisioneiros envenenando a comida, diz que para ter menos trabalho. Vários subníveis presos àquela prisão.

Insônia: vem desta vida em que trabalhei na prisão, os gritos daqueles prisioneiros me persegue, é como se estivesse acontecendo novamente.

Ansiedade: medo de ser aprisionado novamente, já foi aprisionado várias vezes. Algumas vezes o Mental Superior nos obsedia, prendendo e libertando. Um grupo de obsessores me queima, estão fazendo uma grande fogueira, me colocando no meio dela. O quinto, sexto, sétimo níveis de Corpo Astral são os que estão vivenciando esse fato.

As coisas que não dão certo: vários grupos de obsessores me perseguem e tenho muito medo, alguns deles já foram recolhidos, outros estão em um castelo com vários campos magnéticos. Os campos magnéticos foram desfeitos e desmantelando a base. Tinha um nível de mental superior, plantado em frente desse castelo, enraizado e hipnotizado e sem consciência do que lhe esta acontecendo provocando grande desarmonia. Há muito tempo que usava lá, fixado ao solo por aparelhos. Sente os pés queimando.

Aparelho nos cordões dos chacras do Mental Superior.

Mental inferior, o segundo, quarto, quinto e sexto subníveis, enrustido nos níveis de consciência, provocando um acúmulo de energias diferenciadas que está provocando uma certa paralisia, foram dissociados com um branco cintilante.

Diversos aparelhos e micro aparelhos, implantados no segundo, terceiro e sexto níveis do Duplo Etérico. Um transmissor instalado no ouvido direito.

Por mais desafortunado que você esteja, vivendo em obscuridade aparentemente irreparável, recorde o fato de que a luz e a noite fazem parte da vida e que existimos interdependentemente. Todos somos unos com a Natureza.

A noite diluir-se-á com o aparecimento do sol, a não ser que você prefira prender-se eternamente a ela. Muito além do céu encoberto de tristeza está o astro-rei radiante de alegria. (Lourdes Catherine, do livro Conviver e Melhorar)

Caso 88: - Comênia – 78

Data: 27/07/2002

Problemas – esquecimento, não caminha, não come, não fala, tonturas. Pressão alta. Isso ocorreu repentinamente, os médicos deram como diagnóstico Mal de Alzheimer.

Apometria – aberta à freqüência vibratória com o recolhimento de espíritos.

Uma imensa barreira entre o Corpo Astral e o Duplo Etérico, feito pelos obsessores, isso é como se a pessoa ficassem com o corpo separado da cabeça. Os chacras básico até o cardíaco, cheio de espíritos. Níveis de Corpo Astral com seu chacra umbilical dentro de um redemoinho de energias negativas, isso provoca uma desarmonia muito grande na criatura é como uma mangueira d'água toda furada ou interrompida. Ganchos energéticos negativos na cabeça.

Enjôo – proveniente do sexto, sétimo e oitavo níveis que se encontravam aprisionados numa caverna de sacrifícios humanos e, eu tinha que comer aquela carne, diz a paciente desdobrada sinto um nojo, por isso não como, é como estivesse lá. Ferimentos profundos na cabeça.

Fui um prisioneiro extremamente cruel, eu fui morto pelos meus próprios companheiros de prisão (era um homem nessa vida) com um imenso machado por ocasião de uma revolta que ocorreu no presídio. Mas eu não morri na hora, eles foram cortando aos pouco pedaço por pedaço do meu corpo, pois eles me odiavam. Perguntei se já tinha perdoado os seus assassinos, após um grande esforço disse que iria tentar perdoá-los. Dor nos ouvidos, aparelhos que me faz escutar vozes e ruídos de animais. Cristais no quinto nível de corpo astral e lama, que provoca uma certa desarmonia na criatura.

O redemoinho me tirava da realidade, então não tinha consciência, por isso a perda da memória. Sente frio, estava com uma espécie de roupagem que lhe causava frio.

Estavam com armas pesadas, os segundos, quarto e quinto níveis do mental superior.

Angustia e o medo, vinha de uma base no astral que lhe passava essa vibração.

Duplo Etérico – tinha espíritos entre os níveis e subníveis causando grande desconforto.

Um cordão grosso anormal ligado ao chacra básico.

Um abismo cheio de espíritos e de níveis de encarnados presos em uma grossa lama, que lhe trazia uma série de desarmonia. Acredito que foram presos por ela.

Níveis de consciência muito rebeldes, difícil doutrinação, não querendo ver a realidade da vida, preferindo se manter ma obscuridade.

Vemos um caso parecido com subjugação, associado à auto obsessão.

Um dia após o atendimento Apométrico a paciente veio a desencarnar. Como os tratamentos para a cura são feitos para sempre, não importando se a criatura venha a se curar nesta vida, ou no mundo espiritual, ou ainda para a outra vida.

Caso 89: – Jussara – 
Data: 2002-
Modalidade de terapia: Toque Terapêutico associado à Regressão.
Tenho realizado durante a sessão de Toque Terapêutico Regressão ou Apometria. Ocorreu-me durante uma dessas sessões, atendendo uma senhora com menos de 30 anos, que um dos seus problemas era dores no baixo ventre. Ao mesmo tempo em que ia trabalhando com o Toque, submeti a paciente a TVP, ela caiu em uma encarnação em que estava grávida de oito meses de um estupro, vindo a cometer o suicídio porque não queria aquela criança que não havia desejado. No momento em que estava vivenciando aquele fato, sua barriga começou a inchar, cresceu uns dez centímetros aproximadamente e gritava de dor, momento em que antecedia o seu desencarne pelo suicídio. Quando isso ocorre devemos, quando níveis de consciência ainda se apresentam grávida, ligado intensamente a eventos traumáticos de passado, devemos fazer o parto desses níveis que ainda se consideram grávida. Já me ocorreram outros casos semelhantes na Apometria. Então é importante e necessário fazer-se o parto, e nem sempre incha o ventre, variando de caso para caso. A paciente saiu do atendimento bem  


CASOS ILUSTRATIVOS – II
Exemplos de Magia negra

Histórico:

Esta é uma história baseada em fatos reais, se trata de magia negra encomendada por uma pessoa da família para destruir pessoas da própria família, não foi comentado o verdadeiro fato que a levou a tal maldade e se realmente era verdadeiro esse motivo, ou se foram inverdades inventadas, isso há mais de 30 anos. Dois casamentos desfeitos e quase um terceiro; os filhos tiveram problemas financeiros, falta de emprego, vários problemas afetivos, inclusive separação; um foi morto à paulada por gangues, aos 17 anos.
Foram feitos muitos trabalhos apométricos para todos para descobrir os seus problemas após a última separação, e nada foi encontrado de tamanha envergadura, relatado neste trabalho.
A Apometria é uma ferramenta de trabalho espiritual fantástica quando bem usada por pessoas com o conhecimento que ela exige. 
Ao se abrir a freqüência vibratória de uma pessoa, do presente ou passado se pensa que tudo que estiver ligado a essa pessoa de ruim virá à mesa apométrica durante os trabalhos, a fim de esclarecer as dificuldades que ela vem atravessando em sua vida, mas nem sempre isso acontece. 
Para que as coisas aconteçam, são necessários muitos fatores a serem observados. Ex.: passado dessa pessoa, lugar onde viveu, isto é, um mapa geográfico dessa pessoa, uma espécie de roteiro que nos dê uma pista mais objetiva para que se possa investigar e encontrar aquilo que se deseja. Para isso devemos contar com trabalhadores que tenham um profundo conhecimento do assunto, estudo e dedicação, além da disciplina. O próprio radar usado no campo terreno tem seus ângulos mortos que escapa a sua observação. Assim é a chamada freqüência vibratória de uma pessoa que se utiliza em Apometria. Nem tudo se consegue rastrear, pois tem muitas coisas em nosso inconsciente (corpo Buddhi) que nós nem sabemos que existem e outras que nós nem queremos saber. É a complexidade do ser humano. Existem requisitos que são importantes frisar para se conseguir maior número de detalhes durante os trabalhos: oração, merecimento, amor, opções, empenho, coragem, determinação e o que busca, espírito desbravador etc. Há necessidade de se bater à porta do Mestre Jesus várias vezes, e nem sempre ela se abre nesta vida, pois pode ser coisa cármica e que não é para esta vida.
Mas a busca tem que ser incessante, sistemática, não podemos desanimar. São as pesquisas que nos trazem a riqueza de detalhes e uma melhor qualidade de trabalho. Como nós já passamos por muitas vidas e ainda vamos passar por tantas outras, muitas coisas aconteceram nesse espaço de tempo que não é possível rastrear, filtrar tudo aquilo que você realmente busca esclarecer numa simples abertura de freqüência vibratória durante um trabalho apométrico. Em certos casos há necessidade de se possuir esse roteiro, como já frisei. Uma historia. 
Durante os trabalhos existem muitas vibrações no ambiente que envolvem tanto a mente dos trabalhadores, como dos envolvidos, mesmo no espaço que circunda o local dos trabalhos. Por mais que se proteja essas vibrações no local, há outras tantas nas mentes de todos que vêm de fora, do dia-a-dia, das preocupações, da consciência física e dos níveis de consciência de cada um, que dificulta em muito a clareza do que se busca.
Essas dificuldades são como olhar para um monte de pedrinhas parecidas umas com as outras e que não se consegue com facilidade distinguir qual a verdadeira que se está procurando, tal a dificuldade de visualização. Há níveis de consciência deslocados do agregado espiritual das pessoas que nem imaginamos onde se encontram, se ocultaram na vistoria da mesa durante os trabalhos, ou não, pois é difícil observar e constatar se faltou algum nível na entrevista durante o trabalho, devido à complexidade do agregado e quantidade de corpos, níveis, subníveis e níveis virtuais. Podem existir níveis desgarrados, ou arrastados pela obsessão para as regiões umbralinas, sendo torturados, e outros que fazem parte de trabalhos da magia negra e que se deixam levar pelos espíritos trevosos, isto porque ainda estão ligados a esse lado, sem que a ponta física tome conhecimento. A vida da pessoa fica em desalinho, nada dá certo, os caminhos ficam bloqueados, sempre tem alguém dificultando seu trabalho profissional ou espiritual, a lhe observar e controlar os passos, seus níveis de consciência não têm força suficiente para mudar o quadro. Somente quando a pessoa, ponta física reage e busca forças para encontrar uma saída a situação pode melhorar, até aí já decorreram muitos anos; para certos casos, o estrago já foi grande e pode ser irreversível. Ai se pode observar porque muitas coisas em nossas vidas não dão certas, não deslancham. Claro que nem tudo é magia, muitas vezes são opções, falta de interesse e determinação por parte da pessoa, espírito já comprometido com certas particularidades da vida; não se movimenta, parece que está grudado a alguma coisa. Então cada caso é um caso à parte, mas há necessidade de se tomar como base a observação extraída de outros atendimentos. Portanto, não devemos deixar para amanhã o que podemos fazer hoje, pois amanhã pode ser tarde demais e o estrago já se concretizou total ou parcial. Devemos estar sempre ligados a Deus para que o canal de esclarecimento possa se abrir, vir a nós, mostrar o melhor caminho a seguir. Nunca é tarde para se aprender a amar.

Caso “A”:
Primeiro Atendimento

Data: 2007-01-16
Técnica empregada: Apometria.
Pacientes: Marcos, pai – (filhos) Pedro, Thiago, Rosa e César.

Este atendimento foi o Cesar .
A Irmã mais velha (Maria) foi a que encomendou os trabalhos de magia para
os 4 filhos do irmão, há mais de vinte anos, prejudicando-os muito, na área espiritual, financeira e afetiva. “Tendo verificado ao longo de muitos anos que nada tem dado certo para os meus filhos, no lado afetivo, dificuldades de emprego e atrito entre a família, dois casamentos desfeitos e com possibilidade de um terceiro, inclusive para os filhos”. Era a queixa do pai.
Aberta a freqüência vibratória desdobrando os envolvidos, nos deparamos em uma caverna onde se encontrava uma mulher (a mandante) em volta de um caldeirão, juntamente com os níveis de 3 pessoas amarradas. Foram desamarrados esses níveis, destruído o local. Foi descoberto que foram feitos bonecos dessas 3 pessoas e enterrados em um lugar longe, difícil de ser encontrado. Dentro dos bonecos foram encontrados espíritos. Também um pó nos olhos e aparelho na cabeça. Tinham uma espécie de redemoinho em volta da cabeça. Verificamos que se tratava de uma entidade de nome...
1 – Gira Mundo, que levava os pensamentos das pessoas envolvidas a girar pelo mundo, tem uns pés enormes, disse que estava comandando essas três pessoas. Nunca estava em um lugar somente. Após um curto diálogo, se prontificou liberar as pessoas, com condição de permanecer no mundo dele. Foi então o combinado; sabendo eu que no final iria convencê-lo a mudar e foi o que aconteceu. Foram encontrados bonecos de cera em formato de vela, quando acesa tirava a luz dessas pessoas, tirando também as coisas boas destinadas a elas, como trabalho, dinheiro, afetividade. Trabalho feito na mata.
2 – Pomba Gira, para os casamentos não darem certos.
3 –Tranca Rua, com objetivo de trancar tudo. Foi feito um ponto riscado com pólvora, que simbolizava as 3 pessoas. Foi usado sangue de animal. Muito pó jogado para dar coceira, alergia. 
4 – Mão de Ferro, um espírito todo de ferro, com a finalidade de dificultar os movimentos das pessoas, nas quais havia um ponteiro no coração de cada um que girava conforme essas entidades queriam. 
Vários aparelhos nas costas. 
Fitas preta, vermelha e branca, para dificultar emprego, afetividade e dinheiro. Foram trançadas e amarradas com um forte nó.
Aparelho na nunca, com a finalidade de perturbação mental. “perguntei desde quando esse aparelho se encontra aí, não deveria ter saído nos outros atendimentos que foram feitos?”. Este aparelho foi feito na magia.
O mundo espiritual fez 3 círculos:
-  O  menor no centro, foram colocado as 4 entidades: Gira Mundo, Pomba Gira, Tranca Rua e Mão de Ferro; os 3 níveis dos filhos, mais o que já havia desencarnado, encontrava-se deitado, o macumbeiro encarnado que se encarregou da encomenda e a pessoa mandante, totalizando 10 entidades. É um campo de proteção magnética.
- No  segundo círculo – linha dos pretos velhos e caboclos.
- No terceiro círculo – linha dos mentores, entidades de luz. 
Esse sistema tinha a finalidade de não deixar ninguém escapar.
O segundo trabalho foi marcado para a próxima semana, onde serão envolvidos, pai e filhos. 
Todas as magias foram desmanchadas e os obsessores doutrinados e encaminhados.

Faz-se necessário estas perguntas: 
Por que você faz mais de um atendimento ao mesmo paciente e não encontra o principal problema lhe está dificultando o andamento de sua vida?
Respostas:
1- Merecimento do envolvido, ou dos envolvidos.
2- Busca, empenho em se melhorar. Estar aberto para conhecer a si mesmo, assumir e enfrentar os seus conflitos.
3- Brechas cármicas que dificultam o acesso ao problema. Inclusive como feiticeiro.
4- Muitas vidas e muitos conflitos, consequentemente muitas situações diferentes, com vibrações semelhantes que tornam difícil encontrar a raiz real do verdadeiro problema.
5- Várias situações que têm ligação com o problema, ou uma certa ligação. É como se encontrar em uma mata virgem sem um mapa da região, são sabendo como se locomover, que direção tomar. Das muitas portas, precisa-se saber a certa. País, cidades, mata, praia; se conhecer o mapa geográfico da situação.
6- Situações conflitantes muito escondidas. 
7- Entidades que trabalham protegendo o problema.
8- Momento certo. Quando a oração faz a diferença e a conta já está quitada, não necessitando mais sofrer com aquela dificuldade, basta envolver mais uma vez os envolvidos para desfazer as amarras.
9- Às vezes o mundo espiritual não tem como informar as pessoas interessadas onde se encontra o problema, ou o rumo, o mapa para encontrá-lo.
Observação: Talvez necessite acessar o arquivo akashico, para que possamos descobrir com mais facilidade e rapidez todos os problemas atinentes ao caso. Pois o agregado, ou ponta física, pode tentar esconder, bloquear o acesso, o mapa da mina. Precisamos ainda pesquisar em cima do assunto, para termos a certeza da possibilidade de acesso e o seu funcionamento, que tipo de conflito aconteceu que deu origem às magias.

2º atendimento, continuação do primeiro. Desmanche de magia desta vida.
Dia 18/01/2007
Técnica empregada: Apometria.
Atendidos: Marcos, Pedro,Thiago, Rosa, César.
Apresentou-se 3 mulheres e 3 entidades, juntamente com 3 níveis do Nelson amarrados em um tronco. Uma das encarnadas vestia-se de vermelho. Níveis ligados à regiões de baixa vibração etc. Esses níveis que estavam amarrados estavam adormecidos devido ao grande tempo que se encontravam naquele estado, os mesmos foram enviados para um hospital no astral.Foram trazidas para incorporação junto com as mulheres que encomendaram o trabalho, as entidades correspondentes. A entidade homem, cuja função era trancar tudo e todos os filhos; existiam fitas pretas e vermelhas. A região do estômago para baixo deste espírito se encontrava podre. As entidades mulheres trabalhavam no lado afetivo, ligando os envolvidos ao vale dos sexos. Todas as magias foram desmanchadas e os obsessores foram doutrinados e encaminhados.

Observação: 
- Importante saber que para certos trabalhos há necessidade de preparo da equipe antecipadamente, para que a nível espiritual possam ser orientados e se inteirar do assunto do trabalho que vai desenrolar.
- Preparo da equipe espiritual, junto aos envolvidos. Recolher todos os envolvidos, para que no momento da sessão, não fiquem alguns de fora e o trabalho não fique incompleto.
- Permissão do mundo maior para certos casos complicados.

 

3º atendimento - continuação do primeiro, referente às pessoas citadas anteriormente. 
25/01/07
Técnica empregada: Apometria.
Formam-se os 3 círculos.
Aberta a freqüência vibratória dos envolvidos e dando continuidade ao trabalho de desmanche.
Aquele círculo menor se encontrava escuro, como um barro. Tinha uma entidade de preto no centro do círculo. Uma outra entidade (pomba gira) rodando com um vestido vermelho trazendo na sua barra o nome dos envolvidos pregados com alfinete.
1 - O homem de preto - foi trazido pelos mentores, irmãos de branco. Disse que estava muito debilitado e que foi pago para desenvolver o trabalho de magia negra. Tinha um pote com sangue podre com os nomes das pessoas envolvidas dentro, foi uma mulher baixa de cabelos curtos (macumbeira), que fez o trabalho e entregou a esse espírito. Disse o espírito; mantenho dentro desse pote o nome dessas pessoas, elas ficam desnorteadas, sem expectativas, sem direção, são 4 homens e uma mulher. O trabalho foi feito na praia. Deixou os níveis das pessoas acorrentadas nas pedras próximas ao mar. Ferro nos pés e correntes no pescoço.
As pessoas precisam de 7 ondas para conseguir o sucesso, seus desejos, seus objetivos. Essa entidade inverteu o processo das ondas, onde ela levava para bem longe os sonhos da pessoa e trazia os insucessos.
Foi trazido um nível de um filho desmaiado.
Passamos para uma nova entidade por enquanto – Caminha na praia 2 – Exu da praia, enorme e imundo, a roupa está cheia de correntes. Vive caminhando sem parar, as correntes são para amarrar as pessoas e troca os passos das pessoas pisando em cima deles, também entrou para dentro da areia, onde vive e se aloja.
“Fui morto em uma beira de praia e nunca mais sai dali. Todas as pessoas que fazem trabalho na beira da praia precisam ter minha permissão e me pagar com bebidas, carne, velas etc.”. Era um ser todo cheio de correntes pelo corpo, ele era todo correntes, onde amarrava os níveis das pessoas a serem prejudicadas. Foram retiradas as correntes. Havia um buraco onde ele guardava as peças íntimas das pessoas a serem prejudicadas.
3 - Pomba Gira – Exu-maré . “Quando eu danço desnorteio as pessoas envolvidas, trazendo desarmonia na área amorosa e financeira, pois também não o tenho, não sou feliz”. As mãos e os pés estavam amarrados. O estômago da entidade estava cheio de um líquido preto, onde estavam os nomes das pessoas envolvidas. Vendas nos olhos, onde coça e arde. Ela fez um círculo na praia onde essas pessoas ficavam hipnotizadas dentro do circulo. Flecha no pescoço. Aparelhos nos ouvidos. Enorme placa na coluna para não poder se mover direito. Foram retirados.
No cardíaco desses níveis tinha pedrinhas de cristal pretas. Um buraco na cabeça onde foi colocado as coisas dentro. Foi desfeito. Enorme pedra de praia no frontal. Foi desintegrado. Várias fitas pretas e vermelhas trançadas foram destruídas.
Voltando para a entidade de preto que incorporou no início; o circulo estava menor como se viesse de baixo para ser desmanchado. Surgindo uma nova entidade que veio toda amarrada, mas não com cordas, com fachos de luz, pois era um espírito muito endurecido.
Disse que era mau assim porque em tempos remotos foi morto inocentemente, pois não era culpado do fato ocorrido. 
4 - Chamo-me Exu-Veludo , eu torturo tudo que eu pego. Trabalho no cemitério, quem lá entra tem que ter a minha permissão, caso contrário vai se haver comigo. Foi enterrado no cemitério fotos de uma mulher e 4 homens, foram também feitos bonecos de cera, foi usado também sangue de animais. Foram desenterrados e desmanchados e os obsessores doutrinados e encaminhados. 
Aquele círculo menor foi limpo com água do mar e jogada pétalas de rosa.
Final – Os círculos foram se fechando... se fechando ... e foi subindo com os mentores formando uma rosa e ali naquele local do círculo ficou um jardim. Todos os espíritos, após a doutrinação foram recolhidos para as instituições de caridade no astral.


Resumo do atendimento:

1- Uma entidade de preto.
2- A entidade das correntes da beira da praia, Exu-da-praia.
3- Pomba Gira (Exumaré) – trabalho com as ondas do mar e um círculo.
4- Exu-Veludo – trabalho no cemitério, com fotos e bonecos de cera.

Observação:

4º atendimento ficou marcado para 31/01/07.

O Interessante disso tudo é que quando a irmã mais nova do Marcos recebeu essa intuição caminhando com o seu marido na praia, Jan 07, que eu tinha que procurar e desmanchar as magias feitas para destruir a minha família e causar sofrimento a minha pessoa. Ela esqueceu aquela intuição em seguida, só vindo a lembrar quando eu entrei em sua loja. Isso tem uma explicação – se ela ficasse martelando para não esquecer, a obsessão iria agir para que essa informação não fosse passada para mim, para que não viesse a trabalhar no desmanche das magias negras encomendadas há uns 30 anos ou mais.

4º atendimento
Data: 31/01/07
Técnica empregada: Apometria
Paciente: Thiago
Aberta a freqüência vibratória, surgiram 3 entidades:
- 1 bruxo
- 1 mulher (encarnada hoje)
- 2 espíritos
- 1 homem encarnado que é nível do paciente
Formaram-se os 3 círculos, sendo que o do centro estava protegido a sua volta por uma cortina de fogo, como um ponto de magia. Todos os envolvidos se encontram dentro do pequeno círculo.
O paciente encontra-se amarrado dentro do círculo menor. Cordões ligados ao chacra frontal e umbilical na mulher, bruxo e o paciente. É uma magia feita no passado encomendada por essa mulher ao bruxo, para prejudicar o paciente que era seu amante. Essa mulher acabou se suicidando com um tiro na cabeça. No passado essa mulher foi muito rica e o paciente se apaixonou por ela, mas ela o desprezou porque ele era pobre.
Foi trazido o bruxo da época para desfazer a magia. Fitas pretas e vermelhas amarravam o paciente, hipnose nos olhos, fígado inchado bem preto, os pés pregados com pregos e ferros nas costas. Os olhos não são reais, pois foram trocados para não ver as coisas com os seus próprios olhos, dando uma ilusão falsa da vida. Aparelho (energia) no coração que controla os sentimentos. Níveis orgulhosos e arrogantes do paciente.
Voltamos ao bruxo para liberar a mulher que hoje está encarnada e é a mulher do pai do paciente.
1 - Os dois espíritos que se encontravam no centro do círculo, um deles estava torturando o paciente, o outro apodreceu naquele lugar, formando uma espécie de raízes amarrados ao paciente.
2 - Bruxo – foram todos os obsessores doutrinados e encaminhados, mas a magia ficou grudada no centro do círculo. Foi apagado o fogo com água e foram plantadas pétalas de rosa no círculo pequeno.

5º atendimento
Data: 01/02/2007
Técnica empregada: Apometria.
Paciente: Maria - a mandante, (magias encomendada nesta vida, com o choque de retorno para a mesma). 
Aberta a freqüência vibratória, incorporou um nível desesperado se dizendo perdido, vestida de bruxa a paciente, se encontra em um local cheio de tocos de árvore, assim como se desmata um campo e toca fogo, ficam aqueles tocos, mas é uma região no umbral de magos, não se lembrando de nada e não sabendo quem era. Foi encaminhada para um jardim, para tentar se recordar, enquanto se dava continuidade no trabalho em foco. Foram constituídos os 3 círculos, que têm a finalidade de neutralizar o círculo da magia negra feito pelos magos negros. É um campo de proteção para diluir o campo de proteção da magia negra feita pelos magos. Eles trazem toda a magia subindo como uma espécie de elevador (um campo magnético de contenção) com todos os envolvidos no conflito e que fazem parte desse trabalho do dia.
O círculo menor estava muito escuro e tivemos que clarear.
- Nível da paciente todo amarrado com correntes em um palanque.
- 3 entidades que comandam os níveis da paciente e dos que ela comandou estão no umbral. Eles têm um acerto de conta com a paciente, pois eles foram os espíritos que fizeram o trabalho a nível astral. Estava ocorrendo uma espécie de choque de retorno. As magias que ela contratou estavam voltando para ela com a força desses espíritos, pois ela estava abandonando o pacto de sangue que fizeram anteriormente.
1 - Primeira entidade – disse que trancou todas as ruas por onde pretendesse passar.
Material usado nos trabalhos: 
Fitas pretas e vermelhas, uma garrafa de pinga com os nomes (4 homens e uma mulher) dos envolvidos dentro, pólvora, muito pó para causar destruição e coceira. Os pés e mãos pregados com pregos, coluna cheia de ferro, coroa de metal na cabeça, coração oco, saindo álcool do estômago dos espíritos. 
Os espíritos que estão ligados a essa magia já estão sendo desligados e recolhidos pelos participantes dos circulo maior e o do meio (mentores, caboclo e preto velho). Isto ocorre por enquanto o trabalho se desenrola.
2 - Segunda entidade que trabalha no cemitério. Tata-Caveira – Disse que não perde tempo com defunto morto. 
Material usado:
Fotos das cincos pessoas, fitas vermelhas, velas pretas e vermelhas, uma garrafa de pinga foram enterradas no cemitério. As velas têm o objetivo de tirar a luz das pessoas (o elemento foto é luz, ligado à vidência, à visão, à focalização em algo). Uma gota de sangue significa um pacto de sangue. Dessa maneira nós sugamos a energia vital das pessoas. Quem encomenda não sabe que foi tirada uma gota do seu sangue para fazer o pacto a nível astral, muito pó. Ele havia atravessado uma lâmina no crânio da paciente. As pernas presas em correntes de ferro, sapatos de metal, peso na cabeça e a garganta amarrada, um boneco de palha, na qual amarrou uma fita na garganta, larvas astralinas que correm pelo corpo. Todos os trabalhos foram desmanchados e os obsessores doutrinados e encaminhados.

3 - Terceira entidade – (Pompa Gira). Nomes dos envolvidos na barra da saia.
Material usado:
Champanhe, rosas vermelhas, velas pretas e vermelhas, um frango recheado, fitas vermelhas e pretas, uma maçã para amarrar, cheia de coisas dentro, pinga, pó para brigas de casais, cigarro, que costuma fumar em volta dela formando um redemoinho, que chamamos ponto de gira (anti-horário), coloquei algo na garganta dela. Nível amarrado com fita vermelha, ela não tem sensação, tirei tudo. Aparelho nas costa e nos pés. Esta magia voltou para a paciente. Cordão ligado aos chacras, frontal e esplênico da paciente com a gira. Todos os trabalhos foram desmanchados.

4 - Nível paciente – que se encontrava amarrado.
Trabalhou no umbral fazendo essas magias. Foi desligada das magias que participou.
Círculo menor foi limpo, as pétalas de rosas foram sugando a cor preta, os dois círculos de fora formaram um coração.

5 - Nível (MS/MI) que foi encaminhado para o jardim porque estava muito debilitado, foi colocado em uma maca. Ao retornar foi encaminhado para um hospital.
Observou-se neste atendimento o que representa o choque de retorno, isto é, as Leis de Causa e Efeito.

6º atendimento
Data: 07/02/07
Técnica empregada: Apometria.
Pacientes: Rosa (filha do Marcos) e seu filho José, Madalena (ex-Marcos (avó).
Aberta a freqüência vibratória de todos e sintonizando na mesa. Formou-se os três círculos, sendo o menor com um roseiral cheio de espinhos.
Dentro desse pequeno círculo se encontrava um nível da Rosa deitada no chão; avó amarrada em um toco rodeada de cobras pelo chão; duas entidades junto; ocasionando muita discórdia entre mãe e filha, não se entendem; do outro lado os dois espíritos, sendo um homem e uma mulher, mais um bruxo ligado a magia de outra vida. 
Quem encomendou (Maria) foi a mesma pessoa das outras magias e na outra vida ela aparece de preto ligada ao Bruxo.

Primeira entidade (homem): Tranca Rua – Material empregado: velas pretas e vermelhas, com a finalidade de afastar a luz da pessoa, pinga, fitas preta e vermelha para amarrar os envolvidos, foto das duas, mãe e filha, um manto vermelho e preto, para forrar o trabalho, um boneco de cera, para ocasionar desavença e separar as duas. Objetivando trancar os caminhos das duas, conjuntamente com o ex-marido. Foi entregue em uma encruzilhada. Tinha vários aparelhos colocados nas duas, a mandante se encontrava acorrentada. A entidade desmanchou o trabalho.

Segunda entidade (mulher): A filha está e esteve muito desorientada, sempre com problema afetivo; a mãe vive bem materialmente, mas afetivamente está só, não se a fina com ninguém, embora variando de parceiros sem compromissos sérios.
Material empregado: champanhe, um vestido de renda preto, pulseira e colar, velas pretas e vermelhas. Foi entregue em uma encruzilhada e os nomes foram colocados na barra da saia da entidade, e quando ela gira as pessoas magiadas ficam atormentadas; correntes nos pés, vendas nos olhos e cigarro, para que a fumaça tonteia as duas. Uma maçã mágica do amor, tanto para arrumar como para desarrumar. Aparelho no coração, onde atinge os sentimentos, lenço vermelho e preto, pinga, fitas vermelhas e pretas onde estavam amarradas. O trabalho foi desmanchado pela entidade.

Bruxo: Magia do passado. Níveis da filha e do neto, que foram oferecidas pela mãe em ritual de magia negra para o Bruxo. A filha (Rosa) estava grávida do neto na ocasião do trabalho. Junto com o Bruxo estava a mandante de hoje (Maria), e a Madalena. Foi desligado os cordões dos chacras cardíaco e umbilical que ligavam ao Bruxo. A mãe da época e de hoje, entregou a filha em troca de poder e ouro.
A filha grávida foi colocada dentro de um círculo para a execução do ritual. Esse filho que não chegou a nascer é hoje filho da Rosa. Aparelho na garganta e acorrentada. Cristal negro no chacra frontal de cada uma, por ai diz o Bruxo, “eu sugava a energia de todas”. Aparelho no chacra cardíaco.

Outra situação de passado – Maria foi que encomendou os trabalhos hoje (bruxa naquele passado) – Rosa (homem), no passado eu era uma das herdeiras (herdeiro), tinha um irmão muito invejoso, querendo o meu lugar, ele aliou-se com o bruxo do castelo fizeram um magia para me matar. Foi desmanchada essa magia.
Mãe (Madalena): foi desamarrada do toco, recolhidas as cobras, estava muito velha e muito ligada àquela época da magia negra, em que era macumbeira do rei, que fez o trabalho para Rosa (homem na época), foi destruído o local onde preparava seus trabalhos de magia, bem como o material usado, foi cortada a ligação da bruxa com o feiticeiro (espírito) que lhe ajudou.
Foi limpo o círculo pequeno de bichos e larvas que se encontravam caminhando.
Ao roseiral foi dado vida e se transformou em uma grande roseira branca que cobriu todo o círculo pequeno.
Os dois outros círculos maiores se transformaram em uma estrela de luz.
O 7 Chaves (espírito do bem) permaneceu controlando a magia.
Todas as magias foram desmanchadas e os obsessores doutrinados e encaminhados.

Observação:

Havia notado que em certos momentos me sentia atacado, pesado, numa espécie de marasmo, não sabendo de onde vinha, principalmente quando se tratava de assunto do meu filho e minha irmã mais nova e também a minha mulher atual. Esta irmã mais nova que me forneceu o mapa da mina, também se sente ameaçada por um grupo de entidades que cobram dela, pelo motivo de ter me dado a pista para proceder ao desmanche dessas magias, também a nossa falecida mãe orientava essa minha irmã para que o trabalho fosse desfeito.
Abri essa freqüência e chamei tal espírito, o qual se apresentou dizendo se chamar Zé Pelintra, que provoca uma séria de desavença entre as pessoas. Diz que foi pago para vigiar 24 horas por dia.”Foi me dado vela, pinga – tenho uma falange que trabalha comigo. Coloquei aparelho na cabeça de todos. Boneco de cera simbolizando todos”. Todos os trabalhos foram desmanchados e doutrinados os obsessores e encaminhados.

7º atendimento
Data: 10/02/07
Técnica empregada: Apometria.
Pacientes: Pedro; sua esposa, Iracema; sua filha Márcia e sogra; 
Aberta a freqüência vibratória e sintonizada na mesa.
Envolvidos: a baixo relacionados.


Apresentou-se uma entidade em forma de sapo. É para a pessoa magiada se rastejar no chão e não ter nada. Foram colocadas dentro de um sapo o nome, uma foto, pinga, fitas preta e vermelha; problema de estômago – o que tem dentro? Tudo que é tipo de magia. Um nível dele (Pedro) amarrado no local onde vive a entidade que é só lama e muito frio; se sente muito agoniado, muita tontura. Dor nos braços e pés. Diz a entidade, tenho o formato de um bicho; cabeça confusa, estômago enorme; um caroço na garganta; dor de cabeça. Foi contratado por uma mulher há uns vinte anos ou mais.
Tata Caveira do cemitério. Foto enterrada no cemitério, velas brancas derretidas (eu como essas velas, diz a entidade), fitas pretas e vermelhas, cabeça embrulhada, tudo fica confuso. Um boneco de cera, tipo vela para tirar a luz dele e pegar o rastro da pessoa foi enterrado atrás daquela grande cruz no cemitério. A foto está dentro de um caixão de defunto. Uma tranca na garganta, um nível de consciência do paciente aprisionado, amarrado com correntes. Cordões energéticos ligados ao chacra do paciente com a entidade. Foi tudo desfeito e encaminhado a entidade.
Pomba Gira. Trabalho entregue em uma encruzilhada. Amarrado com fitas pretas e vermelhas, velas, cigarros, champanhe, uma maçã como o nome dele dentro e foto, jóias, um frango recheado, um tamanco vermelho, um nível amarrado pelo chacra cardíaco, onde se sente agoniado e com palpitação, aparelho no externo, no meio do peito.
Bruxo – ligado à magia de vidas passadas . Na época iniciaram os 3 (Pedro, esposa e filha). Foi desmanchado e colocado dentro de um tacho para serem destruídas as magias, que na época foram usados sangue, ossos, um anel do pacto (todos que faz um pacto geralmente se usam anel). Nível deles aprisionados há muitos anos. Também os três se defrontaram em magia em outras existências. Cristais negros no frontal dos três, coleira magnética no pescoço, cordões ligados ao bruxo no umbral foram desligados, aparelho no chacra cardíaco e umbilical. 
Ele está ligado a uma vida passada de louco, resultado de trabalho com magia e com objetivo de ganhar dinheiro. Foi desmanchada magia com boneco também.
Magia recente – “Estou arrependida de ter feito. Fui uma macumbeira e mandei amarrá-lo. Foi despachado em uma encruzilhada. Um boneco com foto dele, amarrado o coração para dentro para ele não ser de ninguém, fitas vermelha e preta, o boneco foi alfinetado, fita amarrada no frontal para ele viver pensando em mim”.
A mandante também foi desamarrada. É possível que tenha sido uma ex-namorada na atualidade.
Sogra – odeia o Pedro. “Nós somos inimigos de passado, foi minha mulher a abandonei, ela também fez o mesmo”. A sogra usa a filha para brigar com o marido. Ela (Maria) fez magia no passado para o Pedro .
Caixa pequena preta com um boneco dentro. Simboliza ele (um nível dele). Este caixão lhe deixa agoniado com uma corda no pescoço. Alfinetes com fitas pretas, vermelhas e amarradas. Foi desmanchado o restante.

- Foi limpo o círculo pequeno, se formou um canteiro com grama com pequenas rosas vermelhas, fechando assim o círculo.
- Os outros dois círculos se fundiram e ficaram como rosa, ou flores com as pétalas abertas levemente caídas para todos os lados como as folhas de um girassol.
Há necessidade de mais um trabalho para retirar alguns resquícios.
Todos os trabalhos foram desmanchados e os obsessores encaminhados.

8º Atendimento, sendo o segundo do Pedro.

Início dos trabalhos - Foram formandos os 3 círculos, sendo que o do centro estava em volta de cobras.
Nível do paciente e do espírito amarrados no umbral, dizia o espírito que se encontrava com ele. “Morremos de dor de garganta aprisionados em um porão;” o paciente comandava um exército que foi o responsável. Eu ainda me encontrava lá. Cobrança de vidas passadas.

1) um espírito muito cansado e com mal estar disse - fui pago para amarrá-lo, nos negócios e tudo mais. Foi um homem encarnado, faz pouco tempo, a demanda foi entregue em uma encruzilhada – Material: um boneco amarrado com fitas pretas e vermelhas, cigarro e pinga. Esse homem disse que em vidas passadas o Pedro tirou tudo o que ele tinha. Foi mostrado para esse homem o que ele também fez em outro passado.
2) Mago negro – “eu fui o mestre dele em outra existência. O paciente sempre me ajuda a fazer magia no astral. Aparelhos nos chacras.
Níveis amarrados e com hipnose, cristal negro no chacra frontal, cobra nos chacras, e corda amarrada nos pés. Aparelho na cabeça”.
Foi limpo o círculo pequeno com energia solar. Ficou ali um jardim.
Os dois círculos de fora, formaram uma corrente com várias cores.
Todos os trabalhos foram desmanchados e os obsessores doutrinados e encaminhados.

9º Atendimento 
Paciente – Marcos
Data: 14/02/07
Técnica empregada: Apometria.
Início dos trabalhos – foram formados os 3 círculos, com os envolvidos no centro. Trabalho realizado em uma cidade distante, em um grande centro, parece que em Porto Alegre. Mas a pessoa que encomendou não era dessa cidade. Uma mulher negra.
1) O Exu 7 Encruzilhada
Foram cinco pessoas visadas pela magia, estavam hipnotizadas, faz muito tempo que foi realizada essa demanda. Tampão nos ouvidos para não escutar ninguém e com muito frio; aparelho na garganta; chacras inferiores escuros devidos o tempo de magia, chacra básico com espíritos. Foi desmanchadas e doutrinados os obsessores e encaminhados.

Caso “B”- o primeiro. Tereza, irmã da Maria, e sua família.
Data: 14/02/07
Técnica empregada: Apometria.
Início dos trabalhos – Surgiu uma magia com bonecos amarrados com fitas preta e vermelha, carne podre, cigarro e pinga.
Exu das catacumbas – ponteiro no cardíaco, correntes amarradas nos tornozelos e pulsos. Chacras cheios de espíritos. Níveis amarrados no umbral e aparelho na cabeça. Desfeito os trabalhos de magias, doutrinados e encaminhados o espíritos. 
Observação: Esse atendimento foi feito sem a devida consulta dos envolvidos.

Caso "C”.
Data: 31/01/07
Tânia, 44 anos. A mandante foram outras pessoas (1º atendimento).
Técnica empregada: Apometria.
Problemas: Depressão profunda, não come direito, não sai do quarto, vem tomando remédios para depressão e insônia a um bom tempo.
Abrindo a freqüência vibratória da paciente. Foram formados os 3 círculos, o maior com os mentores, o segundo com pretos velhos e caboclos, e o do centro com os envolvidos.
- Paciente;
- 1 homem;
- atrás do homem entidades;
- 1 Pomba gira (Maria Padilha);
- 1 Exu Veludo, quando passa a capa preta na cabeça da pessoa ela fica num estado de loucura;
- 1 Exu Tata-Caveira. A pessoa não come e vira esqueleto como ele. Entidade do cemitério.
Está muito perturbada e sente muito frio – essa magia parece que não é muito antiga (desta vida).
1 - Exu Veludo – foram enterradas peças íntimas, fitas pretas e vermelhas, carne mal passada com muita pimenta. Tinha um espírito enterrado com a magia, que foi recolhido. Foi destruída a capa, que ele costumava jogar nas pessoas das quais era contratado. Boneco de cera, fitas amarradas na cabeça, nos pés e mãos, pó ao redor. 
O homem que falou no início, foi o que encomendou a magia a pedido de uma mulher que não queria aparecer; essa mulher deve ser a ex-esposa do marido atual da paciente.
2 - Pomba Gira – paga por essa mulher que vive reforçando a magia, isto é, sempre pagando mais para manter a magia mais forte e atuante.
Material usado – um champanhe – velas pretas e vermelhas – um frango com farofa - fitas vermelhas e pretas – um boneco de pano amarrado com as fitas, colocado sobre os pés e jogado na água. Quando uma pessoa morre na água, costuma inchar, esse é propósito desse boneco. Foi retirado da água e desintegrado. Um colar que me foi dado para sufocar a paciente (vítima). Muitas velas foram queimadas, diz a Gira que sente muita tristeza. Parte do trabalho foi despachado em uma encruzilhada.
3 - Exu Tata-caveira – trabalho realizado no cemitério; sugar as energias, não comer e ficar seca igual a ele.
Material – uma foto, uma garrafa de pinga, velas pretas e vermelhas, foi enterradas no cemitério, a bebida ele tomou.” Sugo os pensamentos e enfraqueço a memória dela”. O trabalho foi desenterrado pela própria entidade. A magia ficou colada na cabeça da entidade. Eu prendi a paciente dentro de uma jaula de osso, para ela não sair dali (quarto). Aparelhos nas costas, estômago, rins, cordão ligado ao Exu (Exu) e as duas mulheres, a que fez (macumbeira-bruxa) e a que encomendou o trabalho.
A que mandou fazer disse que vai continuar mandando (foi orientada a mudar). Revendo o passado de ambos. No passado eu abandonei o marido da paciente por outro.
Níveis da paciente – toda amarrada, pés inchados, braços, garganta, coluna, muito álcool no estômago, que foi dado para ela beber. No passado a paciente fazia magia e bebia. Níveis no umbral.
As magias foram desmanchadas e os obsessores doutrinados e encaminhados.
O círculo foi limpo.

Tânia – 18/04/07  - 2º atendimento com objetivo de ser trabalhado o agregado espiritual para procurar corrigir os problemas relacionados a rebeldia, chantagem para com o marido, compulsão por compras, gastando o que não pode no cartão de crédito, como forma de vingança do marido e um orgulho velado muito intenso, e ainda um processo de culpa. Apresenta-se anêmica e varizes.
Vou somente fazer uma síntese dos fatos ocorridos em outra existência, quando com 15 anos era muito rica veio a consorciar com um homem mais velho que lhe maltratou em demasia, tendo outras mulheres fora de casa, acabou mandando mata-lo. Ainda vivia aquele passado. Notou-se que as chantagens de quebrar as coisas dentro de casa e ameaçar o marido dizendo que vai fazer isso ou aquilo, ela surta ocorrendo a incorporação do mental superior, mostrando sempre dominadora como tentava naquela vida dominar o marido mas não conseguia.
Foi marcado um toque terapêutico para tratar as varizes e anemia.

Dia 24/04/07 - retornou notei que não apresentava melhora nenhuma, se mostrando como uma rocha, mal amada e um vazio muito grande devido o ódio, angustia etc., não querendo se modificar.

Caso “D” – Joaquim – 58 anos (1º atendimento), marido da Tânia.
Data: 01/03/07
Lages, sc
Técnica: Apometria

Diagnóstico médico e exames do coração: estresse, pânico,
depressão, possibilidade de enfartar. (os exames deram normais).
Diagnóstico de 2 neurologistas: depressão (está tomando antidepressivos e remédios para dormir ansiolítico).
Sintomas: Excesso de suor e tremedeiras, dor de cabeça em local diferente, como alfinetadas, arrepios a todo o momento em todo o corpo, principalmente quando chega perto da mulher ou ouve sua voz, dor nas costas em locais diferentes, síndrome do pânico, medo de dirigir, de aglomeração de gente. Dorme pouco, não quer mais sair de casa, não quer conversar com ninguém, falhando a memória, falta ânimo para trabalhar, desgosto pela vida, dor no peito com sintomas de enfarte. Emagreceu 14 kg em dois meses e meio.
Chora quando pensa que não vai dar conta dos compromissos financeiros, moleza no corpo, tem nevralgias, sente fome, mas a comida não desce, pernas bambas, fraqueza, indisposição pra tudo, dor no testículo direito e perna, toma bastante água, mas urina pouco; boca sempre seca e com gosto amargo, esquece do que falou e se repete muito.
Acentuou-se de dezembro pra cá os sintomas, quando estava no Paraguai. “Já fui várias vezes para a emergência lá no Paraguai e aqui para tomar alguma coisa para as crises”.
Mas já vem se sentido mal a mais de anos, não tão grave como agora, que está impossibilitando até para o trabalho e saídas na rua, viagens,

1) Magia negra do passado – um mago negro que trabalhou junto com o paciente no passado em magia negra.
Material usado na magia - Um boneco de pano com fitas pretas e vermelhas com alfinetes. Velas pretas e vermelhas, pinga, uísque, cigarro, sangue de animal. O boneco estava dentro de uma bacia com sangue, em volta da bacia se encontravam 7 velas pretas e vermelhas acessas, com peças íntimas. Pés e mãos amarrados. Alfinete espetado no cardíaco. As fitas foram amarradas no corpo do boneco. Tudo isso foi enterrado depois no cemitério. O nome do paciente foi colocado em baixo de uma sepultura. Foi trazido o espírito feiticeiro que trabalhou a mando do macumbeiro para o desmanche. O mago negro não queria desmanchar, dizendo que não valia a pena, pois o paciente não merecia e que voltaria a fazer as mesmas coisas de antes, que era não poder se relacionar com outras mulheres a não ser a sua, que a finalidade do trabalho era para liquidar de vez o paciente (morte). Este mago negro que trabalhou com o paciente em outra existência se prestou para fazer o trabalho.

2) Pomba Gira – foram usados cigarros, bebidas, peça íntima, nome do paciente, essa gira tinha 7 saias, onde colocou o nome dele na barra das saias, velas, o boneco estava amarrado com fitas vermelha e preta. A cabeça estava amarrada com fitas para deixar as idéias confusas. Despachado no cemitério, com um espírito cuidando.

3) Tranca-Rua . O despacho foi feito em uma encruzilhada. Cachaça, um boneco amarrado com fitas, velas vermelhas e pretas, sangue de animal, alfinete na cabeça, sangue podre. O boneco foi colocado dentro de um saco de plástico preto para sufocar o paciente, um punhal de prata nas costa que sai no coração, com um relógio marcando um tempo, quando caísse o pino o paciente desencarnava. 
- O círculo pequeno cercado com lanças cruzadas, que significa um ponto de magia negra. Um boneco com uma lança cravada. Tinha uma abertura que dava acesso à magia na região umbralinas.
- Os dois círculos de fora, ao término do trabalho transformaram-se em uma rosa. (o primeiro círculo representa a linha dos mentores e o segundo a linha dos pretos velhos e caboclos, formando todos os três círculos campo de proteção magnética). Ver figura a baixo.
O paciente informou que teve uma boa melhora, mas ainda se encontra fraco e depressivo.

2º Atendimento do Joaquim, realizado em 22/03/07
O paciente havia abandonado os medicamentos, mas se sentia com dor de cabeça e um pouco agoniado.
Já sabíamos da necessidade de ser trabalhado o agregado espírito no próximo atendimento, pois notamos muita rebeldia da parte do mental superior, mas preferimos deixar para o próximo atendimento para dar um tempo de reflexão para o paciente.
O mental superior havia anulado os corpos e níveis abaixo dele e também estava fazendo experiência com os seus próprios níveis, tinha um laboratório montado onde havia retirado o tampão da cabeça de vários níveis. Foi doutrinado, desmanchado as magias de passado e alinhado os demais corpos e níveis a baixo dele.
Observou-se que os transtornos que o paciente vinha passando era em decorrência das más atitudes do mental superior. Esperamos que se harmonize daqui para frente.
Soube que o paciente se recuperou.

Joaquim  – retornou no dia 26/04/07, dizendo não se sentir bem, na ocasião fiz um atendimento apométrico, o qual além de parte de seu agregado espiritual se encontrar em regiões umbralinas, apareceu o mental superior de sua mulher lhe obsediando com hipnose. Notei claramente que o marido é sua vítima, devido o domínio que ela exerce sobre ele. Interessante notar que a maioria das vezes são os mentais que se apresentam com uma dosagem maior de rebeldia, mas neste caso além do mental superior, se notou que a consciência física apresentou uma rebeldia e teimosia superior a do mental superior, semelhante àquelas pessoas viciadas em tabaco, álcool, que além da contaminação a nível espiritual, o físico, por ser uma matéria mais densa se mostra mais resistente ao abandono do vício.

Nota : Meses depois o Joaquim se enforcou. Tem coisas que as pessoas guardam muito bem de si mesmo. Ou não tem força suficiente para reagir nos momentos de quedas, e é neste momento que o desespero, o inconformismo se torna mais forte, levando, às vezes ao suicídio.

CASOS ILUSTRATIVOS – III

Os nomes são fictícios

 

1a) Eugênia - 44 anos

A paciente frequenta um centro espírita meio Kardecista, na sua cidade.

Atendimento Apométrico a distância.

Problemas: Perda de cabelos na cabeça, sobrancelhas, braços, partes íntimas, por todo o corpo.

Dor nos pés, na panturrilha, no umbigo e barriga. Não consegue deitar de costas. Falta de ar e sempre cansada. Faz uns 6 meses que se encontra neste estado.

Descobri durante o atendimento que ela teve um namorado e que iam casar-se e não deu certo. Parece que ele caiu fora, isto há uns 20 anos.

Aberta a freqüência vibratória e sintonizando na mesa, com o desdobramento da paciente. Foram recolhidos os espíritos que se encontravam com a paciente em primeiro momento.

Observação : sempre passamos ao término de cada linha, uma energia dourada nos chacras e nos cordões dos chacras com abertura do chacra das solas dos pés drenando as energias negativas. Iniciando no chacra coronário até o básico e descendo ate os pés.

Corpo astral – linha do cardíaco :

A paciente desdobrada, diz que é decepcionante. Muita canseira e falta de ar: - Estou no umbral dançando e fazendo festa. O que está havendo aí? Você gosta de ir a esses lugares? Vou namorar, pois não namoro aqui em cima, lá tenho tudo que quero. Porém estou com muito frio.

- O que está acontecendo com os pelos do seu corpo? Tem espíritos aqui em baixo raspando a gente. Aqui estou como homem. - É por este motivo que você nunca se casou, até o presente momento? Pois aqui em baixo em tenho tudo que quero. - Você já notou que está toda sem pelos por todo o corpo? Que tontura! Diz. Estou com dores nas pernas, na barriga e tudo mais. - E ainda gosta de viver ai em baixo? Tenho muitos conhecidos aqui em baixo. - Você quer continuar ai em baixo, levando esta vidinha enganosa, ou não? - O que eles passam no seu corpo que provoca a queda dos pelos? Eles não só raspam, não é? Eles passam uma tinta preta em todo o corpo que vai matando a raiz dos cabelos, e na cabeça usam uma touca. Mas em uma vida passada eu trabalhei com magia negra usando cabelos, usando vudu (boneco). Sinto o meu estômago cheio de cabelos. - Você enchia a barriga do boneco com cabelos e outras porcarias? Sim. Procure desmanchá-las agora. Vai retirando todas essas coisas de dentro do estômago, e coloque-as dentro desse caldeirão, para ser queimado. Limpe bem a barriga do boneco, aí você vai ficar melhor.

Níveis no umbral bebendo, e ligados a uma vida de alcoólatra. A barriga incha, vestígio de cirrose, muito vômito. Caí neste vício em decorrência do abandono da minha família, eu era muito ruim para eles. Vamos desligando desse passado triste e voltando para o presente, aqui e agora. - Por que você gosta de se apresentar como homem? Eu sou homem. Hoje você é mulher. Mulher sofre muito. Você sabe que nesta vida não pode mais se apresentar como homem. - Que motivo você tem para não querer ser mulher? Eu não quero ser traída de novo. - Fui muito traída. - E como homem você também traiu e foi traído também? Mas daí, eu era homem e homem pode. Hoje ambos são iguais, embora naquela época também. Você vai acabar nascendo mulher na próxima encarnação, para cumprir e experienciar corretamente a polaridade feminina. Não quero passar mais vergonha. Eu ia casar e descobri que ele tinha outra. - Você também fez igualmente em outra existência, não fez? Fiz. Então não pode reclamar. Pagou na mesma moeda o erro que cometeu lá atrás. Se você tivesse arrumado um homem aqui em cima, não teria a necessidade de ir procurar esses prazeres no umbral, não correndo tantos riscos. Você está complicando ainda mais a sua vida. Colocando mais obstáculos do que já tem. Está enganando a si própria. - Você já notou quantos problemas arrumou lá em baixo? Vou colocar um micro organizador floral virgem com essas informações gravadas para que você não se esqueça da nossa conversa. - Tem mais alguma situação que envolve a queda de cabelos? Ou já vimos tudo?...

Feiticeiro . Tem uma magia negra, desta vida, feita para não me casar com ninguém. Traz os responsáveis. - Você quem é? Sou o espírito feiticeiro que estava junto dela. Então comece a desmanchar o que você ajudou a fazer.

Material usado: fitas, vermelha e preta. Vela preta e vermelha, cabelos, foto e um boneco com a foto dela dentro da barriga, e outras coisas mais. Comece o desmanche. Quem encomendou foi mulher não? Sim. A barriga está cheia de alfinetes. Tem um frango com a barriga cheia de coisas. Abra e tire todas essas coisas e coloca tudo dentro desse caldeirão para ser queimado. Ganhei também bebidas e rosas.

Veja bem. Quando o paciente não se encontra presente no atendimento, muitas coisas podem ficar de fora. Não sabíamos dessa história do casamento desfeito, porque nem sempre se descobre e daí o trabalho fica prejudicado.

Quando as pessoas têm brechas kármicas, a magia pega com muita facilidade. É como goma de chicletes. A concorrente fez exatamente o que para afastar o namorado da paciente, deixando-o livre para a concorrente. A minha barriga ainda continua doendo. - O que tem aí dentro? Não sei, então veja! Vamos desmanchar toda a porcaria. A barriga está cheia de espíritos. Vamos retirando e encaminhando. Os chacras inferiores estão cheios deles também. - Você está só? Não, tem mais espíritos comigo. - - Você leva-os com você? Sim. Então vamos dar um banho de água crística com ervas e trocar a roupa. Estou com dores nas costas e cheio de alfinetes. Vamos retirá-las. Agora vamos fazer uma prece e encaminhá-los para as instituições de caridade. Jesus, nos perdoe, nos ampare, nos oriente e nos encaminhe.

Traga o   corpo astral   da paciente. - Por que a paciente não consegue deitar-se de costas? Talvez seja a vibração daquele espírito que estava com os alfinetes nas costas. Em uma vida passada eu torturava as pessoas, quebrava a coluna, as costelas. Agora eles não me deixam em paz. - Onde eles estão? Aqui. Estou muito arrependida. Antes de recolher esses espíritos, vamos mostrar a eles o que eles também fizeram no passado, vejam que não foram boas coisas também e possam se desligar da paciente e seguir os seus caminhos.

Os pés doem e estão inchados. Têm aparelho e uma bota de ferro com dois canos. Vamos retirá-las.

A barriga estufa, conseqüência de uma vida em que morreu com uma criança dentro do ventre. Os dois chacras inferiores estão fechados. Vamos fazer um parto e retirar a criança. Os rins estão meio paralisados. O intestino funcionando precariamente. Infecção na bexiga. Vamos usar a cromoterapia no reparo e o preto velho nosso amigo, vai fazer um trabalho com ervas. Aparelho na cabeça, tontura. Em uma vida tive um tumor no cérebro. Três níveis ligados a esta vida. Vivenciando e desligando desse passado. Com os desligamentos dos eventos de passado, a corrente da vida volta a movimentar novamente naqueles pontos, onde estava interrompido.

Outra vida com problemas mentais. Vivia vagando pelas ruas. O 4º nível está ligado a esse passado. Desligando.

Não consegue pensar e nem raciocinar. Um micro aparelho parasita no cérebro. Visualize-o para ser retirado. Os olhos ardem e queimam. Lavamos com água crística e uma cor índigo. Em uma vida trabalhava com hipnose... Cardíaco está muito endurecido e preto, sem sentimentos. Não quer sentir. Neutralizou os sentimentos. Vamos colocar um botão de rosa no seu coração e vamos desabrochando, colocando todos estes sentimentos negativos nessas pétalas e devolver para a natureza. Em seguida colocamos outro botão de rosa e no coração e o deixamos ai. Tive uma decepção e tenho medo de voltar a gostar. Você tem que aprender a sentir novamente, caso contrário não vai aprender e as energias não vão fluir corretamente, causando outros problemas. Fechando essa primeira parte, passando uma energia dourados nos cordões dos chacras e de prata.

Corpo astral da linha do umbilical .

Todos os níveis estão ligados aos passados vistos na outra linha.

Aparelho nos pulmões. Essa ressonância vem de uma vida em que teve câncer nos pulmões, daí, a falta de ar e pontada nas costas. Os 2º, 3º e 4º nível ligados a esse passado. Vamos desligando. Aparelho nos pés. Problema circulatório, sangue grosso. Ressonância das magias. Vamos passando uma energia verde, lilás, azul e rosa na corrente sanguínea. Aparelho no chacra laríngeo com larvas astralinas. Foram removidos.

Mental Superior

Todos os níveis ligados aos passados até agora vistos. Um pouco agigantado, de 01 a 10, em 8. Envolvendo em amarelo limão e vamos diminuindo.

Perguntando (incorporando obsessor).   .. Qual o envolvimento que você tem com ela? Ela me pertence. - Por quê? Nós trabalhamos juntos em outro passado. - Você está ligado ao umbral? Sim. Cortando esta ligação e trazendo os níveis da paciente de lá de baixo, tracionando. Deixamos umas cápsulas lá para retirarmos espíritos que já estão em condições de serem encaminhados para as colônias. Estou sentindo um choque. Eu não posso me mover, doem muito às costas, eu não sei o que vocês fizeram comigo. Eu controlo a mente dela e ela gosta. Você (obsessor) a acompanhava quando ela ia trabalhar no centro espírita? Claro que sim, mas ficava no lado de fora, só voltava-a acompanhá-la quando ela saía. - Como você veio até aqui hoje? Estes homens de branco me trouxeram. Eles fazem um pacotão de tudo que tem que ser realizado durante a sessão. Rastreiam tudo que vai ser atendido. Veja a fila enorme para ser atendido. Eu procurei escapar, mas não foi possível, ela me denunciou. - Colocou algum aparelho parasitas nela? Sim, tire-o. Nós estamos ligados a um trabalho com produtos químicos em um laboratório lá em baixo. Inalamos muito esse produto. Destrói a pele, os cabelos, produzindo ferida na pele, irrita a garganta, incham os pés e mãos. - Você quer mudar de vida? Não sei, para onde vocês querem me levar? - Para uma colônia, e os outros que estão com você leva-os também? Sim. Sempre mostramos a colônia onde estão sendo levados.

Mental Superior   - dando continuidade

Retirando os aparelhos da coluna, das mãos inchadas. Problema de nervos, proveniente das magias e produtos químicos. Estômago com um líquido preto e com espírito dentro. Vamos limpando. Pedimos ao preto velho trabalhar com ervas. Um peso nos ombros, produzido por um ferro. Muita canseira. Passamos um verde e um azul, terminando com dourado. Recolhendo as cápsulas que foram deixadas lá em baixo com os espíritos. Tudo resolvido, removido e encaminhado nesta linha.

Mental Inferior

Todos os níveis apegados a esses passados vistos.

Níveis no vale dos sexos e vícios. Níveis como monge, bem careca, 3º e 4º níveis estão ligados a essa vida. Níveis de costa um para com o outro. Idéias deferentes. Diz: Eu não posso casar-me, sou um monge. Você não é mais monge... Veja o que aconteceu. Fui perdendo os sentidos das coisas e entrei em depressão, a vida não tinha mais sentido para mim. Notou bem o que aconteceu com você naquela vida, hoje, você é mulher e está em outra encarnação. Recolhendo as cápsulas lá de baixo. Sempre costumamos deixar essas cápsulas lá em baixo para recolher espíritos, quando cheias.

Muita bebida no estômago. Vamos drenando através dos chacras da sola dos pés.

Tela búdica –   foi reconstituída.

Duplo Etérico   – Todos os níveis apegados a esses passados.

Tem um cordão do chacra esplênico ligado lá em baixo, sugando ass energia boas e repassa as ruins. Foi desligado. Um ferro no meio da coluna foi retirado.

Corpo Físico – Todos ligados às vivencias vistas. Foram também desligados dessas vivências.

 

 

2a) Guilherme   – 15 anos

Data: 20/09/08

Problema: Briga com o irmão com faca; odeia a mãe; tristeza; revoltado; insônia.

 

Apometria: Recolhidos os espíritos. Eu não agüento mais e tenho tanta pressa de resolver essa história. Ela ainda faz isso comigo todos os dias, ela me corta em pedacinhos, ai meus olhos não abrem muito, dizem que não sou muito bom que eu tenho uma doença, me deram remédio para dormir, mas a dose foi pouca, eu era gordo, precisava uma dose maior, daí passaram a me cortar pedacinho por pedacinho e eu vivo, pois não estava domingo como eles pensavam. A minha voz não saía para que eu pudesse gritar. Porque não me mataram de vez, já que eu era uma pessoa doente e o médico dizia que era um erro da natureza, o padre esteve lá em casa e disse que eu era do diabo. Tire essa faca da mão dela, me tire daqui, meu corpo dói inteiro, estou com muito frio, me tirem desta mesa, estou sem roupa, me tire daqui. O teu irmão . - O que ele representa para você nessa história? Que eu sou doente cabeça e diferente. O padre dizia que eu era do diabo e o médico dizia que era uma doença da natureza. Colocaram-me na mesa e me cortaram, era o meu irmão mais velho naquela vida, só que ele trabalhava, quando eu sorria para ele, ele fugia e dizia que eu era um monstro, porque monstro não ri, mas eu era uma criança que queria brincar. - Vamos dar uma olhada no teu passado. Eu não queria ver, mas você me forçou. Nós éramos médicos . E esses livros? Eles ensinam como cortar uma pessoa. Nós fazíamos experiência com pessoas vivas. Eu era um exilado. - Ainda está ligado àquele planeta? Sim. O Corpo Astral não tem forma humana, parece só uma casca. Desligue-se deste passado, dessas duas vidas? Vou perder todos os meus conhecimentos. Quero encontrar uma vida em que eu seja um médico, eu quero ser um cirurgião como vocês dizem aqui. Eu estou esperando ser um médico. Já são 15 encarnações e não consigo encontrar, não consigo encarnar em uma que eu possa ser um médico. É só o que eu sei fazer. Eu não sou um monstro como falava o padre.

Entre o mental superior e mental inferior, tem outra formatação (MS está ligado ao CA), foram formados com níveis rebeldes essas duas matrizes, é muito forte essa ligação, e está muito difícil de segurar esta freqüência, diz o médium de incorporação. Existe uma inversão de todos os chacras, numa linha reta até o básico. Tem uma estrutura óssea diferenciada internamente, é uma forma de ajuste não dolorosa, para ele era forma humana nesta encarnação, desde que ele veio para o planeta Terra como exilado. Ele é muito disciplinado, não é agressivo nem violento, ele é coercivo (ato de coagir, coação). O que vamos fazer daqui para frente? Pergunta o doutrinador. Estamos num beco sem saída! - Por onde vamos reiniciar este caso, devido a sua complexidade?

 

O   mental inferior   tem uma formatação de uns 2 a 3 metros. Temos que buscar ajuda do alto, de algum emissário! Porque exige certo conhecimento que ainda nós não temos, ou enviar esta estrutura do mental superior para um hospital no astral. Existe dentro dele uma revolta tão grande, tão grande, como uma bomba de efeito com retardo. - Quais os níveis dele que estão com essa revolta? Toda a linha do corpo astral. Ele ainda não compreende o que são sentimentos. É fruto do exílio. Continua não existindo. A mãe dele daquela vida não lhe tratava bem, não é a mesma de hoje. A mãe de hoje, foi o médico que lhe retalhou. - Como está o corpo Astra- Podemos reorganizá-lo? Já está sendo reformatado. Já foi desligada aquela memória daquele planeta. O   Mental Superior   e   Inferior , se encontravam no umbral, foram trazidos para cima.

 

Mental Superior   incorporado diz o seguinte. - O que você quer comigo? Você é um ser inferior, medíocre, triste. Vamos dar prosseguimento no atendimento e deixar certas situações para o próximo atendimento, até que o agregado seja reorganizado e processado tudo que está sendo visto. O MS. Você está interferindo na minha vida. Você não tem capacidade nenhuma de me entender, nem de me tratar. Você é um verme rastejante neste planeta. Eu vim de uma linhagem que você nem tem ideia de onde somos. Eu vim para este planeta que não tem nada para mim. Estou aqui somente por um castigo. Eu fui castigado. O que você fez de errado lá de onde você veio? Eu não fiz nada de errado. Todos estavam errados, todos me acusavam de coisas que eles estavam se beneficiando (talvez tenha sido usado como bode expiatório, como acontece aqui, mas ninguém paga o que não deve). - Foi acusado de quê? De extermínio. - Você já passou pela situação de ovóide? Eu não quero nem me lembrar disso. Você não sabe o que é passar milênios neste planeta miserável na forma unicelular. Você devia agradecer a Deus. Ah Deus! Eu não preciso de Deus, isso é uma grande mentira, ainda mais dessa raça que não tem nada de bom. Veja como você era? Uma estrutura muito superior a de vocês. Não sou frágil como vocês. Esse planeta não é evoluído. Depois, me acusaram de exterminador. Não quero mais conversar com você. Deixe-me ir embora. Você está me amarrando aqui. Você nem consegue falar comigo. Você não tem esta capacidade. Vou acessar o seu ponto fraco e já! Todos têm um ponto fraco. Você não vai tocar nisso! Eu mato você primeiro! Mas você não vai tocar! Então, escuta o seguinte. - Você disse ovóide?- É um comportamento normal, não é? Ou você aceita o que lhe está sendo proposto, ou você vai acabar no caminho da ovoidização, mais dias menos dias, devido à rebeldia e o desregramento. Isto eu não quero. -Você quer tirar todos os meus conhecimentos e transformar-me naquela estrutura infame e dolorosa? Eu não vou fazer isso, você mesmo acaba se destruindo se não mudar o seu comportamento. Não consigo entrar dentro daquela estrutura. Não consigo ficar daquele tamanho. Ou você muda ou vai acabar piorando a sua situação. Vou deixar você no tamanho original. O tamanho original não é o que o doutrinador está sugerindo, não é? Cuidado. O tamanho original dele se refere de onde ele veio e não o de agora. Tem que ser o tamanho de hoje, deste planeta. Você não pode ficar maior do que os demais. Escuta bem o seguinte: Eu sei que não tenho escolha, está bem? Assim fica melhor para você mesmo. Você até parece um daqueles que me chamaram de exterminador e me exilaram. Então me diz o seguinte: Você tem alguma coisa contra? Você está vendo aquele que está ali do seu lado (sua mãe de hoje), - você vai continuar agredindo-a

novamente? Eu agrido o médico que me retalhou, que é ela . Eu quero cortar o médico que me cortou. Vamos apagar essas lembranças daquele planeta. - Recolhendo os seus conhecimentos para o corpo búdico. - O que estou fazendo aqui? Vou encaminhá-lo para um hospital no astral com esses irmãos de branco que estão aqui. Para onde eles vão me levar? Para ser submetido a um tratamento.

Mental Inferior   - foi recolhido para o hospital.

Duplo Etérico

Está com uma sobrecarga de energia tão grande que está comprometendo o funcionamento de todos os chacras, sem exceção. O chacra frontal está gradativamente prejudicando e arruinando o coronário. Poderá ter problemas neurológicos no futuro. Vamos passar uma energia dourada em todos os chacras e cordões. A mente espiritual dele não consegue entrar na mente da consciência física, ele compara esta mente de hoje, com a de um rato, comparado com a dele quando foi exilado. O conteúdo e o jeito que a informação é passada por ele, que ele não consegue conceber uma melancia entrar dentro de um grão de uva. Nós entendemos você.

Estava ocorrendo com o paciente certa incorporação anímica, quando ocorria essa agressividade. As sinapses ocorriam diferentes e permitiam que os subníveis se unissem aos níveis agigantados, e a consciência física não suportava o tranco, essa vibração muito intensa, trazia a agressividade. Essa descarga vibratória devia nocauteá-lo, mas não acontecia, então vinha à agressividade contra a mãe e o irmão, devido à lembrança daquele passado onde foi cortado por eles. A descarga elétrica não era suficiente para adormecê-lo. (como diz Carlos Torres Pastorino, os relais não se desligam (substância branca) – córtex do tálamo), para haver o desmaio. Aí não há remédio que segure o paciente, mantendo-o adormecido.

A inteligência de fluxo do   mental inferior   é brutalmente mais rápida do que a consciência física, não há uma contabilidade. É como duas mentes agindo em uma só. Leonardo Da Vinci, também retalhava pessoas para aprender anatomia, mas eram cadáveres e não vivos como é o caso deste paciente.

A mente deste paciente se encontrava no passado. O físico era somente um boneco. Ele também fez uso da faca para retalhar as pessoas em suas experiências.

•  Se o   mental inferior   conseguir fazer uso da sua inteligência não precisara estudar pelas próximas duas encarnações. Só que nem sempre o espírito terá direito de usar certos conhecimentos, nem sempre ficam disponíveis para que o físico possa fazer uso em cada encarnação, depende da prioridade de tarefas a serem experienciadas e do merecimento, também os medos e remorso.

3a) Marcos

Data: 25/09/08

Problemas: Dor de cabeça. Vômito com sangramento. Acontecimentos recentes.

Trabalha na área petrolífera.

Aberta a freqüência vibratória, apareceu um obsessor que se encontrava junto do paciente. - O que você está fazendo com ele? Não estava até chegar aqui, diz o espírito. Diz o doutrinador: - Você precisa de ajuda? - Não preciso. Você está sentindo dores por todo o corpo, nos ossos, na cabeça, não está? Eu vivo junto com ele. - Vocês se conhecem de onde? De uma existência passada. Fiquei doente aqui – diz o obsessor. Minhas idéias estão muito confusas. Você pegou o paciente? Sim. Por isso ele não sabe onde se encontra! - E onde foi o encontro de vocês? Vou levá-lo ao jardim para relaxar e se lembrar do ocorrido. Estou nas zonas umbralinas, meu corpo está cheio de óleo e intoxicado, eu vivo lá. Este óleo entra pelas minhas narinas. Sempre fui um espírito rebelde, hoje estou todo deformado, cheio de óleo preto e estou intoxicado, por esse óleo que entra pelo meu nariz e sangra muito e dói a cabeça. Eu vivo lá, diz o obsessor. - Você tem alguma coisa na cabeça? Tive derrame cerebral em outra existência. Meu corpo está todo preto como um chumbo. - Você já trabalhou com petróleo antes desta vida? Tive um tumor no cérebro. - Como morreu? Quando trabalha com petróleo, estourou aquela base onde nós trabalhávamos. O paciente era o meu chefe, ele sabia que ia explodir e não permitiu que eu e os outros saíssemos. Vamos ajudar você e os que estão com você. - Vai aceitar a mudança de vida? Você está sofrendo também e não está ganhando nada com isto. Vai retirar os aparelhos colocados no paciente? Sim. - Você leva os seus companheiros? Sim. Faça uma prece a Jesus (Jesus, divino mestre, perdoe nossos erros, nos ampare e nos encaminhe) e vai com esses irmãos de branco.

Paciente – Corpo Astral

Estou com uma coisa preta no estômago. Vamos retirar. Estou com muito frio e calor. A cabeça está bem e o estomago está melhorando. Estou me torturando. Em outra existência fui um torturador. Esses espíritos que estão aí, eu os torturei. Vamos recolhê-los. Vamos retirando os seus níveis que se encontram no umbral.

No passado tive câncer nos ossos. Vamos trabalhar com cromoterapia e você vai ficar melhor. Fui um bruxo. Precisas desmanchar as magias que você fez naquele passado. Não me lembro. Lembra sim... Libere os espíritos que estão ainda ligados a você. Minha respiração está trancada. Meu rosto todo infeccionado. Vamos recuperar o seu rosto e você vai ficar melhor, acredite. Também mexi com produtos químicos, vamos desligar daí também. Tive câncer nos pulmões devido ao vício do tabaco. Aparelho nos ouvidos e dói muito, ligado a uma vida que me suicidei com tiro no ouvido. Não gostava da minha vida, me sentia sozinho e triste. Em outra existência anterior a essa, fiquei muito doente e fui abandonado, tinha uma doença contagiosa, morri com muito sofrimento. Em outra existência, anterior a essa última aí, eu jogava os leprosos e outros doentes incuráveis em um porão, sem comida e ali ficavam até morrer. Precisas se desligar desse passado sofrido e se arrepender dos teus erros.

Corpo Astral da linha do umbilical   – Aparelho na cabeça e todos ligados a esses passados vistos, e foram desligados.

Mental Superior

Todos os níveis estão ligados a essas vivências vistas até agora. Que ferragens são estas! Eu gosto de me torturar. Pensei que fosse proteção? Eu faço com as minhas magias. Não vou conseguir pagar. Dizem que se paga com a dor. Sim, mas não se autopunindo. Estou com um buraco negro nos olhos que queima. O calor vem do sacrifício das magias, onde nós queimávamos as pessoas, hoje ainda escuto gritos dessas pessoas, e eu não fazia nada na época do acontecido. Vou tentar melhorar sem me punir. Aparelho no cardíaco que provoca a falta de ar. Os chacras cheios de espíritos, aparelhos e cristais, os quais foram retirados. Desmanche as tuas magias.

Mental Inferior

Todos ligados aos passados vistos. Níveis pequenos. Níveis ligados aos umbrais, vale dos sexos e vícios. Foi um bruxo e foi queimado. Vida de vícios com álcool e morreu de cirrose. Níveis sem pernas. Pense firmemente nas suas pernas e já vai recebê-las, acredite.

- Tenho ódio de tê-las perdido. Como você me deu essas pernas? Jesus as deu e com a sua vontade, a sua fé. Dor nos olhos, estão infeccionados, cheios de larvas Foi trabalhado na recuperação das regiões afetadas. Todas as minhas informações estão bloqueadas. Vamos regredir e trazer a sua memória de volta. Vamos fazer uma contagem até 15. Voltou? Sim.

Parece que os níveis estão inchados. Estou com um pouco de dor de cabeça.

Tela Búdica

Cheia de buracos, foi reconstituída.

Duplo Etérico

Níveis com tumores no cérebro, ligados a uma vivência em que esteve doente. Foi desligado.

Corpo Físico. Todos ligados.

4a) Wilson   – 15 anos

Data: 09/10/08

Problemas: Não está bem nos estudos. Não escuta no ouvido esquerdo. Tristeza.

Técnica usada: Apometria

Abrindo a freqüência vibratória e recolhendo espíritos que se encontravam com o paciente, envolvendo-o em energias azul, laranja e violeta.

Em duas encarnações ele foi preparado para ser um servo, um capacho, foi cortada sua língua e furados os ouvidos. Encontra-se com ele um espírito que diz ser seu senhor. Outro espírito a mando deste primeiro segue ordens de cuidar do paciente. O paciente não vive a vida atual, não sabe que está encarnado, vive no passado. Tem em torno de 30 a 35 anos. Nas três encarnações que foi usado como escravo, não chegou a completar 40 anos, enlouqueceu primeiro, teve um surto de loucura que acabava se atirando de algum lugar ou cortando o pescoço. Ele não reconhece a autoridade de ninguém, só daquele que o comanda, o espírito que foi designado para estar sempre junto do paciente, que por sua vez é comandado pelo primeiro que é seu mestre nesta história. Vamos trazer este mestre aqui. O agregado do paciente repudiou toda a carga de energia dourada que foi passada inicialmente nos cordões dos chacras e de prata. O paciente é simplesmente um objeto na mão deste mestre (obsessor), não é dito que ele é um ser humano. Ele está abaixo de um animal de estimação.

- Vamos trazer o mestre aqui agora? Que ousadia a sua! Chamaram-me aqui. - Por quê?

- Você ainda está comandando o menino e aquele espírito que está junto dele?

- Não é possível que você queira tirá-los de mim. - Não vamos tirar nada de você. - Nem o conheço. Ninguém é de ninguém, entenda isto meu irmão. - Sempre fui o seu dono.

- Eu tenho a propriedade sobre ele.

-Você tem algum documento que prova essa propriedade?

- Eu tirei dos pais, dei dinheiro, agora os pais querem vir buscar a criança?

- Você tem a certidão dele?

- Não preciso. Ele sabe que é de minha propriedade. Ele me pertence. No momento a mãe é que manda nele e está ao seu lado. Não conheço.

- Eu o acredito que você já está cansado desta vida, não é?

- Não. - Está sim! Ele (paciente) está comigo e preciso que ele tenha que estar.

- Por que você age assim?

- Porque eu quero. Porque é meu direito. Está com algum problema?

- Nenhum. Você já viu um Rajá com problema?

- Muito bem, sendo assim vou levá-lo para dentro do seu verdadeiro problema que só você sabe onde ele se encontra, portanto, vou regredi-lo ao seu passado, você logo estará lá... 1, 2, 3, 4...regrida e entre dentro do seu verdadeiro problema, só você sabe onde está... 5, 6, 7. Já estamos lá. Estamos sozinhos, diz o mestre.

- Então, está vendo quantos problemas você tem?

- Não tenho. Não posso ser assim, a minha condição não me permite que eu seja uma criatura assim.

- Conte-me a sua história. O porquê de tudo?

- O que aconteceu com você?

- Eu não posso demonstrar insegurança, medo, fraqueza. Por isso está sempre junto comigo. Eu estou envolvido por mulheres, por poder, por homens que governam, são guerreiros, soldados, eu sempre tenho medo de ser surpreendido, tenho muita riqueza. Ele é os meus olhos, onde os meus olhos não alcançam.

- Perder o quê?

- Perder tudo. Eu ainda tenho as minhas mulheres, as minhas jóias, tenho o meu poder. Veja bem você não tem mais nada, é só na sua imaginação, na sua memória, isso não existe mais, é só uma ilusão de um passado que já foi. As mulheres seguiram os seus caminhos. Essas jóias já passaram para outras mãos. Tudo isso já aconteceu. Não existe mais. É só uma memória. Mas é tudo tão real. E dói muito.

- O que aconteceu com você?

- Que tipo de vida você teve após esses acontecimentos?

- Eu continuo tendo aquela vida. Esta vida é a única que tenho.

- Você teve outras vidas?

- Não. - Claro que teve. Não. Veja aquele corpo sendo enterrado.

- Olhe bem?

- Meu irmão você está fora da realidade. Você ainda está preso naquele passado. Olhe para o mundo de hoje e perceba a diferença!

- Um passado que já não existe mais, somente na sua memória. Por isso é que estamos propondo essa mudança. Deixe esses irmãos seguirem os seus caminhos e você o seu. Libere aquele espírito que colocou de guarda junto ao menino. Tem que ir em busca da felicidade. Da maneira que você tem levado a vida, já deu para perceber que não é nem um pouco feliz, nem sabe o que é isso, vive preso a esse passado, como um escravo. Como se diz – escravo de si mesmo. - Eu não reconheço esse presente que você fala. É só perceber. Você está cego, abra os olhos para a realidade.

“Quando ele desencarnou da vida de Rajá, foi para o umbral. Passou a servir espíritos trevosos em troca de manter no umbral o seu reino que tinha antes da morte física. As jóias foram usadas para fonte de energia para os espíritos trevosos. Os escravos e mulheres se mantiveram intactos na mente dele. Mas isso tudo era um enfeite. Para ele manter aquela realidade até o presente momento, como um ser opulento e poderoso, proporcionou aos trevosos a energia das jóias, e todo o poder que ele diz ter, é um poder licenciado pelos trevosos, mas com um limite bem estreito. Ele não pode fazer muita coisa”.

Já estou inteirado de mais detalhes da vida dele. Está sendo manipulado pelos espíritos trevosos. Na verdade você é tão capacho como aqueles que o servem. Não quero escutar isto. Eu tinha que fazer alguma concessão para manter o que tenho.

- Por que você não se liberta de vez?

- Às vezes tenho que ceder algum espaço. O poder, as pessoas, a obediência, as jóias no meu poder.

- Você tem idéia de quanto isso é bom?

- Você é escravo do poder. - Não. Eu uso o poder. Você pode ser livre se assim desejar, não fique mais à mercê desses espíritos trevosos!

- Como vou fazer isso e manter o que tenho? - Não precisa mais deste menino e nem do espírito guarda, nem das jóias e tudo mais.

- Quem vai me servir?

- Você mesmo.

- Quem vai trabalhar para mim?

- Você mesmo. Você vai ter a sua própria vida de liberdade para ir e vir. Escute aqui meu irmão:

- Você quer ou não quer se libertar de tudo isso?

- Se eu aceitar estas condições, o que será de mim?

- Olhe na sua direita e na sua esquerda, e veja estes locais, onde você poderá ir, escolha o melhor.

- Ser um simples homem do campo, sem nada para vestir, abrigar e comer. Trabalhar para quê?

- Para ser útil a você mesmo, independente. Vai dar valor ao seu próprio trabalho. Poderá ajudar as outras pessoas. - As outras pessoas é que têm que me servir. Desta maneira você não pode ir onde quer, pois está preso a esses espíritos trevosos. Vive em uma espécie de gaiola. - Eu sempre acreditei na liberdade, mas essa vida que você vive não é uma liberdade, é uma vida de fantasia. Na verdade é tão escravo quanto aquele menino e aquele espírito guardião. - Eu não sei o que faço! Sabes, sim. Simplesmente vai liberar aquele menino e o espírito. Mas eles não sabem fazer nada além do que eu digo para fazer. Eles também vão se libertar e seguir os seus caminhos. Isso não interessa mais para você. Liberte-os. Vou encaminhá-lo para uma colônia e eles lá vão cuidar de você.

- Eu não posso sair daqui, você sabe disso?

- Pode sim. - Eu serei castigado. Ninguém vai castigá-lo. Aqueles espíritos não vão mais alcançá-lo.

- Sabe quanto tempo eu estou aqui? Séculos.

- Você já deu uma olhada no mundo de hoje?

- Não. Então, olhe e veja como mudou. Você vai fazer uma prece a Jesus e vai buscar essa nova vida que estamos lhe propondo. Desligue-se de lá de baixo e libere os dois que estão sobre a sua influência. Retire tudo que colocou neles. O cordão que sai do meu frontal e laríngeo que cria uma força em forma de cabresto no pescoço e no rosto deles. Cortando esses cordões.

- Mais alguma coisa?

- Não. É tudo diferente. Sinto-me mais leve e consigo respirar melhor. Vai tomar um banho e trocar a roupa. - Agora estou sozinho, nada lá de baixo eu posso levar. Aquilo não tem mais valor para você. Nesta vida nova não vai mais precisar daquilo. Não é o que eu estava imaginando. Aquelas jóias eram tudo fantasia, estão virando pedra. Não entendo isto. No ato da libertação os dois espíritos que estavam sobre o seu comando foram recolhidos.

Corpo Astral

Não sabia fazer mais nada a não ser executar ordens. O menino de hoje, mas o homem de ontem, está recebendo língua de volta, os ouvidos estão sendo recuperados. Agora só falta reconduzi-lo para esta encarnação atual e devolver a idade de 10 anos.

O agregado espiritual do menino vivia em regiões umbralinas onde existia uma espécie de pó que lhe obrigava a viver com os olhos fechados, pois queimavam, assim não via o que realmente passava a sua volta, executava as ordens do seu mestre pelo pensamento ou por telepatia, por isso ele tem o chacra frontal desenvolvido. A questão mediúnica dele é muito forte.

Ele apresenta dor de cabeça, mas não está colocado na ficha. A mãe dele diz que sim. - Ardência nos olhos? Sim também. O agregado espiritual se encontrava no umbral. Está sendo trazido para cima. Ele está com uma dormência na boca e nos ouvidos, parece que tem um instrumento saindo de dentro para fora reconstituindo tudo. Provavelmente ele pode ter dores nos próximos dias. A mente está sendo reorganizada, como se tivesse parado no tempo na vida de escravo. Naquela vida apreendeu desde muito cedo a escrever e ler, entre 8 e 10 anos. Depois foi lhe cortada a língua e furados os ouvido. Quase enlouqueci e virei uma espécie de bicho que obedecia a ordens.

- Estou diferente e quase não consigo falar. Atrás da estrutura do CA, 5º e 6º nível, tem um formato de um homem antigo de uns 35 anos, como se fosse uma coisa inesquecível, tem que ser destruído, é uma espécie de holografia, que lhe dá uma idéia fixa desse passado. O paciente foi situado no presente, desfeita aquela memória fixa, isso produzida pela obsessão intensa, desorganizando, paralisando a sua mente naquele espaço de tempo. O agregado tomou consciência para que a catarse entrasse em funcionamento. Esse fluxo de energia tem que ser colocado para fora. Foi desligado daquele passado e fixado no presente. Agora está brotando o passado do passado, antes dele começar a servir este senhor. – (Porque eu tive que passar por tudo isso? Quanto tempo de espera para sair do sono, dessa hipnose, uma hibernação tão profunda. Mais de 1000 anos assim. Não agüentava mais). –(Recue no tempo e veja o que você também fez). Fui um alquimista. - O que você fez como alquimista? Não fiz nada de cruel. Eu era muito assediado por espíritos trevosos que queriam que eu usasse o que eu sabia. Eu sempre me recusei. Nunca admiti interferência no meu trabalho. Jamais criei situação difícil para as pessoas. Eu só utilizava as ervas, as raízes, as flores e água do rio, nas noites de lua cheia. Jamais utilizei para prejudicar alguém. Mas fui muito assediado pelos espíritos. Então acabei cedendo, jamais me perdoei. Eu fui forçado a cometer erros. –(Mas você aceitou, não foi? Eu não tinha como resistir aquele assédio. Dores de cabeça, nas costas. Recue mais e veja o porquê desse resgate). Não quero lembrar disso. Eu quis mudar. Deve ter feito alguma coisa tenebrosa. Quando eu estava lá em baixo no umbral, liderei um grupo de espíritos malevos, éramos a pior das tragédias, éramos a pior das doenças, coisas mais horrendas que pudessem ter sido intentadas. Nós devastamos tudo. Corrompemos, destruímos tudo que você possa imaginar. Cheguei a um ponto que enjoei de tudo, estava farto de tudo, quis mudar e pedi uma chance, me deram essa chance e eu fracassei. O meu remorso foi tão grande. Eu pedi para servir sem vontade, para aprender a servir. E olha o que aconteceu. Parece que o que eu pedi não foi atendido. Tornei-me uma criatura que foi usada para destruir novamente. Para proteger, eu precisava de proteção. Parece que eu não tinha pedido. O meu pedido foi distorcido. - Você sabe o quanto é difícil acertar? - Fazer as coisas certas? Você entende como eu estou revoltado comigo mesmo. Mas eu não estou condenando. Eu tentei acertar, fracassei. Esforcei-me tanto. Agora é a oportunidade de acertar nesta vida. Você viu as situações de suas vidas ha três mil anos de coisas que não deveriam acontecer. Você fracassou porque não estava maduro o suficiente para fugir das tentações e das armadilhas que a vida lhe impôs. Vamos desligá-lo dessas três vivências.

A dificuldade nos estudos. Eu nunca precisei, eu já sabia tudo, você viu o que eu era. Aquele corpo que está ali sentado tem que recomeçar novamente, estudar novamente.

Esse espírito traz uma vontade muito grande de acertar, é uma forma de se limpar.

Corpo Astral da linha do umbilical   – Todos estão ligados. Mental Superior   – 2º, 3º, 4º e 7º, estão ligados. Mental Inferior   – Todos. Tela Búdica  - foi reconstituída. Duplo Etérico   – Todos. Os cordões do chacra umbilical se encontravam grossos. Corpo Físico –   não faz a mínima idéia do que está acontecendo   .

Núcleo   – desceram três casulos da linha dos mentais, vida de padre e freira, usaram os recursos da igreja como inspiradora do poder. Foram recolhidos para um hospital.

Observação. Não soubemos mais se realmente melhorou, pois não houve retorno.

5a) Marta

Problemas: artrose há 6 anos, reumatismo, tosse seca há um ano. Síndrome de Jogre, diminui as lágrimas e fica com a pele seca. Fica gelada nas extremidades e roxa. Só melhora com o calor e água quente. Não suporta nada frio.

Data: 08/12/08

Técnica terapêutica: Apometria.

 

Encontrava-se em regiões umbralinas em lugares gelados e petrificada de frio, dois obsessores cuidavam para que ela permanecesse lá.

Apresentou uma vida com tuberculose, proveniente do vício do fumo.

Estava ligada a uma vivência, semelhante a esquimó, onde a claridade do sol polar lhe prejudicou muito a visão. Nesta região trabalhou com magia negra onde enterrava as  pessoas no gelo.

Em outra vida cuidava de um forno e era um homem muito ruim. Aqueles que eram preguiçosos jogava-os dentro do forno. Tinha um chicote, que utilizava para bater nas pessoas, mas antes colocava uma venda nos olhos para elas não saberem de onde vinha a chicotada, isso lhe dava prazer. Teve a cabeça destruída por uma machado em uma briga de cobrança de dívida, o devedor dessa vida foi o que desfechou o machado. Mas em vidas anteriores quem devia era a paciente de hoje.

Traz um sentimento de medo de ficar deficiente, foi desprogramado essa idéia fixa.

Se for analisar, tem tudo haver com a vida que está atravessando hoje. Não sabemos mais sobre este paciente.

6a)   Ycaro   – 6 anos

27/09/08

Problemas : Cai; muito agitado; desnutrido; vê um espírito maligno; convulsão; assustado; febre reumática; dificuldade de falar.

Os médicos o enquadraram como tendo a doença de “Corea de Sydenham. Encontra-se hospitalizado.

Técnica empregada   - Apometria

Após o desdobramento do paciente, apareceu junto dele um grupo de espíritos com capa preta colocando as mãos em cima dele com objetivo de paralisá-lo. Foi trazido o chefe desse grupo de obsessores para o diálogo.

-   Estou comandando este grupo e minha história é muito grande , diz o chefe.   Nós colocamos um dispositivo na corrente sanguínea, aparelho na garganta e nos olhos do paciente Y.

Este paciente foi mestre desse grupo em outra existência e abandonou-os, indo ministrar os seus conhecimentos de magia em outro grupo, em que faziam parte os seus pais de hoje. Por vingança esse grupo está aí. Parece que o Ycaro, após abandonar os seus pupilos, mandou executá-los. Esses espíritos estavam sugando as energias do paciente pelo chacra frontal. (Os meus alunos queriam saber demais e o que eles queriam saber, o mestre não podia revelar).

Vida anterior dos obsessores

-   Nós trabalhamos muito com magia negra de todas as espécies e, inclusive, prejudicamos o Y .

Mostrando o seu passado negro, ameaçamos trazer aqueles para quem eles mal fizeram e resolveram mudar. Passaram a retirar toda a parafernália que foi implantada no paciente. Mas parecia que os obsessores estavam concordando com tudo. O diálogo estava muito fácil nas suas decisões, mas, por trás, existia um “clone” artificial do agregado espiritual do paciente, neste caso do corpo astral, para onde eram descarregados os medicamentos. Não foi verificado se dentro desse clone existia um ovóide, pois até poderia existir. Foi retirado um aparelho do chacra cardíaco. Com uma descarga eletromagnética foi desmantelado parte do clone. Após o encaminhamento dos obsessores, o paciente se mostrou melhor.

Corpo Astral

Não estou conseguindo me fixar nesta encarnação. Traga os meus níveis de consciência que estão flutuando em cima do corpo. Eles estão perdidos e desligados desta vivência atual, sem memória da situação atual. O clone usado pelos obsessores foi uma armação para me confundir e complicar a vida de Y. Estão chegando umas cápsulas, como se fossem um grupo de células para serem implantadas na corrente sanguínea. Retiramos energia negra do chacra laríngeo e fechamos um pouco.

Magia negra realizada em vidas passadas por Y. Diz o paciente:

– Eu os abandonei porque achei que eles não queriam seguir os meus princípios .

Desmanche as magias que você fez naquela vida e em outras. Tem um coração artificial junto ao Duplo Etérico; então, vamos desintegrá-lo, é onde os medicamentos eram direcionados, não fazendo os devidos efeitos no físico do paciente. Este coração fazia parte do clone.

O aparelho entre os pulmões e coração que causava taquicardia foi desintegrado, pois sua retirada necessitava de técnico especializado. Aparelho no cérebro do lado esquerdo que provoca as convulsões associado também à febre reumática, que fazia com que o sangue subisse em excesso, contribuindo para que ocorressem as convulsões.

Vida passada com neurisma?

O duplo etérico está ligado a esta vida, como também os 2º, 3º, e 5º níveis do CA. Cortamos a ligação com o CA, evitando a descarga energética sobre o corpo, pois não está conseguindo administrar essa carga elétrica.

Fala

No duplo existe um aparelho embaixo da língua que dificulta a dicção. Ligada no 2º nível de duplo etérico tem uma cápsula que se encontrava no lado direito da cabeça e turvava as coordenações motoras do paciente.

- Vida passada que nasci e vivi como um verme e não podia me locomover.  O chacra laríngeo, que se encontra desarmonizado, também contribuía para desarmonia geral.

Alimentação

Debilidade causada por aparelhos na mucosa do estômago e ao redor da boca. Estômago cheio de um pus preto.

Foi passada uma energia dourada nos cordões dos chacras e de prata. Foi aberto nesta operação os chacras da sola dos pés para drenar as energias negativas.

Corpo Astral da linha do umbilical

Os 2º, 3º e 4º níveis ligados. Foi passada uma energia nos cordões dos chacras e de prata e abertos os chacras da sola dos pés para drenar as energias negativas.

Mental Superior

Todos os níveis estão ligados às vivências que foram vistas. O coronário muito aberto. Foi passada uma energia nos cordões dos chacras e nos cordões de prata e abertos neste caminho, os chacras da sola dos pés para escoar as energias negativas.

Mental Inferior

Os 2º, 3º, 5º os níveis dessa linha estavam ligados às vivências vistas.  Foi retirada uma cápsula cheia de bactérias.

Foi passada uma energia dourada nos cordões dos chacras e de prata, com abertura dos chacras da sola dos pés para drenar as energias negativas.

Tela Búdica

Pontos negros que foram reparados.

Duplo Etérico

- Vida passada que nasci e vivi como um verme e não podia me locomover.  O chacra laríngeo, que se encontra desarmonizado, também contribuía para desarmonia geral.

 

Todos apegados às vivências vistas. Foi passado um ar hiperbárico no quarto do paciente para destruir pontos negros. O coração artificial já foi destruído. Não estava havendo uma boa circulação do sangue. Havia um descompasso, como se tivesse com pressão alta, que não era o caso de um menino de 6 anos, embora possa ocorrer.

Estava ligado a uma vivência de velho, artérias entupidas naquela vida, dando uma arritmia cardíaca. Foi passado um filamento luminoso nas veias que vai aquecendo e derretendo a gordura e abrimos os chacras da sola dos pés para o seu escoamento, isto em nível espiritual. No físico apresentava os sintomas da situação em que se encontrava o paciente. Então, quando vinha o cansaço e a falta de ar naquela ânsia havia um descompasso de oxigenação dando taquicardia. Ex.: quando se jogamos água quente dentro dos canos esse processo tem a possibilidade de dissolver a gordura.

Observação: em todos os atendimentos, são retirados todas as coisas estranhas que se encontram nos corpos, assim como reparo, cirurgias. Regulado os chacras e alinhado os cordões. Colocados também micros organizadores florais.

Dia 06/10/08   – recebi informação de que o Y deu alta do hospital muito feliz, andando com ajuda e se alimentando melhor.

 

7a) Laura   , 16 anos

Problemas: Miocardia dilatada

Data do atendimento: 13/11/08

Técnica empregada: Apometria

Coração - Veja alguma coisa do passado ligada ao coração. Estou tonta, meu coração não ajuda, dor de cabeça; vibração de vidas passadas. Estou muita fraca deitada em uma cama de hospital, os médicos não sabem o que eu tenho. Desencarnei ali com muita dor e fraqueza. Todo o agregado de CA está ligado a essa vida. Estou sentindo muito frio. Volte mais atrás e veja o que você fez. Magia negra com o coração de pessoas. Usava boneco (vodu) para fazer as pessoas se apaixonarem. Abusei muito dos sentimentos das pessoas. Desmanche todas essas magias, inclusive os bonecos e após desligue desse passado. Vamos trazer um nível que se encontra no umbral. Fizeram magia para você no passado que precisa ser desmanchada. Vamos trazer os responsáveis. Tem um mago negro que coordena. Incorpore-o. Diz o   mago   que ela lhe deu o coração no passado em troca de benefícios. Agora ele está comigo. Eu ainda cuido dele. Ela dizia que fazia qualquer coisa em sacrifício. Você tem que devolver o coração, ela está precisando, você não precisa mais dele. Devolva. Então tire-o desta caixa e coloque no peito dela. Corte a minha ligação com o astral inferior. Deixamos uma cápsula lá para recolher os espíritos refratários. As válvulas do coração estão todas cortadas e invertidas. Vamos pedir ajuda dos médicos do mundo espiritual para

fazer os reparos necessários nesta região. Minha irmã: Pense firmemente na recuperação dessas válvulas, para normalizar o seu coração. Pense. Visualize-as elas se normalizando como elas eram antes disso tudo acontecer. Pense. Assim estará ajudando os médicos na recuperação da saúde. 1...21. O chacra cardíaco está muito neutralizado. Ativando com energia. Aparelho nas costas, cabeça e estômago. Foram retirandos. O coração se encontra muito inchado. Vamos regular fazendo uma contagem. 1 ... 11. O chacra laríngeo tem uma trava que precisa ser removida. Tem um nível aprisionado no umbral, vamos trazê-lo para cima e dando um banho com água Crística e ervas.   Mago Negro   - Agora faça uma prece e busque este caminho novo que Jesus está oferecendo. Aceitou e foi encaminhado para uma colônia de socorro.

Corpo Astral da paciente

- Estás melhor agora? - Sim. Mas com tontura e dor de cabeça. - Vibração de bebida. Fui viciada em uma vivência, onde perdi tudo no jogo. Eu era homem nessa vida. Desligue desse passado. Vivência que desencarnou com pontada. Muitas dores nas costas e no peito. Desligue desse passado (3 níveis ligados). Chacras muito fechados. Foi passada uma energia dourada nos mesmos.

Corpo astral da linha do umbilical – todos os níveis ligados nesses passados vistos até agora e desligados. Aparelho no estômago foi retirado.

Mental Superior

Ainda existe magia que não foi desmanchada. Vida na qual foi um médico que fazia experiência com o coração das pessoas. Estou ainda fazendo no meu agregado nos níveis a baixo de mim. Você não deve fazer mais isto. Caso contrário inverterei o fluxo de energia e os problemas vão atingi-la também, mesmo porque você não é mais médico. Tome consciência e desligue-se desse passado. Solte os espíritos que estão sob o seu comando. Dor de estômago devido às magias. Limpando os chacras. Vou deixar um micro organizador floral virgem com esta gravação, como um alerta.

Mental Inferior

Chacra cardíaco bem fechado e o coração escuro. Teve uma vida com câncer no seio. Tome consciencia e se desligue desse passado. Aparelho na cabeça. Níveis no vale dos sexos e vícios. Trazendo para cima e jogando nesta banheira com água e ervas. Dor de cabeça e aparelho no pescoço. Nível no umbral com muita gripe. Aparelho nos pés. Em uma vivência de bruxa que fui queimada na fogueira, hoje sinto um calorão. Desligue-se de lá. Passando uma energia nos chacras e nos cordões. Os aparelhos foram todos retirados.

Tela búdica   – escura, foi passado uma energia.

Duplo Etérico

Todos os níveis ligados ao passado visto. Aparelho no estômago foi retirado. Parte do coração estava amarrado. Muito sono. Hipnose aplicada pelo mago negro que foi recolhido.

O internamento da paciente Laura deu-se no dia 7/11/08. Dia 14/11/08 - Manifestação da mãe da paciente, após a cirurgia espiritual, realizada no dia 13/11/08, quando se encontrava internada na emergência do INCOR-SP., tendo uma miocardiopatia dilatada.

No dia 13/11/2008 a paciente Laura dormiu profundamente entre 09h30minh e 11h55minh, enquanto eu tentava entrar em sintonia com plano espiritual. Ao acordar contou-me do sonho que teve, em que uma médica havia nos entregado um papel branco dizendo que era seu prontuário e que ela estava de alta, pois estava curada.

Laura certificou-se me perguntando se isto teria ocorrido enquanto dormia e onde estaria o papel.

Respondi a ela que ninguém do plano material procedera dessa forma.

No dia seguinte, sexta feira, dia 14/11/08, o médico fez um   cateterismo , e o mesmo, não apresentou mais a arritmia nem o outro problema de válvula mitral, só deu mesmo que seu coração está com a musculatura fraca (14/11/2008), Laura, fez o exame denominado Estudo Eletro Fisiológico e nada do que os médicos esperavam aconteceu: Possivelmente ela sairia desse exame com marca-passo ou stenti (não sei se é assim que se escreve) ou queimariam as células que estavam provocando a arritmia ou ainda poderia desencadear arritmia grave, se não houvesse ocorrido a cirurgia espiritual.

Dia 18/11/2008, Laura fez outro exame denominado Espiroergometria, mas a médica que a acompanhava disse que não é especialista nessa área e quem explicaria melhor este resultado seria a equipe do transplante na próxima consulta no dia 03/12/2008.

A referida médica deu alta dizendo que Laura não tinha mais arritmia e mandou-nos para casa com restrições na alimentação como: pouco sal, 1,5lt de líquido ao dia, caminhada por 20 minutos, cinco vezes na semana e medicada com Captopril, Carvedilol, Furosemida, Espirolactona, Digoxina e Omeprazol, e que não tinha nada no coração

Agora será acompanhada pelo médico do ambulatório (que a assiste desde os 3 meses de vida) e a equipe de transplante, embora tenha descartado a possibilidade deste procedimento nesse momento. Já a médica deu alta no dia 18/11/08 à tarde.

Estando ela em alta já em casa, mas com cuidados, não podendo fazer esforços e emagrecer

Dia 03/12 ela volta para SP. Não foi preciso um 2º atendimento espiritual.

 8a) Isaias   – 10 anos

Data: 14/03/09

Problemas: Diagnóstico médico – ataque epilético, não baba quando dá os ataques, não desmaia, fica com o corpo rígido. Dificuldade de aprendizado no colégio. O pai morreu em acidente há uns 3 anos. Na ressonância magnética apareceu um sinal indicando uma má formação congênita, que esta parte do cérebro é que dificulta o aprendizado no colégio. A nível espiritual mostra que essa região do cérebro está congelada, inativa.

Técnica empregada – Apometria.

Desdobrando o paciente, foram recolhidos os espíritos que se encontravam com o paciente. O pai estava com o paciente. Foi trazido para resolver um problema de magia, juntamente com o feiticeiro encarnado e o espírito que participou dos trabalhos de magia. Material usado: um bode, rato, com fita preta foi amarrado o nome, nós com a fita amarela, a verde foi feito um laço. Foi enterrado próximo do cemitério, junto com uma foto. Foi desfeita a magia. O objetivo dela era para ele não ter filhos. Foi recolhido o pai e encaminhado o espírito.

Paciente. - Eu não consigo falar direito. - O que está acontecendo com você? Quando dá a crise o corpo físico fica duro. - Você precisa falar comigo para que eu possa ajudá-lo melhor? Precisa contar a sua história? Já tentei me ajudar, mas não consigo.

- O que está acontecendo com a tua cabeça? Não tenho nada. - É o meu segredo. Fale para que eu possa ajudá-lo? São as magias que fiz quando fui um bruxo. Então comece a desmanchar! - Que tipo de magia você costuma fazer? Para que outras pessoas não conseguissem mais pensar, usava animais para oferendas. Recebia por esses trabalhos muito ouro. Usava cabelo, sangue, um gato, o qual eu hipnotizava após colocar em sua cabeça todas essas coisas mais olho de serpente, e soltava o bicho, antes olhava bem para os olhos dele falando o nome da vítima até o gato ir fechando os olhos. Depois eu soltava, gato ficava fora de controle, ficava louco e depois morria dentro de alguns dias. A vítima não conseguia pensar corretamente e nem falar, parecia uma pessoa que não estava neste planeta. Estou muito arrependido por isso tudo. Então procure desmanchar a forma etérica que ainda existe atuando e liberar os envolvidos.

Os mentais do paciente estão compactos, formando uma só massa, simbioticamente um necessitando do outro.

Corpo Astral   – está comprometido, não tendo a metade dos arquivos.

Mental Inferior   – está imantado simbioticamente com o Mental Superior. Toda a questão da intelectualidade, inteligência e memória dos arquivos não estão nas matrizes. Ele hoje é uma espécie de uma massa orgânica. Passamos a dissociação de ambos com um branco cintilante. Vamos descer os arquivos do Corpo Búdico e levando os dois para o hospital para processar com mais facilidade os arquivos, devido à delicadeza do problema. Ficando lá de 15 a 35 dias.

Do Núcleo está descendo 6 casulos, com dois níveis cada um e vão para os mentais, pois eles possuem os arquivos completos. Os problemas da cabeça estavam com os mentais.

Corpo Astral   – vai ter que gerenciar este início da encarnação até que os mentais voltem para o agregado em si. Ele apresenta uma idade de 35 anos aproximadamente, nós o trouxemos para a idade atual.

Os mentais e parte do corpo astral, tomaram conhecimento da atual situação que se encontrava sua vida, ligados a uma situação de entrevida. Eles não tinham a menor noção que estavam encarnados, devido a total rebeldia. O Corpo astral parcialmente funcionando. O restante não está na matriz. Então estava existindo uma deficiência.

A Tela Búdica   – deficitária.

Duplo Etérico   – está sendo remontado, sendo adequado novamente para a atual situação.

Retorno dentro de uns 30 dias. Mas não retornou.

9a) Pedro

Data: 30/10/08

Problemas: desmaia com freqüência; perde as pernas; pressão alta. Sua irmã que já desencarnou o odiava desacerto de herança. (Possível magia negra – investigar). Exames médicos deram todos negativos.

Técnica: Apometria

- O paciente diz sentir muito calor numa região do umbral, lugar fechado, muito fogo, onde está sendo realizado um ritual, onde estão aprisionados espíritos e encanarnados. Lugar fechado e muito quente provocando uma agonia que sufoca. Parece que não raciocina, não pensa, sem ar. - Minha cabeça gira. Vamos recolher estes espíritos. Quem comanda este local? Esses espíritos que comandam são muito fortes, usam capuz preto, camisona semelhante a que usam os padres. E você o que está fazendo neste lugar? Estava lá. Eles diziam que eu pertenço a eles. Agora temos que dar um puxão bem forte para trazer esse nível do paciente lá de baixo. Um, dois, e três, subindo. Cortando a ligação com eles, um, dois e três.

Vamos verificar o seu passado ligado com esse pessoal. No passado nós participou de uma seita satânica, onde envolvia morte de pessoas, doação de sangue, coração, cérebro, em troca de muita riqueza, terras, ouro. Estou com dor de cabeça. - Você tem que desmanchar as suas magias negras. Há um lugar onde trabalhava, tem muitos livros de magia, bichos, bonecos. - Desmanche esses bonecos, liberando os bichos e destruindo o restante das coisas. - Tem um nível meu preso em uma redoma de cristal. Desfazendo os campos de proteção desta redoma e trazendo este nível para cima. Tem um mago negro ligado comigo, nós fizemos um pacto no passado com magia. Vamos conversar com mago . Este pacto é para toda a eternidade, diz o mago. - Vamos dar um banho de água Cristina em você, trocar a roupa. Estou muito velho. – Se transformou em uma árvore? Já estou assim, meus braços e pernas, são tudo árvore. Estou com nojo de mim mesmo. - Você quer ou não quer ajuda? Estou totalmente deformado. Pense na forma humana que você era antes, pense firmemente, volte a ela, um, dois e três, já. Um violeta e um prata para remover essa couraça. Enormes aparelhos parasitas implantados no paciente. - O que tem no coração? Um enorme buraco. Trabalhamos na área do cardíaco. Muito ódio, raiva, rancor, armazenado ali. O chacra cardíaco está pequeno. Não funciona direito. - E aquela irmã que odiava o Pedro, onde está? Ela já está morta. Ela fez uma magia para o Pedro. Vamos trazê-la aqui para que ela a desmanche. Nas veias do coração existem uns ferros que deixam o coração inchado e grande. As veias coronárias estão entupidas. Passar uma energia para derreter a gordura. Pulmão muito escuro. Cristas nos olhos e chacra frontal. O coronário está muito fechado. Cabeça oca, cheia de cristais. Muitos pensamentos negativos, onde atraem coisas ruins. Coloquei aparelho nas costas e pernas, pés. Desfazendo o pacto com ele. Desmanchando os anéis do local onde nós dois trabalhávamos.

Irmã do Pedro desencarnou faz um ano .

Está na escuridão do umbral. Estou muito fraca e cansada, com muitas dores. - Entre dentro desta banheira com água e ervas para aliviar as dores. Passamos uma energia prata e dourada para revitalizar. - Chame o espírito que ajudou na confecção da magia. Vou mandar você para um lugar melhor. Não sei se mereço. - Posso ficar do lado do espírito que vai desmanchar? Pode.

Espírito feiticeiro .

O que vocês querem de mim? A mulher já morreu, as coisas que foram usadas na magia já estão podres. Só falta levar aquele lá (Pedro) que está ali incomodando. - Quais os materiais que foram usados? Só coisas de primeira, era por dinheiro a briga. - Temos que cobrar bem. Estão me pagando, charuto do bom, wiske, , ganhei um cabrito inteiro. - O que fizeram com o cabrito? Comemos. - Já viu como está o seu estômago? - Nós ficamos assim mesmo. Fitas, velas e fitas pretas e vermelhas. Boneco. Alfinete na cabeça e um punhal no coração. Fotos e peça íntima. Tudo junto de um pano preto e vermelho. Tem uma mulher junto comigo. Colocar tudo dentro de caldeirão. Oi! Eu bebi demais. Desmanche tudo, tire as amarras e as outras coisas do boneco. As fitas eram para ele não se mexer. Peso nos braços, pois você está preso a essas coisas. Estou cuidando é das pessoas e não das magias. Carne vermelha. Tem o nome dele de baixo do santo. Tire. Fitas amarradas na cabeça, uma vela do tamanho dele. Farofa, pipoca, milho que é para ter dinheiro. Umas moedas. Já está tudo ai dentro do caldeirão. Foi jogado muito pó para provocar alergia, irritação, coceira e grosserias no corpo. Estou sem um olho e coceira. Depois que você desmanchar, vai receber um olho novo. Vou dar um banho de água Cristina e tirar toda essa sujeira. Pense no bem que você tinha... Pense que vai recebê-lo de volta.

Pomba Gira

Tem dois espíritos que estão presos. Solicitamos para você soltá-los, estão aprisionados nesta magia. Foi colocado os dois espíritos dentro de uma cápsula. - O que você ganhou para participar deste trabalho? Um vestido preto rendado, uma sandália preta, uma rosa preta para prender os cabelos, estou linda. Não tente desfazer, porque estou linda. Vou tirar a sua máscara, um, dois e três, já! Ai! - O que você tirou dos meus olhos? A tua mascara, onde você escondia a sua realidade. Estás uma velha. Eu não quero me ver no espelho. Vamos tirar tudo que você ganhou. - Vou também arrumar outro lugar para você ir, uma nova moradia. Por que você me deixou uma velha e feia? - Eu não sou assim! Você é. Não sou! É uma velha de cento e tantos anos. - O que você fez para aquele homem? - O nome dele está pregado na barra da minha saia. Você já tirou o meu vestido. Tire tudo e vamos queimar. Eu não gosto do branco, a minha roupa é preta. - Mude de vida. Eu não acredito em ninguém. Você não é obrigada a ficar naquele lugar que vou mandá-la. Mas se você sair de lá e voltar para a sua vidinha de antes vai se afundar muito mais nos abismos infernais. Eu não gosto de ninguém. - Vai aprender a gostar. - Porque você caiu nesta vida? Eu amei quem não devia. - Hoje não acredito em Nada. Tudo que me pede eu faço. - Você já olhou para as outras vidas, para ver o que fez? Eu também traí, enganei. - Então, você acredita no que estou te oferecendo? - Então faça uma prece e vá com esses irmãos de branco. Mas antes desmanche tudo o que você fez. Cigarro, champanhe, franco, jóias, fitas vermelhas, pano preto e vermelho. Pano preto amarrado na cabeça dele, para não enxergar. Coração oco, punhal no coração. Fotos, níveis aprisionados. Aparelho na cabeça e nuca. Aparelho nos olhos e garganta. Um cano na garganta. Ferros nos pés. Desligá-la daquele lugar.  

Paciente -   (Corpo Astral)

Estou melhor. Ligado a uma vida com câncer de garganta. Aparelho na coluna. Hipnose em todo o agregado e pensamentos negativos. Ligado à magia negra. Desmanchar as magias. Foi decapitado e está com problemas nesta região. Vida em que teve tuberculose. As mãos amortecem resquício das magias. Sangue preto e grosso. Foi passada uma cor rubi na corrente sanguínea para desentupir. Veia entupida, vida em que morreu com problemas cardíacos. Níveis no umbral fazendo festa. Aparelho na barriga e cabeça. Todos os chacras estão pretos. Os cordões enrolados. Aparelho no sistema nervoso.

CAu (linha do umbilical)

Aparelho nos ouvidos, vida em que se suicidou com um tiro no ouvido. Aparelho nos olhos. Dor de cabeça, vida com câncer no cérebro. Pressão Alta. Aparelho na bexiga e rins bem escuros. Dor na bexiga e ardência com larvas. Próstata inchada com espíritos grudados. Dor nas pernas e calor nos pés.

Mental Superior

Agigantado, com 9 em 10. Dor na nuca. - Nível rebelde. - Eu faço o que eu quero. Eu sou rico. Muitos escravos sob o meu domínio. - Sou senhor de engenho. Este engenho não existe mais e nem os escravos, pois já não existe mais a escravidão. - Viva o presente. Dores de cabeça, proveniente de um tumor que tive no passado. Vou ter que deixar tudo? Não existe mais nada, a não ser na sua memória. Chacras fechados e cordões enrolados. Foi encaminhado para um hospital.

Mental Inferior

Níveis com hipnose e dorminhocos, ligados ao vale dos vícios. Cabeça oca, sem pensamentos. Foi encaminhado para o jardim.

Duplo Etérico.

Aparelho nos rins e bexiga. Fígado escuro. Aparelho na nuca e frontal.

Após o atendimento a pessoa melhorou, sendo que a pressão baixou demais.

Observações gerais : - Alguns casos não obtivemos mais notícias quanto a sua melhor total ou parcial.

- Metodologia usada em alguns casos de muita rebeldia após mais de um atendimento – Coloca-se uma malha fina elástica em volta desses corpos ou níveis rebeldes, evitando assim o seu agigantamento. Assim ele vai querer ficar maior do que os demais, mas a malha não deixa. Desta maneira ele vai se acomodando.

Após os atendimentos apométricos, o que ainda podem continuar acontecendo.

Tenho percebido que após os atendimentos, onde retirei todos, ou quase todos os problemas que o indivíduo apresentava naquele momento, deixando esta pessoa com mais habilidade para praticar suas atividades, ou melhor, suas malvadezas. O fardo que foi retirado desta pessoa, muitas vezes funcionava como uma espécie de freio para evitar que elas cometessem equívocos irreparáveis. Tira-se certas amarras, daí ela adquire forças suficientes para comer suas maldades. Então o freio é que mantém esta pessoa em equilíbrio. Então, nem sempre é uma medida acertada.

Então no final do atendimento, nem sempre o caso termina quando o dirigente da mesa encerra os trabalhos, pode continuar noite adentro, ou até mais dias, porque os médiuns podem ficar ainda junto com os trabalhadores do mundo espiritual, tratando das mazelas dos espíritos, ainda rebeldes, ou do agregado espiritual do paciente. Isto quer dizer que os embates podem ainda continuar até uma solução mais adequada até aquele momento

 

Operando na mesa Apométrica

1 - Desligamento dos conflitos - Doutrinação

Os desligamentos dos conflitos de passado dos corpos ou níveis espirituais dos indivíduos durante os atendimentos também podem ser feitos durante o harmonização dos chacras, quando se mentaliza uma energia dourada; iniciando no chacra coronário via cordões até o chacra básico, isto já no final do atendimento, porque os chacras, está ligados aos conflitos das pessoas. Se ficou algo fora que estava na pauta para aquela sessão, vai aparecer com esta revisão. O desligamento costumeiro sempre é feito via cordões dos chacras com os conflitos ou eventos ocorridos em suas vidas pregressas.


2 - Conflitos

Estão ligados aos cinco sentidos do ser, isto quer dizer que as energias negativas pertinentes a um ou vários problemas do corpo dos indivíduos, podem ser drenadas, não precisamente através da psique das criaturas. Isto quer dizer que a catarse pode se da por uma região qualquer, como um problema emocional pode drenar através da pele. Nem sempre sabemos quais órgãos são mais comprometidos com a situação momentânea. O indivíduo vai drenar o trauma que mais lesou a si próprio, ou a outras pessoas que está na pauta daquele atendimento. Nem sempre o indivíduo se encontra estruturalmente pronto para vivenciar ou drenar tais energias, às vezes são necessários outros atendimentos.


3 - Doutrinação de entidade

É importante, quando a entidade não quer se deixar dobrar pelo diálogo, buscar a raiz daquilo que a levou ao desequilíbrio o que fez com que ela se perdesse nos descaminhos da vida, se aliando a grupos trevosos nos astral inferior. Sempre há um desgosto, uma decepção, uma desilusão, uma injustiça, dizendo que Deus não ouviu as suas lamúrias outras dizem que foram abandonadas, que morreram em uma situação miserável. Assim o doutrinador deve mostrar onde ela também errou e que também outros sofreram pelos seus desmandos e que esta entidade também está sofrendo e não se dá conta, como se usasse uma máscara para encobrir o seu sofrimento, só vê o mal que outros lhes infligiram, através do ódio e vingança. Esquece o que fez de mal a si próprio e a outras pessoas. Está sempre relembrando aquele sofrimento, estando próximo do seu desafeto. Faz-se com que a entidade em questão entre dentro do seu verdadeiro problema, que pode está a centenas ou milhares de anos.
Quando o obsessor não se sente bem com aquele médium que está se utilizando da incorporação, pode ficar mais difícil a doutrinação pela desarmonia vibrada pelo médium, que ao contrário, deveria vibrar positivamente para dar confiança e segurança para esse espírito, ou entidade, pois pode ficar inseguro pelo seu futuro, muitas vezes já vem de uma situação de sofrimento, remorso, e quer mudar, mas fica inseguro quanto ao local onde vai ser levado. Podemos enquadrar aqui também a autobsessão.

Devemos sempre deixar claro para o médium de incorporação para não se deixar influenciar ou induzir pelo doutrinador, aceitando uma orientação que não é real.
Se o que o médium de incorporação está dizendo não condiz com o que consta na papeleta, o doutrinador deve investigar, buscar a raiz do problema que pode estar:  
a - camuflado, o médium não está conseguindo acessar o verdadeiro problema que se busca que pode ser problema dele próprio.  
b - O nível pode estar blefando, não está conseguindo acessar os seus problemas, por motivos diversos, como medo, dificuldade de memorização, etc.
c – Se não for observado certos requisitos, o trabalho pode ficar prejudicado.


4 - Depressão e outras situações
  - ( observados nos trabalhos apométricos de mesa).

Foi observado até agora em 4 atendimentos, que nível de consciência do agregado espiritual está sendo seqüestrado para uma redoma de cristal e lá são colocados dentro de pirâmide, também de cristal, onde é trabalhado o cérebro do paciente encarnado. É colocado aparelho no centro da cabeça, como antenas através das quais é monitorizado, utilizando um líquido viscoso, fabricado pelos próprios espíritos trevosos, onde são incutidos fluidos perniciosos; como também idéias perniciosas, e suas idéias ficam confusas, pouco raciocínio, desvitalizando suas energias e informações, com sugestões hipnóticas, provocando sensações diversas, causando dores, tristezas, angústia, calor, pânico, loucura, perturbações como tendência ao suicídio, levando-o a um estado depressivo, atingindo com o tempo todo o agregado espiritual e o indivíduo vai perdendo a vontade de viver. Passei a me interessar pelo assunto, notando em atendimentos apométricos posteriores que os casos se repetiam. Certos magos negros possuem laboratórios em cidades no astral inferior, costumam fazer esse tipo de experiência como estudo e aplicação. Assim controlam as pessoas a nível mental com mais facilidade, manipulam o ectoplasma do encarnado com mais facilidade.
Quando você encontrar um paciente em nível de experiência, sem memória e desvitalizado, está sendo trabalhado o cérebro, pesquise que pode ser um caso desses.
Importante saber que outras partes do corpo também podem ser trabalhadas nesses laboratórios, como também extraídas para experiências. Já encontrei situações em que o trabalho era na região genital, após o atendimento a pessoa melhorou.  
Quando se trata somente de aparelhos parasitas implantados nos corpos espirituais sem o seqüestro de corpos ou níveis de consciências para os laboratórios das regiões umbralinas, fica mais fácil de identificar os mesmos e sua retirada.
Os resultados variam de paciente para paciente, como tempo em que o mesmo está em experiência torturante; com dois anos já começa a aparecer resultados variados. Tudo vai depender do tipo de karma que essa pessoa tem para passar e suas atitudes comportamentais, como egoísmo, mando, poder, já trazidos de outras existências. Então o tipo de comportamento pode acelerar o processo e outras dificuldades.

Como solucionar o problema:
Tracionar o corpo ou nível, como se estivéssemos sugando essa redoma fazendo-a subir, isto é, retirando do umbral como se fosse um elevador, desmagnetizamos a redoma e a pirâmide, aí o nível fica livre. Limpamos o cérebro, levando esse nível a um jardim para que ele aos poucos vá recuperando a memória; muitas vezes essas informações têm que ser trazidas do corpo Buddhi. Assim elas vão sendo repassadas para todo o agregado comprometido. O efeito desse processo usado pelos trevosos pode produzir um efeito dominó em todo o agregado.
Às vezes se abre a freqüência para tratar uma perturbação como depressão, ocasionando insônia, nervosismo, ansiedade, falta de vontade de viver, etc.; nota-se que a melhora é passageira; pode estar ocorrendo a manipulação de nível de consciência onde o cérebro deste paciente se encontra em experiência preso em laboratório no umbral. Muitas vezes se repete o tratamento para a mesma causa, tempos depois vem a recaída. Já estamos cientes de que se trata deste assunto comentado acima. Com esse processo podemos tratar com mais facilidade todos os casos de desarmonia de uma só vez, pois já conhecemos o caminho, tratando o problema pela raiz, não deixando é claro, de fazer outros tratamentos complementares no mesmo atendimento.
Este processo usado pelos trevosos tem a vantagem de trabalhar mais um corpo ou nível, como também outros encarnados ao mesmo tempo, não necessitando deixar outros espíritos cuidando dos encarnados, como é o mais costumeiro ocorrer.

5 - Objetos ou aparelhos colocados nos corpos espirituais:

Por que às vezes você fica com pouca visão? O que ocorre é que quando colocada uma venda no corpo astral, por exemplo, está dificulta a visão do corpo físico, então se conclui que quem vê é o corpo astral e não propriamente o físico. Isto quer dizer que não basta somente o corpo físico estar em perfeita ordem, mas também os corpos espirituais. São situações atuantes na vida do indivíduo, não considerando problemas patológicos

Pontos a observar:

1) Consciência física
2) Agregado espiritual (DE, CA, MI, MS e seus submúltiplos)
3) Obsessão com magia negra
4) Obsessão + autobsessão
5) Obsessão + autobsessão + consciência física
6) Karma
7) Opções - pode estar agregada tanto à consciência física como à espiritual (uma vontade muito forte – como exemplo um desejo).

8) - Seguindo um caminho por eliminação da obsessão, sobra a consciência física e a espiritual.9) - Você harmonizando a espiritual, sobra a consciência física.
10) - Você ajustando a consciência física e a espiritual, vai sobrar a cármica.
11) - Como a maioria só conhece a consciência física, pois as outras precisam de trabalho especializado e de difícil recurso. O que fazer:  
cabe à consciência física se esmerar e muito, se reformando em tudo que for possível para fazer com que as coisas aconteçam, procurando eliminar ou aperfeiçoar certos automatismos.

Observação - Ainda não podemos detalhar com propriedade o que se refere os itens, porque há sempre uma influencia outra, isto quer dizer que todas depende uma da outra, quer positivo, quer negativo, sendo assim as coisas podem fluir para melhor ou para o pior. Quando todas as partes trabalham com um mesmo objetivo os resultados sempre vão aparecer para a felicidade de todos; sempre dependendo das tendências mais fortes atuantes, que estão no domínio da situação, isto é, o modelo de sentimento que está vibrando com mais intensidade, então a balança vai pender para aquele sentimento mais forte e predominante no ser. Essa parte que está mais consciente tem que fazer as coisas acontecerem, para que possa mudar para melhor, a física ou a espiritual, fazendo refletir nas 3 almas para que essas também exerçam sua influencia positivamente em todo o agregado.  
Um exemplo, de um caso de obesidade: além do que explicitamos acima, o indivíduo deve fazer regime para valer acompanhado de ginástica.
Tenho notado que a consciência física detentora do corpo físico possui muita força, precisando de uma forte determinação e coragem pra impulsionar suas tarefas, quer material, profissional ou espiritual, não esperando soluções milagreiras, ela tem que analisar e saber o que é melhor para ela. Quando a consciência física não se esmera, não vai à luta, dificilmente as coisas acontecem.
É difícil dar pesos para cada um dos itens acima, porque cada caso é um caso à parte.

12) – Casamento - Os traumas do casamento quase sempre não aparecem nos primeiros anos de convivência, quase sempre ficam adormecidos, vindos à tona no tempo certo. Caso contrário, muitos não se casariam. Mas mesmo assim muitos se arriscam, mesmo que desde o namoro, noivado, já aparecem os conflitos ligados a outras existências.

Mediunidade consciente

1- Se o indivíduo demonstrar sinceridade nos seus propósitos aumentará a confiança que os espíritos superiores nele depositam.
2- Quando o médium não inspirar credibilidade ao mundo espiritual, a assessoria não é contínua.
3- Os espíritos esclarecidos não perdem tempo junto à médium que não seja transparente em suas intenções.
4- A parceria mediúnica necessita de tempo para ser consolidada.
5- Tanto o médium como os espíritos procuram se conhecer melhor.
6- Nem todo o entrosamento entre espírito e médium remonta de vidas anteriores.
7- De modo geral os espíritos se ligam a instrumentos que lhes são dóceis, tanto no bem como no mal.
8- É preferível às vezes, um instrumento bem intencionado do que um bem aparelhado, do ponto de vista intelectual.
9- Mediunidade se aprimora, condição moral é conquista.

Observação - É bom observar que quando se trata de comportamento, as informações são muito variadas e complexas; vejo dia a dia, que à medida que os trabalhos avançam novas informações de aprendizado vão surgindo, isto faz sentido, porque estamos no caminho do autodescobrimento, mas parece que quanto mais se avança menos se sabe. Os caminhos começam a se abrir, é claro, mas o leque parece que ficar maior, os horizontes fica ampliado, parecendo que ainda nos encontramos na periferia.

 



 
Retornar ao índice